Praxes académicas em Braga


praxe_braga_universidade_minho

© ?

Ricardo Luís Sant’Anna

Ontem antes de ir dormir dei de caras com esta fotografia.
Nela podemos ver um grupo de estudantes de Biologia Aplicada da Universidade do Minho faz uma praxe. Até aí nada de novo; o que me deu a volta ao estômago completamente foi reparar que um dos praxados ostentava uma braçadeira do partido nazi! Não era apenas a imagem de uma suástica, utilizada por inúmeras culturas ao longo dos milénios, mas a típica braçadeira vermelha, com a suástica preta em círculo branco.
Não há possibilidade de engano.
No passado dia 27 de Janeiro celebrou-se a nível mundial o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, e ontem, dia 9 de Fevereiro, os alunos da prestigiada Universidade do Minho andavam a brincar.
Duvido que tenha partido do caloiro.
Não é admissível que isto aconteça no tempo em que vivemos, muito menos em supostos estudantes do ensino superior que tem por obrigação conhecer um mínimo de história.

Estamos a tornar-nos em bestas insensíveis?

Comments

  1. Luís says:

    A suástica é repugnante e reveladora do tipo de pessoas que fazem e aceitam as praxes.
    Mas quando vejo todos os anos jovens adultos a marcharem como nazis, gritando obscenidades e cantando brejeirices ordinárias como se fossem donos da cidade, já não fico surpreendido.
    No centro da cidade é vulgar vê-los a fazer flexões, a rebolarem no chão e a rastejarem, no melhor estilo militar, perante a surpresa dos turistas e a indiferença/constrangimento dos cidadãos.
    Como parece que acabar com as praxes é uma missão impossível, tal como acabar com a estupidez de quem a pratica e de quem a aceita, sugere-se que acabem com este triste exibicionismo fora da vistas dos cidadãos, principalmente crianças e turistas.

  2. Fernando Antunes says:

    Este actos anormais de bestialidade dos futuros doutores e e engenheiros não devia ser permitida em locais públicos.

    Se pensarmos um pouco, muitos destes actos (como o exemplo execrável e assustador da foto) se não estivessem abrangidos por uma espécie de inimputabilidade associada à “tradição da praxe académica”, seriam considerados ofensivos da moral e da dignidade humana e dos mais salutares conceitos de civismo de uma sociedade decente, e seriam passíveis de condenação em tribunal.

    A bem dos valores mais altos da “tradição” (na verdade, uma invenção bem recente, que não tem nada a ver com valores académicos, mas talvez com outras tradições mais ancestrais de humilhação e submissão), prevalece a atitude bem portuguesa do laxismo.

    • Oliver says:

      Infelizmente vivi perto da UM, bem perto de onde essa fotografia foi tirada e não posso deixar de concordar. Cheguei a ter de ir perguntar a uma doutora uma vez se achava que era normal tratar as caloiras por putas, vacas e outras festinhas verbais que tal, se achava normal estar a fazer isto a outra pessoa e a resposta dela, já de olhos bem pregados no chão, foi que como lhe tinham feito aquilo agora era a vez dela. De realçar que esta infeliz pessoa era do curso de Educação e vai estar um dia responsavel por educar como foi educada. Já que se admite que a tourada é uma barbárie, não entendo como é que esta merda continua.

  3. Delfina Nascimento says:

    Condenável! Por isso o mundo anda às avessas.

  4. Nao digo says:

    triste é ver que a perseguiçao contra a praxe continua… triste é ver que os burros são voces que continuam a pensar que todas sao iguais… triste é todos vocês continuarem a criticar sem nunca experimentar… triste é a sociedade em que vivemos atualmente ainda ter estas atitudes… MAIS triste ainda é que possivelmente os mesmos que criticam a suástica, sao contra os negros e homossexuais, um resto de uma boa semana, e abram os olhos para a vida, e comentem realmente aquilo em devia ser comentado.

  5. artur says:

    Sois todos uns acéfalos, será que ninguem consegue perceber a ironia daquele simbolo num curso de Biologia Aplicada?
    Será que homens e mulheres adultos não consegue perceber uma mensagem (irónica e humoristica) que se está a tentar fazer passar, pelos alunos de biologia aplicada?? (é este curso não é o curso de engenharia textil (por exemplo))
    Senão conseguem entender isto, então são muito Salazaristas, visto que este tipo de ironias foi r´pródigo nas praxes antes do 25 abril nas praxes académicas.

    EU explico a mensagem que os alunos estavam a tentar passar aos caloiros de forma ironica e humoristica, O TEU CURSO E O CONHECIMENTO QUE VAIS ADQUIRIR PODE SER UTILIZADO PARA FINS MALÉFICOS NÃO TE PERCAS!
    Mas é mais fácil fazer uma leitura basicazinha, acéfala em que não seja preciso pensar muito, e fazer comentários a seguir o rebanho, olhem pelo menos os nossos jovens pensam, BOM SINAL

    Não sou de Braga, não tenho ninguém conhecido a estudar em Braga, nem ninguém conhecido a tirar Biologia Aplicada

Trackbacks

  1. […] Uma braçadeira vermelha com uma cruz suástica utilizada durante a praxe académica do curso de Biologia Aplicada da Universidade do Minho (UMinho) tem gerado polémica, depois de algumas fotografias terem começado a ser partilhadas nas redes sociais e em alguns blogues. […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s