Binho Berde

João Coutinhas

O nome é o segundo mais difícil de pronunciar, logo a seguir ao vulcão da Islândia.
E, como este, tem periodicamente umas ejaculações infectas, que contaminam a velha Europa mas que acabam por se dissipar com o vento suão.
Por aqui, estamos a tentar poupar para ir beber um copo, ao fim de semana, com as nossas mulheres, que no resto do tempo estamos ocupados a construir conhecimento, a empreender tecnologias de ponta, a fazer os melhores têxteis e sapatos do mundo, entre outras coisas.
E sobretudo a amar. A amar também o nosso país (sim, temos mesmo um país!), embora perturbados pelo que nos impuseram relações ‘extra-conjugais’, cozinhadas nas panelas fundidas mais a norte. Compreendemos Jerrorrejdfdijhvchem que estejas preocupado com a panela, mas acalma-te filho… vai dar uma volta, ver as montras, beber uma genebra.

Comments

  1. joão lopes says:

    o homem não disse nada de mais,bastava não falar em “povos” mas sim,alguns individuos lusos gastaram,ou esconderam o dinheiro que receberam a potes da europa,ou as imparidades são o quê? então,moralizar a banca lusa,e tal,e depois salta tampa a toda a gente? tretas,tretas…ponham mas é a lista de devedores da cgd no ar,para ver quem gastou o quê.é obvio que esses lusos são uma minoria ,mas uma minoria cheia de cacau roubado.


  2. Falta-nos “O Magriço” para lhe dar uma tareia e defender a nossa honra.
    Já diz o velho aforismo “Quem deve ou não tem até os cães lhe mijam às pernas.”
    A nossa democracia foi tomada por “malfeitores” que infiltraram os partidos, órgão de poder fora do sufrágio e por isso fazem tudo o que querem porque a maioria das leis os protegem com variadíssimos alçapões preparados fora do parlamento.
    Não mostram os devedores da caixa eles são a caixa-poderosa..
    o resto são cantigas ó rosa…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.