Cavaco Silva, o rancoroso líder da oposição

Cavaco Sistino

O dispendioso monarca de Belém relembrou ontem os portugueses que mais do que um indivíduo a brincar aos presidentes da República, Cavaco Silva é uma espécie de presidente do conselho que ainda recebe visitas apesar de já não mandar nada. Aterrado pelo afastamento do delfim Coelho, Cavaco regressou aos discursos marcados pelo ressentimento e não perdeu a oportunidade de avisar António Costa de que apesar de não poder dissolver o Parlamento, ainda dispõe de alguns poderes, referindo-se obviamente à possibilidade de demitir o governo e vetar, por exemplo, o Orçamento de Estado. Cavaco fará o que estiver ao seu alcance para dificultar a vida do novo governo. O rancor, que como sempre se sobrepõe ao interesse nacional, a isso o obriga.

Hipócrita, Cavaco Silva falou num governo que tomava posse na sequência de uma crise política da qual ele foi o maior obreiro, não só quando indigitou Passos Coelho sabendo o que sucederia mas também quando decidiu ir passear para a Madeira em vez de assumir as devidas responsabilidades e envidar esforços para que a crise política por si criada fosse rapidamente ultrapassada, porventura na esperança que as ruas se insurgissem e os mercados apertassem o garrote à nação. Correu-lhe mal, de resto como quase tudo o que tem feito ultimamente.

O discurso de ontem foi um discurso de líder de oposição, agora que os seus descendentes se encontram reduzidos à irrelevância política, reféns da propaganda que continua a negar a democracia representativa e a colocar a nu as fragilidades daquilo que restou de um governo radical e prepotente, que optou por infligir aos portugueses mais sacrifícios do que aqueles que lhes haviam sido exigidos, que enganou os portugueses desde a campanha de 2011 até ao curto período em gestão que ontem cessou e que distribuiu lugares aos amigos, contrariando aquilo que Passos Coelho havia dito na campanha de 2011, até ao último dia no poder. Resta-lhes Cavaco, o semi-deus. Até que em Janeiro caia da cadeira e seja substituido por um Presidente da República.

Comments

  1. otto solano says:

    O que se espera dum ex-AGENTE da PIDE a fazer de PR !!!!!

  2. joão lopes says:

    o sr.silva sempre defendeu uma seita de meia duzia de gabirus que frequentam o gambrinus…por isso mesmo amaeça com o veto para um OE ,tramando a vida de milhoes para manter a casta a comer a 70 euros a dose(porque é apenas nisto que esta malta pensa,nos chef`s e nas estrelas michelin,tudo muito chique,pois claro)…já agora a casta é dominada pelo eixo restelo-cascais.

  3. Rui Moringa says:

    Tipicamente um tuga, presunçoso, sem razão para tal, (pensa que percebe de economia por ter um doutoramento) e a querer fazer as escolhas por nós.
    Ninguém lhe pediu conselhos…

  4. Rui Moringa says:

    Ah, parece que o Sr. Presidente pertence a uma organização de nome trilateral que é uma secursal do clube de bilderberg.
    Essa trilateral não anda a fazer boa coisa….

  5. António Melo says:

    Cavaco é o político mais nefasto e daninho que assombrou a vida pública portuguesa nos últimos trinta anos; como primeiro-ministro hipotecou irremediavelmente o futuro do país, deslumbrado pelo maná dos fundos comunitários que lhe permitiram atapetar o país a betão, ao mesmo tempo que desmantelava a agricultura, as pescas e a indústria a troco dos pratos de lentilhas enviados de Bruxelas. Um cobarde sem moral, sem inteligência e sem cultura. Como Presidente da República foi uma desgraça a somar ás desgraças que nos aconteceram : sonso, velhaco, permanentemente rodeado de conspiradores, enredado nas suas próprias contradições, disponível para ser um chefe de facção e para torpedear tudo e todos aqueles que não o reverenciaram. Acaba tristemente o seu mandato, sem dignidade nem honra, politicamente morto e moralmente ferido. Como disse um dia Clara Ferreira Alves, percebemos agora o que é o cavaquismo : um deserto com um homem lá no meio. Que venha pois o próximo Presidente. Precisamos de respirar ar puro.

  6. Joao says:

    Hoje é para mim muito claro.o problema ja não é só Cavaco.
    Quem o apoia e o defende nao pode ser boa pessoa.

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Tem toda a razão caro João.
      Um ser inculto, incapaz de articular um raciocínio, vingativo, mal formado, péssimo gestor e economista nulo (ou então pouco honesto), depois do que afirmou sobre a situação do BES uns dias antes do colapso, um político irresponsável que vem para a televisão de um país de pobres dizer que com 10.000 euros mensais não governa a sua casa e que, apesar destes dialates todos teve:
      1 – Duas maiorias absolutas como PM
      2 – Duas maiorias absolutas como Presidente,
      só pode ter o apoio de gente insensível, desmiolada e sem memória.

  7. Rui Moringa says:

    Corrijo:
    O Sr. Presdidente não consta na lista da trilateral.
    Creio que já lá esteve, contudo…
    Estão, na lista, umas personagens curiosas…
    Fica aqui a ligação:
    http://trilateral.org/download/files/TC_list_11_15.pdf
    Divirtam-se


  8. EU e mais uns bons milhares que não votaram nesta besta quadrada.tivemos de suportar esta odiosa figura . porque os outros ou não tem memória ou pertencem há quadrilha de parasitas que vivem há conta dos fundos comunitários .