Antoine Griezmann e a crise no Valência


O avançado francês fez o que quis da defesa ché. No lance do primeiro golo do Atlético chega a ser dramático para quem vê, sabendo de antemão a qualidade dos jogadores do Valência a forma displicente em como o avançado gaulês consegue sair da primeira linha de pressão por falta precisamente de capacidade (mesmo até de vontade e de atitude), como ninguém sai a Koke no momento de transição e como Griezmann vindo de trás tem todo o tempo do mundo para passar pela defesa do Valentia sem que alguém o acompanhe.

A equipa de Cesare Prandelli mete dó. 

Não pressiona, não acerta uma marcação, não defende com agressividade não sabe sair a jogar a partir da sua área, não acerta uma transição, não cria uma única jogada de perigo. Estamos a falar de uma equipa constituída por jogadores como Diego Alves, João Cancelo, Mangala, José Gaya, Siqueira, Garay, Dani Parejo, Enzo Perez, Simone Zaza, Nani, Santi Mina, Rodrigo Moreno, Fabian Orellana, entre outros, devidamente inseridos num projecto, o de Peter Lim, projecto que objectivava, aquando da compra do clube pelo investidor asiático, voltar a dotar o clube de condições para lutar pelo título.
,
Se os jogadores são bons, e os treinadores que passaram pelo clube desde que Lim o adquiriu (salvo a excepção anedótica chamada Gary Neville) são razoavelmente capazes, o que é que está a faltar\falhar no clube valenciano?

Simples: uma estratégia de formação de uma equipa que privilegie a construção de uma equipa competitiva a longo prazo, ao invés da estratégia mercantilista que actualmente vigora no clube. O Valência tem sido nas últimas temporadas um clube que contrata única e exclusivamente a pensar na valorização de jogadores, jovens e vedetas caducas do futebol, para encher, sem olhar ao presente e futuro do clube, os bolsos do seu proprietário e do seu braço direito Jorge Mendes.

Foi precisamente isto que Roberto Ayala revelou nestas declarações.

Esta estratégia é obviamente muito perigosa para o futuro do clube. Por mais dotes comerciais que tenha o super agente português, existe um pormenor para o qual olham todos os directores desportivos dos grandes europeus antes de contratar um jogador: é ou foi campeão nos últimos anos? Estando o Valência arredado dos títulos, os jogadores vendidos valerão menos e no dia em que não renderem as divisas suficientes para continuar a motivar Lim a enterrar capital, o investidor oriundo de Singapura deixará Valência, deixando na cidade o clube na situação em que se encontrava no momento da sua chegada: falido, carregado de passivo, sem activos e sem uma equipa competitiva.

Comments

  1. No capisco. A lista tem muitos jogadores do Benfica, a acreditar no pasquim A Bola estariam na nata do futebol mundial.

  2. db@db.pt says:

    Eu a pensar que o post desta semana do Sr. Branco seria com um frame do momento em que o Esgaio fez um penalti que se via da lua… Afinal teve que ir ver futebol espanhol… Estou desiludido.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s