Assinou de cruz, com a que reciclou do voto

Cristas aprovou projecto de resolução do BES sem o ler“. Cada cavadela, cada minhoca. 

Conselheira de Trump diz que Obama espiou-o através do microondas

É possível.

Jogar às cartas com a CIA

A espionagem norte americana achou que valia a pena vasculhar os computadores dos informáticos e, por isso, construiu uma ferramenta de hacking dirigida a um dos editores mais usados por estes profissionais, o Notepad++. Para isso, construiu um pedaço de software, semelhante ao original e que é carregado pelo Notepad++ quando este começa a correr (detalhes).

O que espera a CIA encontrar no computador de um programador? Possivelmente, fotografias de miúdas, ou não fosse essa a forma como o Facebook começou. A parte perturbante em todo este processo é, um dia, estamos a jogar Solitaire e descobrirmos que, afinal, não estamos sozinhos. Your turn, Dude – ouviu-se em timbre metálico no altifalante do computador.

Com essa roupinha… estavas a provocá-lo.

 
Tracey Ullman – BBC Comedy. Ou ver as coisas do outro lado.

Zangam-se as comadres

descobrem-se as verdades?

Santana Lopes e a ortografia à deriva

Jorge Sampaio escreveu o seguinte:

Fartei-me do Santana como primeiro-ministro, estava a deixar o país à deriva — mas não foi uma decisão ad hominem.

De facto, este anúncio de Santana Lopes foi muito mau :

em relação ao acordo ortográfico […], o empenho do Presidente [do Brasil] Lula da Silva é o de que se dinamizem todos os instrumentos nesse domínio.

Contudo, isto é bem pior:

Agora facto é igual a fato (de roupa).

Efectivamente. Hoje, no sítio do costume.

Sampaio acrescenta:

De vez em quando é preciso dar voz ao povo – e percebi qual era o sentimento do povo.

Então, vamos por partes:

Já assinou a petição? Sim, esta. Óptimo.

Já assinou a Iniciativa Legislativa de Cidadãos pela revogação do AO90? Muito bem.

E a Iniciativa de Referendo? Sim? Excelente!

José Diogo Quintela no seu melhor…

Ou seja, entre aqueles jovens da Associação de Estudantes está a fina flor dos nossos futuros operadores de call centers.

Alucinações colectivas à direita

Não é que surpreenda, ou não tivesse Paulo Núncio um historial de desvios estalinistas. Agora sabemos também que o ex-secretário de Estado do governo Passos/Portas esteve envolvido em negócios com Hugo Chávez, esse perigoso comunista, através do escritório Garrigues, onde entre 2008 e 2010 integrou a equipa que prestava serviço à petrolífera estatal venezuelana, a PDVSA, que, meses depois, já com Núncio na pasta dos Assuntos Fiscais, retirou do país cerca de 80% dos polémicos 10 mil milhões de euros, com a ajuda do BES, que curiosamente foram parar ao offshore do Panamá. Os tais 10 mil milhões que levaram Núncio a mentir descaradamente ao país. E para que não restem dúvidas quanto à imparcialidade desta informação, a notícia chega-nos do Observador. [Read more…]

Porque será que tudo vai dar ao BES?

Já em 2004, quando se falou no negócio dos submarinos, aquele que teve condenados pelo pagamento de luvas na Alemanha, mas que em Portugal ninguém terá recebido, pelo que o caso acabou encerrado, o esquema teria sido feito através da Escom, que pertencia ao BES.
Sabe-se agora que cerca de 7,8 mil milhões de Euros transferidos para offshore entre 2011 e 2014, tiveram origem no BES. O próprio presidente do BES terá retirado algumas centenas de milhões de Euros nas últimas semanas. [Read more…]

Mais uma desgraça a ensombrar o país

Exportações crescem 19,6% em Janeiro, face ao período homólogo. Não haverá por aí um neoliberal que nos salve a todos das garras da esquerdalhada?

Tax

Tax – André Carrilho

Sobral

Hoje ouvi a canção que ganhou o festival da RTP. Não fazia tal coisa há décadas. Desde que tal evento se transformou num desfile de mediocridade musical e poética que nos provocava vergonha por procuração – e aquilo não é nada connosco. Mas disseram que a canção era da Luísa Sobral e eu gosto dela. Gosto daquela mistura de bossa dos anos 60, cool jazz, palavras que cantam, acompanhamentos e arranjos decentes, tudo regado com o caramelo de uma cândida sensualidade. São canções que parecem feitas para ser cantadas ao ouvido. Não conhecia o mano Salvador, versão masculina da voz da irmã. A mesma entoação, o mesmo jeito, mas não é ela. E nós não conseguimos deixar de pensar no que será a canção cantada pela sua criadora. Não me interessa nada se “ganhamos”- acho piada a esta primeira pessoa do plural…- o festival inter-pimba ou não. Há mais uma boa canção em português. Pela raridade do fenómeno, saúda-se.