TiSA, TTIP, TPP: mais documentos secretos do governo das multinacionais

WikiLeaks-Global-Trade-Agreement-Triangulation

Hoje, às 15:00, a WikiLeaks tornou público um santo graal jornalístico da actualidade: o texto principal do maior “acordo comercial” na história, o TiSA (acordo sobre o comércio de serviços), cujos 52 países, juntos, constituem dois terços dos PIB global e que tem sido mantido secreto. As partes negociadoras são os Estados Unidos, os 28 membros da União Europeia e 23 outros países, incluindo a Turquia, México, Canadá, Austrália, Paquistão, Taiwan e Israel

Este tratado secreto imporá a todos os signatários cláusulas que beneficiam grandes empresas multinacionais em detrimento da soberania e os interesses públicos de cada país. Este tratado internacional será mantido em segredo durante cinco anos após a entrada em vigor.

A publicação de hoje tem lugar uma semana antes da próxima ronda negocial do TiSA, a qual começará no próximo dia 6 de Julho. A WikiLeaks publicou também a ordem de trabalhos completa para as negociações da próxima semana, a qual mostra que as discussões se centrarão em Serviços Financeiros, Telecomunicações, e a Livre Circulação de Pessoas.

A WiliLeaks também publicou o texto de um anexo anteriormente não publicado – o anexo secreto TiSa sobre “Government Procurement” (contratos públicos). Este anexo tem por objectivo reduzir a legislação de “procurement” para garantir que os governos TiSA não favorecerão serviços locais em detrimento dos equivalentes provenientes de multinacionais estrangeiras.

Foram ainda publicados outros anexos polémicos, os quais podem ser consultados pelos links do texto original

Comunicado de impressa: EN.
Notícia: público.es

Leituras:

Comments


  1. Os ‘globalization-lovers’ que fiquem na sua… desde que respeitem os Direitos dos outros… e vice-versa! {http://separatismo–50–50.blogspot.com/}

  2. MJoão says:

    Cidadão de mãos atadas é o que nos espera , ou melhor , súbditos das grandes empresas. O feudalismo do séc. XXI.b

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.