Afinal, o Trump é nosso amigo!


epp-politico4

Propaganda do Partido Popular Europeu, o maior no PE

Um argumento tão dilecto como demagógico dos paladinos do acordo de “comércio livre” e investimento com o Canadá, o CETA, – que o Parlamento Europeu se prepara para votar no próximo dia 15 de Fevereiro, podendo desde logo entrar provisoriamente em vigor – é a descomunal afinidade de valores entre o Canadá e a Europa.

Essa intensa comunhão de valores não poderia pois deixar de ser invocada pela deputada Lara Martinho do PS, pelo deputado Mota Soares do CDS-PP e pelo deputado Carlos Costa Neves, do PSD, durante a apreciação da petição pelo debate do CETA na Assembleia da República, no passado dia 12 de Janeiro. Costa Neves, aliás, entusiasmou-se particularmente nessa parte, bradando contra os partidos que apresentaram projectos de resolução de rejeição do acordo (BE, PAN, PCP e PEV): “Com o Canadá, vejam bem! (…) Ou será exactamente por isso que essas esquerdas são contra este acordo, será exactamente por ser com o Canadá e por o Canadá ser como é?”

Não Sr. Carlos Costa Neves, não é por ser com o Canadá, pelo contrário, o movimento de protesto contra o CETA está em tudo solidário com os cidadãos canadianos que rejeitam este acordo, porque já sofrem na pele as consequências do NAFTA. Acontece, sr. deputado, que, por muito querido que o Canadá seja, também lá há investidores gulosos (até porque se trata de uma raça de tubarão internacionalista) e poderosos que sabem usar os tribunais arbitrais (do tipo do que o CETA contém) para processarem estados pela aprovação de leis em defesa do interesse público e ambiental, exigindo indemnizações milionárias, que são pagas pelos cidadãos. E que, via CETA, não só os investidores canadianos, mas também as multinacionais dos EUA vão ficar habilitadas a essas lotarias, porque lhes basta ter uma sede no Canadá para poderem usar o mesmo mecanismo – e olhe que são muitas, senhor deputado, e gigantescas, veja só:

 multi-americanas2

E, sr. deputado, saiba que apesar de tão chegado a nós, o Canadá não reconhece o princípio da precaução consagrado no artigo 191.º do Tratado sobre o Funcionamento da UE; e que é um dos maiores produtores do mais sujo petróleo do mundo; e que esse mesmo Canadá já intentou acções judiciais junto da Organização Mundial do Comércio, contestando a legislação da UE e dos Estados-Membros (litígios sobre organismos geneticamente modificados (OGM), uso de hormonas em carne de bovino, produtos derivados de foca e amianto) e que tem um longo historial de oposição a leis europeias fundamentais (REACH, pesticidas, qualidade dos combustíveis).

E saiba ainda que com o mecanismo de cooperação legislativa previsto no CETA, destinado a rever e harmonizar as regras das partes, vai ser canja reduzir os actuais padrões da UE sem a gente dar por ela – antes de ser tarde demais.

Mas tudo isto é absolutamente irrelevante para si e para o seu partido, sr. deputado Carlos Costa Neves, porque o Canadá é amigo.

E como o Primeiro Ministro deste transatlântico país amigo, Justin Trudeau, está inteiramente de acordo com a decisão de Donald Trump, de dar luz verde ao relançamento do controverso oleoduto Keystone XL e sendo sabido que “os amigos dos nossos amigos, nossos amigos são”, afinal de contas … às tantas o Trump também é nosso amigo, pessoal! E nós para aqui a chamar-lhe doido, se isso se faz aos amigos!!!

Comments

  1. que interessante “patriotismo” e HUMANISMO nortearão a defesa destas arbitrariedades consignadas no CETA, e quais os interesses pessoais destas cabeças “brilhantes”, para vender a saude politica e económica dos estados membros e dos seus cidadãos?Se existir legislação que prejudique os lucros previstos ou inviabilise venda de produtos com matérias pouco recomendáveis para a saúde e ambiente, vai-se para tribunal arbitral e exigem-se indemenizações. Se os lucros EXCEDEREM os previstos…se os produtos causarem más-formações, doenças crónicas ou morte……????? Perguntas desnecessárias de estúpidos e ignorantes cidadãos tão?? bem???? representados nos parlamentos nacionais e europeus, a quem brilhantes e “desinteressadas” cabeças brilhantes não se dignam responder.

  2. Ainda estou à espera..... says:

    Já cumpriram o indicado ?
    Ainda não?
    Estão à espera de quê?

    http://www1.ci.uc.pt/ihti/proj/docs25a/MFA1-1.HTM

  3. Na muche, Ana Moreno. Obrigada por mais este esclarecimento bem claro da trama que é o CETA, a servir os EUA bem melhor do que o TTIP. Por isso, o TTIP, durante o último ano, ter servido para desviar a atenção das populações do real Cavalo de Troia, o CETA. Lembro que existe a possibilidade dos cidadãos pressionarem os eurodeputados e, em Portugal, pena que até ao momento, muito poucos o fizeram, ou esqueceram-se de validar o seu pedido na mensagem que receberam no e-mail.
    Lembro, 23.000 cidadãos assinaram a ICE (iniciativa europeia contra o TTIP e o CETA), 5.313 cidadãos subscreveram a petição que requeria o debate do CETA na AR, mas pouco mais de 1100 pediram aos eurodeputados para VOTAREM CONTRA O CETA!
    Façam o CETA Check e não se esqueçam de validar no mail: https://www.nao-ao-ttip.pt/ceta-check/

  4. José Oliveira says:

    Gostava só de acrescentar que os srs. deputados que consideram o Canadá “nosso amigo”, deviam ler nosso o artigo sobre “O mais recente paraíso fiscal global” que explica como esse mesmo país é hoje o mais apetecível reduto dos maiores criminosos e especialistas em evasão fiscal do mundo.
    Valores comuns? Ora…ora…
    José Oliveira
    Plataforma Não ao Tratado Transatlântico

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s