Acho bem.


Carlos Costa pede para ser ouvido para se defender de “acusações distorcidas”. Haja deputados que se preparem.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    O Dr. Carlos Costa é incompetente, tal como já o era o Dr. Vítor Constâncio. Aqui, a sua incompetência nada tem a ver com a sua maior ou menor competência técnica como economista. Isso nunca esteve em causa. Tem sim a ver com a forma como ele impõe aos bancos as regras da regulação e as faz cumprir à risca, usando todos os meios ao seu dispor.
    Toda a gente está farta de saber que o Senhor não pode ser demitido, a não ser por uma falha grave.Este conceito é muito abstracto porque não está tipificado. Quem determina as falhas graves é o governo português, mas depois de consultado o BCE, que pode discordar dos argumentos apresentados.
    No presente, com Portugal a sair dos procedimentos de deficites excessivos, começando a resolver os problemas do sistema financeiro, que tinham sido atirados para baixo do tapete, de estarmos de facto a ser mais credíveis aos emprestadores de “carcanhol”, demitir o governador, para lá colocar outro incompetente igual, acho um erro.
    A não ser que o queiram promover como fizeram ao Dr. Constâncio?
    Agora, percebe-se que ao PS dá-lhe jeito manter esta pressão sobre Carlos Costa, ainda que ela venha mais dos seus parceiros de coligação. Carlos Costa está umbilicalmente ligado ao anterior governo, em particular ao trio, Maria Luiz Albuquerque, Passos Coelho, e Cavaco Silva, esse “iluminado escritor”, que conseguiu nas vésperas da falência do novo banco, dizer que o BES era seguro e recomendava-se.
    Manter esta agenda viva, e andar com ela a rolar pelas comissões de inquérito, dá muito mais jeito à esquerda do que os sms de Centeno.

    • Rui Naldinho says:

      …dizer nas vésperas da falência do BES, que este era um banco seguro e recomendava-se…

      • martinhopm says:

        ‘Nunca me engano e raramente tenho dúvidas’ Quem ousa duvidar de tamanha sapiência?! Que interessa que não soubesse quantos eram os cantos de ‘Os Lusíadas’? Mas em compensação, em economia, ninguém, nem aqui, nem ao redor do mundo, lhe levava a palma E então quando o homem de Boliqueime ‘falava oralmente’ era um livro aberto. Ditosa Pátria…

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s