Raul Vaz e o Contraditório

A Antena 1 emite às sextas às 19 um programa de comentário político (nos dias em que não haja bola, porque prioridades são prioridades), o Contraditório, no qual participam actualmente Ana Sá Lopes, Luís Delgado e Raul Vaz.

A ideia do programa consiste em apresentar os temas da semana e ouvir as interpretações dos comentadores, cobrindo o espectro político, apesar da particularidade de dois dos comentadores se posicionarem à direita (o Luís e o Raul), o que limita a variedade de opiniões.

É precisamente na diversidade das opiniões onde entra o tema “Raul Vaz” deste post. Não preciso de concordar com as leituras de cada comentador mas acho interessante ouvir os diversos pontos de vista, até para olhar para os problemas por diferentes ângulos. Neste aspecto, tem sido regra, em todas as emissões, Raul Vaz interromper as análises da Ana Sá Lopes, seja com breves à partes e bocas dignas do (mau) comportamento dos deputados nos debates parlamentares, seja inclusivamente com longas interrupções, que subtraem o tempo que seria da Ana. Numa das últimas emissões,  a do dia  10 do corrente, o boicote do Raul ao comentário da Ana atingiu proporções inéditas, com constantes interrupções e repetidamente a falar por cima da análise da sua colega de programa. No programa de ontem tal voltou a acontecer, se bem que em menor proporção.

Percebe-se que Raul Vaz é incapaz de tolerar uma opinião contrária à sua e que assumiu, com unhas e dentes, uma missão de defesa do governo e do Presidente da República. Não tenho presente as palavras exactas, mas recordo-me perfeitamente, para referir uma situação concreta, como Raul Vaz se torceu em justificações quando foi da situação da fuga ao pagamento da Segurança Social por parte do Passos Coelho, começando por a condenar e acabando por a branquear com umas desculpas esfarrapadas. Ou como ontem adjectivou António Costa, por duas vezes,  como sendo um “político muito hábil” mas sem alguma vez se ter referido a Passos Coelho nestes termos quando este recorreu a inúmeras habilidades de cada vez que disse o contrário do que havia dito em momentos anteriores.

Além de ser condenável esta intolerância e falta de educação por parte de Raul Vaz, patente na referida forma como boicota as intervenções da sua colega de programa, há ainda o facto do programa sair a perder, já que a sua mais valia, a diversidade de opinião, sai diminuída. É pena o moderador, João Barreiros, não ter um papel mais assertivo, nem que não fosse ao nível do controlo do tempo de antena de cada comentador.

É esta a razão de ter escrito este post, deixar o alerta para uma situação que vai tornado desinteressante um programa com os ingredientes necessários para que fosse um espaço de efectivo contraditório.

Comments


  1. Apoiado. E acontece em muitos outros media, infelizmente.


  2. Concordo inteiramente com o comentário, embora deva tornar clara a minha declaração de interesses, já que sou de esquerda.
    Agora uma pequena nota: detectei as duas grafias de assertivo, porém, o Priberam apenas aceita com 2 “ésses”, desconhecendo se o desgraçado do novo AO o permite.
    Um abraço.

  3. Abel says:

    Concordo.
    Os comentadores devem ter a liberdade de comentar mas não a de boicotar a opinião dos outros, que é o que esse senhor reiteradamente faz.

  4. omaudafita says:

    Concordo consigo. Costumo ouvir em podcast e por vezes tanto esse como o Delgado metem nojo… Mas é o normal em Portugal… Pior só mesmo o Ricardo Costa no Expresso da Meia Noite em que chega a fazer o “contraditório”, mas só a defender o governo, e o Negócios de semana em que aos convidados da área do governo estende um tapete vermelho e faz todas as perguntas oportunas e nunca as que incomodam ( um verdadeiro chá das cinco). Quando os convidados são da área do PS é uma verdadeira carnificina…


  5. Este ultimo contraditório da Antena 1 (30 de Outubro 2015) então foi vergonhoso, o Raul Vaz ultrapassou todos os limites. Confesso que nem aos politicos de direita ouvi tantas barbaridades, desde chamar ao António Costa manhoso, até dizer que este processo de formação de governo á esquerda é Salazarista (…orgulhosamente sós)… enfim no que diz respeito á isenção no comentário politico… estamos falados!!!

  6. José Soares says:

    Concordo plenamente.
    A Democracia é difícil de digerir para algumas pessoas.
    A coabitação Direta e Esquerda não é para todos.
    A educação vem no berço ! !

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.