O melhor emprego do mundo sem ter que trabalhar

Ao lado do exemplo das condições de trabalho deste trabalhador, ser político de carreira em Portugal é para meninos e só dá chatices.

Um enorme embaraço para PCP e Bloco

avjs

Não votei no PS mas votaria de boa vontade num projecto que envolvesse, em regime pré-eleitoral, uma aliança entre os três partidos que hoje concertam posições na Assembleia da República. Se é para estarmos sob chantagem da Europa, reféns do terrorismo financeiro, antes um governo que garanta alguma dignidade aos portugueses do que uma caranguejola de sabujos da precaridade, a salivar por mais empobrecimento e pelo desmantelamento do Estado Social.

Agrada-me particularmente que esta aliança não tenha descaracterizado os partidos que a constituem, em especial PCP e Bloco, que não deixaram de colocar o executivo de Costa contra a parede sempre que tal se exigiu, sendo o caso mais recente aquele que envolveu a tentativa de descida da TSU como moeda de troca para o aumento do salário mínimo. Ao contrário deste PSD, com a sua espinha dorsal de caracol, PCP e Bloco sempre foram contra tal possibilidade e, porque não são um CDS oportunista, assim se mantiveram. A medida foi chumbada, Costa apresentou um plano B e a questão parece agora resolvida. [Read more…]

Um exemplo de cidadania

Numa altura em que as questões de integração/segregação estão na ordem do dia, há quem, de forma discreta, esteja a promover o acesso à Cultura (teatro, museus, monumentos, espectáculos,etc).  Esse acesso é entendido, e bem, a três níveis, acesso físico, social e intelectual.

Estou a falar da Acesso Cultura (https://acessocultura.org) uma associação sem fins lucrativos de profissionais da cultura e de pessoas interessadas nas questões de acessibilidade (física, social e intelectual). Fazem um trabalho exemplar, tentando colocar as questões de acesso na ordem do dia. Maria Vlachou, uma das fundadoras, explica aqui o que fazem.

Muitos parabéns!

O ano em que a extrema-direita voltou ao poder

 

Ouço com incredulidade as notícias do que Trump diz e faz. De mansinho, como um elefante entre porcelanas, o KKK, os fanáticos religiosos, os negacionistas ambientais, o populismo, a perseguição aos emigrantes, a tortura, a mentira descarada e todo o mal que a extrema-direita encarna chegou ao poder na América, pela mão de Trump.

Deste lado do Atlântico ouvem-se vozes preocupadas com a possibilidade da Le Pen poder chegar ao poder. Mas isso já aconteceu entre os amaricanos. Sem disfarçar, escroques como Geert Wilders, Frauke Petry, Nigel Farage e Marine Le Pen falam abertamente ao que vêm e, pior, têm apoiantes.

Entretanto, enquanto Trump vai destabilizando os EUA e o mundo, há quem se pergunte até onde isto irá. A resposta é clara – basta ver o que outros fizeram. Quando esse momento chegar, Trump irá para a guerra. A memória das pessoas é o seu principal inimigo. Maus anos se aproximam.

Ajustes directos à lupa – Vila Nova de Gaia

Ajustes directos à lupa - Gaia

O total de Ajustes Directos realizados pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia durante o presente mandato – sem contabilizar as empresas municipais e outras entidades dependentes do Município – foi de 22.668.321,08 euros. Um número impressionante.

O maior Ajuste Directo do actual mandato atingiu o valor de 340.000,00 euros – foi contratado a 28 de Dezembro de 2016 – tendo beneficiado a empresa Espalha Ideias com vista à prestação de serviços no âmbito da formação, segurança e desenvolvimento de atividades aquáticas nas piscinas municipais, no concelho de Vila Nova de Gaia.

Já no que toca a Concursos Públicos, matéria não analisada nesta rubrica do Aventar, é de assinalar que foi durante o actual mandato (2013/2017) que se bateu o recorde de um só contrato, em Agosto de 2015, com um valor de 12.667.680,00 euros adjudicados à empresa Gertal, firma pertencente à Sociedade Trivalor, condenada em 2009 pela Autoridade da Concorrência a uma multa de 14,7 milhões de euros por cartelização no negócio das refeições nas cantinas escolares. Para se ficar com uma ideia da importância desta adjudicação em particular, refira-se que o concurso com o segundo montante mais elevado foi de apenas 1.995.270,68 euros, para um contrato de seguros. [Read more…]

Rejubilai! As touradas estão a morrer

tourada

Desde o final da década passada, o número de touradas realizadas em Portugal tem vindo a diminuir de ano para ano. Em igual trajectória, estes espectáculos de violência e morte perderam milhares de espectadores em poucos anos: em 2008, segundo números do IGAC, as touradas levaram aproximadamente 700 mil portugueses às arenas. Em 2016, o número foi reduzido para perto de metade. Um declínio que se saúda.

Perante esta realidade, é expectável que as touradas acabem mesmo por morrer, ainda que de morte lenta e demorada, o que infelizmente ainda custará a vida a centenas de animais indefesos que continuarão a ser alvo da brutalidade de uma tradição sem nexo. Não obstante, o crescente desinteresse dos portugueses pelo entretenimento da tortura é um sinal positivo e animador. Estamos no bom caminho e só se lamenta que o enfermo continue a ser medicado. Desliguemos-lhe as máquinas. Ou eles que se toureiem uns aos outros.

Cartoon@No Limiar das Palavras

Isto sim, é futebol! A qualidade resolve.

Atlético 1-2 Barcelona – 1ª mão das meias finais da Copa Del Rey

Momento 1: Primeira parte desastrosa do Atlético. Displicência na troca de bola a meio-campo. Falta de criatividade. Incapacidade de romper o bloco médio-baixo que os catalães montaram para impedir os desequilíbrios entre linhas que Griezmann e Yannick Ferreira-Carrasco conseguem criar. Excelente colocação de Mascherano à frente da defesa para obrigar o Atlético a uma circulação previsível para a ala esquerda, ala em que Felipe Luis é rei e senhor e monopoliza grande parte da construção do Atlético. Reacções péssimas à perda de bola, facto que é incaracterístico aos processos defensivos de Diego Simeone. E Luis Suarez a aproveitar o erro para facturar o primeiro com a classe que lhe é inegável, num lance de magia, rodeado de 4 jogadores que não conseguiram pressionar ou em último recurso, cometer a falta cirúrgica.

[Read more…]