Ashley Madison – a (in)segurança da internet

Um site americano de encontros amorosos extraconjugais cuja maior preocupação era a segurança dos dados dos seus utilizadores foi alvo de um ataque informático e as suas informações secretas tornaram-se públicas.

O Ashley Madison é um site procurado por ” viciados/as ” em trair que promete aos seus utilizadores facilitar de forma secreta relações extraconjugais.

IMG_20150821_235738

Há algumas semana hackers tornaram público que tinham invadido o supracitado site e agora resolveram provar que a invasão aconteceu mesmo e foi bem sucedida tornando pública a identificação dos seus utilizadores, nomeadamente governantes dos mais diversos quadrantes mundiais.

Agora tornado público que poderão ser quatro os/as portugueses/as inscritos/as no Ashley Madison com endereços de email associados ao domínio gov.pt.  Pode ser que, mais dia menos dia, possamos ter acesso às suas identidades sendo que, como nos EUA, poderemos ter algumas surpresas.

Comments

  1. mdlsds says:

    É preciso ser-se muito estúpido para fazer registos deste calibre com endereços oficiais.

  2. Aventanias says:

    O Correio da Manhã no Aventar no seu melhor.
    A seguir … “Diogo Infante visita Sócrates na prisão”
    Vamos nessa ?

  3. Nightwish says:

    É, de facto, interessante ver vários moralistas sem moral nenhuma. Fora isso, é sempre voyerismo.
    Em termos técnicos, o site não se interessa minimamente se os emails existem ou se são da pessoa certa, por isso é preciso ter cuidado em acreditar no que se vê.

  4. Jorge Paiva says:

    Meu caro Paulo Vieira da Silva, tenho muitas dúvidas da relevância efetiva deste tipo de informação e ainda mais da sua divulgação pública, a não ser que esteja em causa a segurança do Estado, o que me parece não ser o caso.

    De facto, o que interessa se não para o seu ciclo familiar e de amigos, se o ministro tal ou o político X tinham registo neste site? Nós não somos os EUA.

    Lembro-me quando andava na Faculdade; tinha uma colega que viveu os primeiros anos em Nova Iorque e que dizia que o americano típico é do tipo: Durante o dia, moral, boas maneiras e boas famílias; à noite strip-tease para começar.

    No fundo todos nós temos uma certa curiosidade em saber se existem mesmo e quem são. Mas é uma curiosidade que, a existir, incomodaria pelo desconforto ético que representaria ou representa. Julgo eu. Mas existirão seguramente variáveis que não estarei a considerar e que tornarão esta temática, relevante.

  5. Mike says:

    “Government e-mail addresses”
    Não é preciso ser-se governante para se ter um e-mail “.gov.pt”.
    Provavelmente até os recepcionistas da PCM têm um endereços desses…

  6. Sarah Adamopoulos says:

    Chama-se a isto tabloidizar o Aventar, Paulo Vieira da Silva. Mas não se engane, que jornalismo é outra coisa.

  7. Anónimo says:

    1405 “governantes” dos EUA tão estúpidos que se registaram num site para adúlteros com o seu endereço de email oficial.(quantas dezenas de milhar de “governantes” têm os EUA?)
    Ou um português tão hipócrita que “confunde” “government officials” com “governante” e tão estúpido que acredita que isso passaria despercebido.

  8. Um bom filho da puta, este Paulo Vieira, que censura comentários. says:

    Um bom filho da puta, este erro de casting do Aventar, Paulo Vieira, que censura comentários.

  9. Um bom filho da puta, este erro de casting do Aventar, Paulo Vieira, que censura comentários. says:

    Um bom filho da puta, este erro de casting do Aventar, Paulo Vieira, que censura comentários.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.