Acabar com o SNS, esse desígnio da direita


SNS

Se em 1979 o PSD social-democrata votou contra a criação do SNS, não há-de ser o PSD liberal, movido por uma agenda ideológica de obliteração do Estado Social e obcecado por privatizar tudo a qualquer preço, que pensará de forma muito diferente: o SNS (tal como este governo) é para suprimir o mais rapidamente possível. Mas anunciar a sua privatização seria gerador de forte contestação por parte da sociedade civil pelo que o esquema deve ser cuidadoso e gradual: primeiro o desinvestimento, com cortes em sucessivos Orçamentos de Estado que explicam em parte o caos, por vezes fatal, que se instalou nas urgências no Inverno passado. Faltam médicos, faltam enfermeiros, entretanto emigrados para o Reino Unido, e falta equipamento. Paralelamente, emerge o sector privado de saúde, que acumula lucros fabulosos com a mesma velocidade a que o SNS se vai desintegrando, com a benção de um governo que até conta com um Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social que foi em tempos lobista ao serviço de um grupo privado de saúde. Por fim, cereja em cima do bolo, nomeia-se um ministro da Saúde com a sensibilidade de um tijolo que, confrontado com a fragilidade de um SNS que vê pessoas morrerem após longas esperas em corredores hospitalares com condições terceiro-mundistas, afirma convictamente que os serviços de urgências funcionam muito bem e que quem diz o contrário são comunistas com agendas obscuras. É uma questão de tempo. Acabar com o SNS é um desígnio desta direita “teapartizada”.

Comments

  1. Pois é!
    Deus nem sempre é nosso amigo e às vezes dá-nos governos PSD/CDS…

  2. joão lopes says:

    ultima hora:jesus “inspira” a coligação a acabar com o pobre,esse empecilho que estraga a “narrativa” cor de laranja/azul bebe.

  3. Alexandre Carvalho da Silveira says:

    Seria giro publicar o resto do projecto-lei, porque era disso que se tratava, para se perceber porque é que uns votaram a favor e outros votaram contra. Esse projecto-lei era uma aberração produzida pela cabeça de um alienado que não percebe nada de politicas de saude, e ainda hoje permite que o tratem por “pai do SNS”, o dr Arnaut.
    Essa lei nunca foi avante, até porque esse governo (Mª de Lurdes Pintassilgo) durou apenas meia duzia de meses. Depois veio a AD e aprovou a lei que lançou as bases do que hoje é o SNS que temos. Já agora para os espíritos menos informados: se tiverem de encontrar um “pai” para o SNS, então ele teria de se chamar Albino Aroso, porque foi ele que idealizou com base na experiência que tinha na sua especialidade, obstetricia e mortalidade infantil, e ajudou a implementar o SNS que temos, quer durante os governos da AD, com Paulo Mendo, do Bloco Central com Maldonado Gonelha e depois nos governos do Cavaco.
    Entre 1980 e 1995 anos em que se implementou o SNS em Portugal o PSD esteve sempre no governo. Dizer que o SNS é uma conquista da esquerda é uma falácia, e desde 1980 que o dr Arnaut anda nos media a dizer que a direita quer destruir o SNS. Coitado, só ele é que acredita nisso…
    A redução da mortalidade infantil é verdadeiramente uma conquista de Abril: Portugal tem uma das mais baixas de mortalidade infantil da Europa e isso deve-se muito ao trabalho de Albino Aroso, e evidentemente ao Serviço Publico de saude que temos.

  4. ZE LOPES says:

    Tem razão! Eu sou testemunha! O Dr. Albino Aroso, sózinho, e só com um enfermeiro ao seu serviço, só num ano fez mais de 40 mil partos! Não fosse algum médico comunista estragar o trabalho todo devorando uns tenrinhos ao pequeno-almoço com o intuito de boicotar o que a AD andava a fazer!

    • Alexandre Carvalho da Silveira says:

      Vou aqui perder 3 minutos para ver se lhe ilumino um bocadinho essa mona: o aborto que serviu de tema a este post foi publicado salvo erro em junho ou julho de 1979, e depois o governo caíu. Em outubro foram as eleições que a AD ganhou. Podemos portanto concluir duas coisas: 1ª o governo Pintassilgo não fez ABSOLUTAMENTE NADA em relação a este projecto de lei porque caíu dois meses depois de o publicar; 2ª quem pôs o Serviço Nacional de Saude a funcionar foram os governos da AD entre Janeiro de 1980 e junho de 1983, o governo PS/PSD até agosto de 1985 e depois os governos do Cavaco até outubro de 1995. Quer dizer: durante os 15 anos em que o SNS foi implantado em Portugal, o PSD esteve sempre no governo e o PS apenas lá esteve dois anos e mesmo assim coligado com o PSD. O PCP e a UDP nunca lá estiveram! Como é que é possivel virem aqui dizer que o SNS é obra da esquerda e que direita não quer o SNS? A direita não quis o SNS demagogo previsto por um alucinado que não percebe nada de politicas de saude, e refiro-me ao dr Arnaut!
      Ao shô Ze Lopes recomendo-lhe um bocadinho de respeito pela memória do Doutor Albino Aroso, porque se calhar o shô Zé Lopes anda neste mundo, porque o Dr Aroso tratou da mãezinha dele, ensinando-a a tomar determinadas precauções, nomeadamente ao nivel da higiene femenina.
      O Dr Aroso andou anos a fio num carocha, acompanhado por uma enfermeira por esse Portugal profundo fazendo consultas de planeamento familiar, convencendo as mulheres grávidas a irem ao médico e a terem os filhos nos hospitais. Salvou assim muitas crianças da morte certa, e muitas vezes também as próprias mães.
      O Doutor Albino Aroso e a obra que deixou à população portuguesa, merece todo o nosso respeito.
      Percebeu?

      • ZE LOPES says:

        Realmente tenho de dar o braço a torcer…Foi efetivamente o Dr. Arosos que ensinou higiene à minha mãezinha e a convenceu a ir ao médico e ao hospital…Já V. Exa. é de outra geração, as mães já não arriscavam a ficar-se por aí…aposto que foi gerado no próprio consultório do Dr. Aroso!

  5. Da Silveira, mandaram – te vir cá ou vieste pelos teus pés.

    • Alexandre Carvalho da Silveira says:

      O adelinoferreira45 vem a seguir ao Zézito44. Não tens melhoras nenhumas, ó 45: despe as calças que és a seguir.

      • joão lopes says:

        se foi o PSD que criou o SNS,então mais uma prova que o PSD actual já nada tem a ver com o PSD de 79,não tem nada a ver com Social Democracia,e está inclusive cativo de radicais extremistas,porque o PSD actual quer realmente desmantelar o SNS criado pelo proprio.

        • Alexandre Carvalho da Silveira says:

          Quando dentro de uns meses terminar o tsunami governativo que nos estão a preparar, então é que nós vamos ter oportunidade de ver quem quer destruir o SNS.
          Por outro lado, também vamos poder constatar que a Social-Democracia se transferiu para o Bloco de Esquerda. O PCP fica-se apenas pelo Socialismo Democrático, coisa que ninguém sabe o que é, mas que o PS defende desde que abandonou o Marxismo-Leninismo no célebre congresso do Pavilhão dos Desportos.
          Os próximos tempos se não fossem tão trágicos, seriam um bom pretexto para a gente se fartar de rir.

          • joão lopes says:

            confirma que o actual PSD abandonou realmente a social democracia,para se teapartizar o que é pena,ate porque devido a este radicalismo ,os votantes potenciais do PSD passaram-se para o PS/BE.e olhe que tenho falado com muitos votantes habituais do PSD,que se estão realmente a “passar-se” com a governação do MAC,relvas e Portas.

        • Alexandre Carvalho da Silveira says:

          Com quem os eleitores estão mesmo entusiasmados é com o PS e principalmente com o Costa. Depois de passar quatro anos a pedir sacrificios aos portugueses ganhar as eleições com quase 40% dos votos e ficar a meia duzia de deputados da maioria absoluta é realmente um enorme sintoma de que o eleitorado do PSD está a “passar-se” com a governação dos últimos anos. É estórdinario!
          Depois da passagem da troika, até o Pato Donald se fosse líder do PS ganhava as eleições com maioria absoluta. Só um grande politico como o Costa é que as perdeu. Copiosamente!

          • joão lopes says:

            é estórdinario(???!!!) que o PSD não perceba que 43% não foram votar,que apenas 1/5 da população portuguesa tenha votado numa coligação(!!!???),e ainda mais estordinario que a actual direção do PSD não oiça os seus proprios militantes,o que é uma enorme falta de democracia…dentro do PSD(Ferreira leite já “provou” os valores “democraticos” do MAC/relvas)

Trackbacks

  1. […] tão genuinamente preocupados, a falar na asfixia e paralisação do SNS. Os tais que no passado votaram contra a criação desse mesmo SNS, que permitiram o caos nas urgências hospitalares no Inverno de 2014/2015 e que, meses depois, […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s