Nepotismo americano


trumps

Podia ser uma grande produção hollywoodesca mas não é. Está mesmo a acontecer. O discurso incendiário, o muro, a confrontação, o insano do Bannon, a sucessão de tweets, o Putin, o fecho selectivo de fronteiras, o inimigo árabe, com o devido regime excepcional para a Arábia Saudita, o Brexit, a Le Pen. De um momento para o outro, o mundo está virado de pernas para o ar. Em Bucareste há quem tente liberalizar a corrupção. Em Moscovo legaliza-se a violência doméstica. Vale tudo. Até arrancar olhos.

Na nova América de Trump, há algo de José Eduardo dos Santos no ar. O genro de Donald, Jared Kushner de seu nome, é um tipo que pelos vistos faz bons negócios e casou com a filha do homem mais poderoso do mundo, era ele ainda apenas um dos homens mais poderosos do mundo. Agora é conselheiro da administração norte-americana. Só pode ter sido por mérito.

A esposa do conselheiro, Ivanka Trump, é uma jovem empreendedora que, entre outros investimentos, possui uma linha de roupa, que por estes dias foi dispensada pela cadeia Nordstrom, que alegou quebra de vendas. O papá, sentado na Sala Oval, pegou num tweet e atirou-o à Nordstrom. As acções da empresa subiram em flecha e a empresa cresceu 450 milhões de dólares em valor de mercado de um dia para o outro. Toque de Midas Trump.

É então que entra em cena a alucinada Kellyanne Conway, uma espécie de Michael Kelso do mal, que inventa massacres que não aconteceram e tem um espaço diário na Fox News para dizer parvoíces. Mais uma conselheira de topo do reino de Trump.

kc

Disse a indivídua, num daqueles púlpitos que vemos nos telejornais, com a bandeira e o selo da Casa Branca por trás, que não gosta de fazer compras mas que ontem ia fazê-las. E porque? Porque os produtos da Ivanka são fabulosos! Vai daí começa um momento de publicidade gratuita para o negócio da filha do presidente, algo que de resto foi abertamente assumido pela conselheira. Reality show.

Segundo a lei americana, caso ela ainda vigore, usar funções oficiais para promover produtos é ilegal. Nada que deva preocupar a mulher que deu ao mundo a verdade absoluta dos factos alternativos. Se funciona em Angola e noutras paragens, porque não há-de funcionar lá?

*****

P.S. Não é que tenhamos grande moral para falar. Em Portugal não faltam papás poderosos no sector público a arranjar empregos e negócios para filhos e amigos. Claro que assusta mais quando acontece na potência que governa o mundo.

Comments

  1. Helder P. says:

    Sofia não fica na Roménia. Devia querer dizer Bucareste?

    De resto, bom texto. Há algo de muito surreal em tudo isto, Trump Presidente não é diferente do Trump reality show. Um homem de 70 anos que se comporta como uma criança de 10 e faz birra por tudo, porque não está habituado a ser contrário em nada.
    Alguém que lhe cancele as próximas temporadas…

    • Grande lapso! Obrigado pelo toque 🙂

      Quanto ao Trump Show, era bom que o tirasse do ar mas vamos ter que o aturar. E não descarto a possibilidade de reeleição, principalmente se a oponente voltar a ser a senhora Clinton…

      • Hélder P. says:

        Eu não descarto a hipótese de destituição. A questão é que com Pence não penso que ficaríamos melhor servidos. Seria menos mediático e provocador e mais respeitado internacionalmente mas tem o mesmo pensamento que The Donald. A cartilha Bannon é para cumprir.

        Para 2020, fala-se no Biden como candidato Democrata. O Bernie Sanders já será demasiado velho, infelizmente.

  2. Em França Fillon não está a ser acossado pelo facto propriamente dito de contratar a mulher, mas pela possibilidade da senhora ter recebido sem trabalhar, ou estar a receber do Estado, trabalhando para o partido. Ao que parece nomear familiares para cargos públicos é absolutamente normal e nem a moralista FN escapa…
    Mesmo em Portugal, olhe-se para as bancada dos partidos, não vou nomear nomes porque vocês sabem quem são, e vejam quantos apelidos não vos são familiares. Mas não olhem para a bancada do partido que não gostem, olhem para todas…
    Na América isto vai dar problemas a Trump e algo me diz que Pence ainda irá prestar juramento como Presidente dos EUA… É que nem se atrevam a comparar nesta matéria os EUA com a Europa…

Trackbacks

  1. […] mundo cruel, hoje governado por um lunático de extrema-direita que “gere” em função dos seus int…, ver o barco laranja ir ao fundo é daquelas coisas que me dá algum alento. Já não há […]

  2. […] discórdia, muros, ameaças militares no tom mais grunho de que há memória, xenofobia, nepotismo, “factos alternativos”, o “massacre” de Bowling Green, o atentado na Suécia – Sweden, […]

  3. […] homem dá por si a actualizar-se sobre o que se passa no mundo, e descobre que Ivanka Trump, a filha do presidente norte-americano cujos produtos foram ilegalmente promovidos pela alucinada con…, foi escolhida pelo pai para liderar um painel de especialistas que irá rever a posição dos EUA […]

  4. […] a oportunidade para integrar as filhas e os genros nos quadros da Casa Branca, acrescentando o nepotismo às muitas virtudes do seu “novo” […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s