Venezuela, uma ditadura sui generis

jg.jpg

Fotografia via SIC Notícias

A Venezuela é uma ditadura sui generis. Permite que milhares saiam à rua para protestar contra ela, algo raro em ditadura, para não dizer inédito, e que o líder da oposição, financiada pelos países que embargaram e ajudaram a destruir a economia venezuelana, discurse numa universidade publica contra o ditador.

Seria interessante ver o modelo replicado, sei lá, na Arábia Saudita, só para ver como corria. Uma coisa é certa: os libertadores ocidentais da Venezuela jamais levantarão um dedo para ajudar uma eventual oposição no reino da família Saud, oposição essa que de resto não existe nem nunca existiu. Os que tentaram foram executados, enquanto os grandes democratas europeus e americanos lhes vendiam armas, relação comercial que, naturalmente, perdura. O último foi aquele jornalista, Jamal Khashoggi, não sei se estão recordados, que foi cortado às postas as numa embaixada na Turquia, a mando da coroa saudita. Se o Maduro mandasse fatiar um cronista de um jornal americano, como era Khashoggi, Donald Trump já tinha invadido a Venezuela e pulverizado o regime. Mas vamos fazer de conta que os líderes políticos ocidentais estão preocupados com a democracia na Venezuela, com os desgraçados que fazem fila à porta do supermercado. Sempre ajuda a dormir melhor à noite.

Comments

  1. Carlos Vila Verde says:

    Gostei.
    Mas temos que reconhecer uma coisa: Maduro e os chavistas, em geral, defendem o culto da personalidade e o autoritarismo.
    Mais:não assumem os erros cometidos aos longos dos anos, “desculpando-se” com os Estados Unidos, a Colômbia, a União Europeia…
    “Orgulhosamente sós”, para grande desgraça do povo venezuelano e dos milhares de portugueses que lá vivem.


    • Portanto, só para perceber a sua opinião, que não ficou clara, pelo menos para mim, o Carlos defende que os EUA nunca interferiram na soberania da Venezuela, ou até de outros estados da América Central e do Sul. Correcto?

      • Carlos Vila Verde says:

        Silva Mendes:
        o imperialismo americano é uma realidade, que até o Salazar denunciava.
        Assim como o imperialismo soviético, que deixou marcas. No tempo da URSS, os chamados “movimentos de libertação” de todo o mundo, armados e financiados pelos soviéticos, eram armas de arremesso daquele país, no âmbito da “guerra fria” com o mundo ocidental.
        Aliás, o que se passa actualmente na Venezuela é ainda fruto da referida “guerra fria”.

  2. Paulo Marques says:

    Maduro tem, seguramente, muitos defeitos e deveria perceber que fazendo o mesmo, não há vitória. Mas, como diz, não falta hipocrisia, e também não falta o legado de Monroe.

    https://www.resistir.info/venezuela/propaganda_28jan19.html

    Venezuela: O que eles esquecem
    por Romain Migus

    O presidente francês, Emmanuel Macron, ordena a Nicolas Maduro que não reprima a oposição MAS ELE ESQUECE as 3 300 prisões e os 2 000 feridos ligados à repressão do movimento dos coletes amarelos.

    O presidente do governo espanhol, Pedro Sanchez, dá oito dias a Nicolas Maduro para organizar eleições MAS ELE ESQUECE que não está no seu posto senão graças a uma moção de censura e não por eleições livres.

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusa Nicolas Maduro de não ser legítimo por o presidente venezuelano foi eleito senão por 30,45% dos inscritos, MAS ELE ESQUECE que apenas 27,20% dos eleitores estado-unidenses o escolheram.

    O presidente colombiano, Ivan Duque, grita à “narco-ditadura venezuelana” MAS ELE ESQUECE que 65% da cocaína no mundo é fabricada na Colômbia, sob o olhar complacente das autoridades do país.

    O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, está preocupado quanto aos direitos humanos na Venezuela MAS ELE ESQUECE ter declarado que os movimentos sociais que se opusessem à sua política seriam considerados como organizações terroristas.

    O presidente argentino, Mauricio Macri, acusa Nicolas Maduro de ser um corrupto MAS ELE ESQUECE que só o seu nome aparece nos Panama Papers, não o do presidente venezuelano.

    Portugal deplora a crise venezuelano que, segundo a ONU, empurrou 7,2% dos venezuelanos para os caminhos da emigração MAS ELE ESQUECE que 21% dos portugueses tiveram de abandonar seu país e vivem no estrangeiro, segundo as mesmas fontes.

    O presidente peruano, Martin Vizcarra, grita à ditadura na Venezuela MAS ELE ESQUECE que foi nomeado à frente do seu país sem o menor voto popular, apenas em substituição do presidente anterior destituído por corrupção.

    No Reino Unido, os dirigentes denunciam os atentados à liberdade de expressão na Venezuela MAS ELES ESQUECEM que mantém, sem nenhum motivo válido, o jornalista Julian Assange em reclusão.

    A Bélgica alarma-se com a situação da economia venezuelana MAS ELA ESQUECE que em Bruxelas a empresa Euroclear retém 1,25 mil milhões de dólares pertencentes ao Estado venezuelano.

    Estas inversões acusatórias, próprias desta ” Escola do mundo invertido ” descrita por Eduardo Galeano, fazem parte do modus operandi da propaganda contra a Venezuela. Elas visam preparar a opinião pública internacional para a legitimidade de uma acção violenta contra o Povo venezuelano.

    As bombas mediáticas já começaram a chover.

    • Carlos Vila Verde says:

      Cruzes!!
      Querem ver que só há democracia na Rússia, em Cuba, na Turquia, na China e no México? (ou seja, na meia dúzia de ditaduras ou semi-ditaduras que apoiam o Maduro?)

      • Paulo Marques says:

        Não é isso de que se trata, é que a selectividade do que é democracia ou não (em termos simples, do que é mau ou bom) é só mais um aspecto da realpolitik imperialista – independentemente das considerações sobre o líder temporário.

  3. JgMenos says:

    A Arábia Saudita line é das mais idiotas tentativas de passar a mensagem de que Maduro não seja um ditador.

    É un ditador foleiro, apalhaçado, mas não menos ditador e pernicioso por isso.

    • Carlos Almeida says:

      .O Mundo está complicado:
      “A Arábia Saudita line é das mais idiotas tentativas de passar a mensagem de que Maduro não seja um ditador.

      É un ditador foleiro, apalhaçado, mas não menos ditador e pernicioso por isso.”

      O Maduro é um ditador que deixa fazer manifestações contra ele em lugares públicos. Curioso….
      Nem o “democratico” e saudoso Salazar fazia isso

      Por outro lado, a “democrática” familia que governa a Arabia Saudita, manda matar e desmembrar um jornalista que a criticava e nunca aqui vi os democráticos do costume a protestar. Curioso…

      Mas não enganam ninguém. Só talvez os distraídos e muito

      • Sempre Mais do MESMO says:

        A Arábia Saudita mandou matar um jornalista que a criticava???

        Então a Arábia é uma democracia, pois DEIXAVA JORNALISTAS CRITICAREM.

        Claro que depois matava, TAL e QUAL MADURO FAZ.

        Os manifestantes se manifestam SOB BOMBAS de GÁ e SOB BALAS de borracha e chumbo. Muitos são presos e torturados e até assassinados em grande quantidade (já há milhares de assassinados). Afinal não há como prender milhões, mas apenas atacar uns para tentar atemorizar os demais.

        Ou seja, havendo manifestações é porque Maduro deixo. Logo se houve manifestações sob Salazar, Franco, Pinochet e etc., então foi porque eles deixaram. Logo ERAM DEMOCRATAS.

        PQP!!! …esquerdista é doente mental.

        • Paulo Marques says:

          [citations needed]

          «Claro que depois matava, TAL e QUAL MADURO FAZ.»
          https://en.wikipedia.org/wiki/David_Kelly_(weapons_expert)

          «Os manifestantes se manifestam SOB BOMBAS de GÁ e SOB BALAS de borracha e chumbo. »
          Gillets Jaunes

          «Muitos são presos e torturados e até assassinados em grande quantidade»
          Gitmo

          «esquerdista é doente mental.»
          A direita é muito selectiva.

        • Carlos Almeida says:

          Caso o senhor que se esconde por detrás de “Sempre Mais do MESMO ” se lembre, o Jornalista assassinado cobardemente atraído para o consulado da AS, onde foi esquartejado, não vivia no País, era jornalista num jornal americano e criticava onde podia.
          É claro que se vivesse na AS tinha sido esquartejado lá, não precisavam de o fazer no consulado da Turquia.
          É definidor do conceito de democracia que tem, quando afirma que qualquer governo é criticável logo democrata.
          Não conta é a verdade toda,que sabe perfeitamente, para tentar baralhar os incautos.

          O resto não comento, porque quem se esconde por trás de anonimato para insultar os outros, está bem identificado do ponto de vista cívico.


        • Sempre mais do MESMO, meu simpático anormal, o jornalista assassinado pelo regime saudita vivia nos EUA e foi assassinado na Turquia. Na Arábia Saudita ninguém ousa manifestar-se ou escrever contra a ditadura conservadora e neoliberal.

          Agora volta lá para o Brasil, e chupa mais umas pirocas evangelistas, que pode ser que te cresça um pé de goiaba no cu. E cuidado com os holandeses, que eles masturbam crianças de sete meses.


    • Por essa ordem de ideias, caro JgTroll, o Salazar foi exactamente igual ao Hitler. O que para ti nem deve ser motivo de grande aborrecimento, visto apreciares igualmente os dois.

  4. Miguel Bessa says:

    Mentiras atrás de mentiras.

    Este “atirou-se” da janela:
    https://www.dn.pt/mundo/interior/vereador-acusado-de-ataque-a-maduro-morre-na-prisao-suicidio-ou-homicidio-9972903.html

    Este estava desaparecido e apareceu “morto”:
    https://www.dn.pt/mundo/interior/venezuela-assassinado-jornalista-de-jornal-critico-do-regime-8678481.html

    Mais?

    Deixem lá de defender o maduro! Afinal nem era o verdadeiro socialismo.

  5. Miguel Bessa says:

    Modo de vida da esquerda, mentiras atrás de mentiras.

    Este andava desaparecido e “apareceu” morto:
    https://www.dn.pt/mundo/interior/venezuela-assassinado-jornalista-de-jornal-critico-do-regime-8678481.html

    Este “saltou” de uma janela no edifício dos serviços secretos:

    https://www.dn.pt/mundo/interior/vereador-acusado-de-ataque-a-maduro-morre-na-prisao-suicidio-ou-homicidio-9972903.html

    Deixem lá de defender o maduro, afinal nem era o verdadeiro socialismo!

    • ZE LOPES says:

      Quem aqui veio elogiar e apoiar Bolsonaro, desculpandp-lhe o ter louvado um torturador – o Coronel Ustra – que chegou a torturar homens e mulheres em frente aos filhos crianças – segundo V. Exa. “porque evoluiu” ainda tem a distinta lata de tentar pregar moral a alguém?

      Quem é que lhe disse que Maduro não pode também “evoluir”? Depois do milagre da “evolução” do reacionário Bolsonaro tudo pode acontecer!

    • Paulo Marques says:

      «Deixem lá de defender o maduro, afinal nem era o verdadeiro socialismo!»
      Aqui só há gente a defender o Bolsonaro. A outra parte contextualiza o Maduro. Não é a mesma coisa.


      • Boa sorte a tentar explicar isso a essa parede 🙂

        • Paulo Marques says:

          Mas é essencial, porque senão estamos aqui com “whataboutism” a defender o acessório.
          É que eu bem gostava de saber o que, de facto, correu mal nos últimos anos, porque também já fui levado a acreditar um bocadinho demais na bondade de Maduro, quando o relevante é como se pode ter um governo do povo para o povo.
          Se uma economia não-moderna tem que ser classista, que se discuta isso, agora dizer que a violência só é boa se for reaccionária não é argumento.


  6. Só faltava o João Mendes vir dizer que o Salazar e o Marcelo Caetano não eram ditadores porque até houve manifestações nas universidades públicas e que alunos comunistas almoçavam com o reitor Marcelo Caetano.


    • Xico,

      Diz lá onde é que eu disse que o Maduro não é um ditador;
      Conta-nos tudo sobre as grandes manifestações populares contra o fascismo de dimensão idêntica às que estão a acontecer na Venezuela.

  7. Fernando Antunes says:

    E se fosse só a Arábia Saudita… A venda de armamento a ditadores que oprimem e matam os opositores é “business as usual”, quer dos Estados Unidos quer dos aliados ocidentais.

    Estão-se completamente a c**ar para os direitos humanos, mas o mesmo não se pode dizer em relação ao petróleo e a outros recursos. Este golpe em curso é ajudado pelo estrépito dos moralistas descartáveis habituais, os mesmos que assobiam para o lado quando no nosso país irmão, vizinho da Venezuela, se entrega a Amazónia, que detém cerca de 50% da biodiversidade mundial (!), para pilhagem pelos poderosos lobbies da indústria agropecuária e de extração de minérios — ou seja, querendo transformar uma imensa terra pública protegida em terra privada comercializável, em mercadoria, nem que para isso se exterminem de vez os índios (que andam a ser assassinados a um ritmo alarmante, nunca se sabe por quem) e se extinga um número incalculável de espécies animais e vegetais. Atenção que falo do Brasil, onde também houve um golpe de estado em 2016, como podia falar de qualquer outro país da América Latina. A Operação Condor ainda está viva e de saúde, está só mais subtil.

    Há tanto chefe de governo corrupto e assassino por onde escolher, é o que não falta para aí (a começar pelo best friend de Trump, Putin) mas ei, “são os nossos corruptos”.

  8. Sempre Mais do MESMO says:

    PINOCHET TAMBÉM NÃO ERA DITADOR.

    Afinal havia muitas manifestações contra ele.

    Maduro tem prendido e MATADO muitos manifestantes, mas como há democracia outros continuam se manifestando.

    A canalhice não conhece limites.

    Durante o governo de Franco, também havia manifestantes contrários. Logo era uma democracia. porém os manifestantes eram presos, TAL E QUAL NO CASO DA VENEZUELA onde manifestantes são presos após receberem balas e muito gás lacrimogeneo.

    • Nascimento says:

      olha lá ó atrasado mental, no tempo do Franco havia manifestações? Ai sim?Quantas? E as barricadas?? Ui… e
      as universidades queimadas? Bué! E as entrevistas prós jornais e Tvs ” livres” ? e em Directo ! Não era meu palhaço? Atão não… haja Lembrança !Largueza brasuca facho.

  9. Sempre Mais do MESMO says:

    Ora, se houve manifestações sob o governo de Salazar, PELA MESMA “logica” dos imbecis, NÃO ERA UMA DITADURA.

    Salazar agora pode ser nomeado um democrata, tal e qual Maduro.

    É uma democracia onde manifestantes são presos, torturados e assassinados. Porém se há manifestantes há democracia.

  10. JgMenos says:

    A palhaçada dos apoiantes do palhaço Maduro!

    Transformada a Democracia em palhaçada por Maduro, os idiotas agarram-se ao rótulo indiferentes aos factos que descrevem o seu conteúdo.

    O Salazar era um tipo sério, e em vez de montar uma palhaçada construiu um regime que não se reclamava da Democracia.
    Ainda assim, lá ia fazendo umas eleições para não assanhar os Aliados.


    • Salazar era um filho da puta que ia para a cama com os Salgados do tempo dele, a quem entregou monopólios. Um merdas, um canalha, um facho de merda. Lamentavelmente, caiu da cadeira. Devia ter tido o mesmo destino que o amigo Mussolini.

    • ZE LOPES says:

      Ó Menos, desculpe lá mas, depois de ler o douto comentário tenho uma recomendação a fazer-lhe: leia os rótulos até ao fim, carago!

      Isso que V. Exa. anda a beber dessa garrafa é água…ardente!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.