Isaltino Morais na festa da SIC: tudo está bem, quando acaba bem

SIC

Fotografia: Tiago Miranda@Expresso

A SIC tem uma nova casa, em Paço de Arcos, e, como seria de esperar, fez uma festa de inauguração à qual nem Marcelo Rebelo de Sousa faltou, quiçá na esperança de se cruzar com a amiga Cristina, que a senhora deve ser mais difícil de apanhar do que o próprio Presidente da República.

Quem também não faltou ao certame foi Isaltino Morais, autarca lá do sítio, que, após vários anos de azáfama, durante os quais esteve preso, 14 meses numa prisão a sério e, posteriormente, no confortável conforto do lar, por crimes que são sobejamente conhecidos e que não o impediram de ganhar as autárquicas de 2017 com uma esmagadora maioria absoluta, viu a sua vida regressar à normalidade, como se nada tivesse acontecido.

Portugal é um lugar estranho. Um lugar estranho onde o ecossistema político, com a  raríssima excepção de um ou outro robalo, levita sobre o plano terrestre, onde se movem os comuns mortais, em bicos de pés para que ninguém repare o quão acima das suas possibilidades vivem. Mas tudo está bem, quando acaba bem, não é mesmo?

 

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    É nestas alturas que se vê as referencias éticas e morais da direita. Desde que o interlocutor tenha graveto, lhes abra as portas, e lhes facilite a vida, passa logo a ser um Ser recomendável.
    Nada a que não estejamos já habituados. Fosse ao contrário, e já tínhamos a Moura Guedes na baboseira.
    Mas o melhor para mim, foi ver o actual Primeiro Ministro ser entrevistado pelo Spin da CIP na Comunicação Social, Zezé Ferreira”, um jornaleiro a mando do patronato. É um verdadeiro exercício de contorcionismo, só possível de imaginar, se o entrevistado tiver a capacidade criativa e argumentativa de um António Costa ou de um Marcelo Rebelo de Sousa. os burros nem isso percebem.
    Não tenho qualquer simpatia politica pelo Primeiro Ministro nem pelo PR, mas reconheço-lhes, que em matéria de patuá, eles até deixam o Zezé Ferreira sem saber o que fazer.

  2. Luís Lavoura says:

    viu a sua vida regressar à normalidade, como se nada tivesse acontecido

    E é assim mesmo que deve ser. As pessoas, após expiados os seus crimes na prisão, devem ser reeducadas e reintegradas na sociedade. É isso que as pessoas de esquerda defendem, tal como o João Mendes deve saber. As pessoas que foram reclusas não devem depois disso ficar marginalizadas, excluídas, e impedidas de dar o seu contributo à sociedade, de acordo com as capacidades e vocações de cada uma delas.

  3. Ricardo Almeida says:

    Não é assim tão estranho quando se considera a triste condição de ignorância da esmagadora maioria da população portuguesa. É assim tão estranho que um povo que deu 2 governos e 2 presidências ao Cavaco Silva eleger um criminoso, que por acaso até estava atrás das grandes quando for eleito? Enquanto Isaltino não violar crianças ou espancar velhotas, enquanto os crimes dele não aparecerem virais no Facebook, está tudo bem em Oeiras. O maior erro que podemos fazer é considerar que a maioria dos portugueses é informado. Que lê notícias e as interpreta objectivamente. Para o típico tuga que está no mesmo trabalho desde 1960 graças a uma cunha que o sogro tinha lá na firma na altura, o Isaltino é um herói porque se “sabe safar”. Mais nada. O senhor só vai perder força política se de alguma forma der o próximo campeonato da bola ao Sporting. Tudo o resto é ruído.
    Em 2015, dias antes das eleições, uma reportagem da RTP foi pelas ruas de Lisboa a perguntar às pessoas que por ali andavam a comprar castanhas e a ver montras o que achavam do amigo Passos e Portas. Como seria de esperar, não houve uma única a tecer uma palavra branda ao duo. Porque é só quando lhe vão directamente ao bolso é que o tuga se chateia e decora nomes, mas vá, ao menos isso. Mas quando o repórter lhes perguntou logo de seguida se seriam capazes de votar na coligação “Portugal à Frente”, os mesmos que estavam a minutos de linchar o Paulo das Feiras se o topassem aos beijos no mercado do Martim Moniz, lá mudaram de tom e todos, mas todos admitiram que sim, em Outubro o PáF era uma alternativa como outra qualquer. Das duas uma: ou acreditavam que o espírito santo iria dar inteligência à dupla maravilha nas próximas semanas ou simplesmente não faziam ideia que PàF = PSD + CDS.
    Agora é só aplicar o princípio da navalha de Ockham e fica tudo dito em relação a este caso.

  4. Maria José Magalhães says:

    Sabe que o Presidente da Câmara tem que estar sempre representado nestas cerimónias? Já leu o processo de A a Z para saber do que fala? Se quiser posso enviar-lhe um livro que comprei sobre o caso pois também pensava muito mal dos autarcas e depois do que li fiquei a pensar pior da justiça portuguesa e de alguns titulares que estiveram à frente da justiça portuguesa e no governo e que tiveram avenças nesse município antes de enfiarem a faca quando lhes cortaram as avenças que recebiam sem trabalhar.

    • Rui Naldinho says:

      ” É óbvio que a banca faliu neste país, e a culpa é dos depositantes, que agiram de boa fé.
      É óbvio que o país está de negócios ruinosos para o contribuinte, como algumas PPP’s, ou algumas privatizações, como por ex: a dos CTT, e a culpa é do contribuinte. Quem sabe do próprio trabalhador, que nada fez para se tornar dispensável.
      É óbvio que a maioria das Autarquias são geridas por gente pouco recomendável, alguns mesmo corruptos, com aprovações de PDM’s à medida dos seus interesses ou de familiares, e amigos próximos, tráfico de influências de toda a ordem, mas a culpa é toda dos munícipes. Votam neles!
      É óbvio que os clubes de futebol deixaram de ser clubes desportivos, e passaram há muito a empresas, reflectindo nas suas administrações, o pior da nossa economia, e nas suas massas associativas, o pior do ser humano, a cegueira colectiva. Do estilo: “o meu clube nunca se mete em alhadas, só o teu”.
      É óbvio que o Isaltino Morais já foi condenado, por alguma coisa terá sido, penso eu, cumpriu pena, sim senhor, mas a Senhora acha-o vítima de uma “cabala”, o que dirá Sócrates ? Ora, o país está todo cheio destes “mártires”, mas falido, por culpa nossa, claro, que votamos neles.
      O texto do João Mendes, parece-me a mim que de forma mais ou menos irónica, diz isto tudo. Foi mais conciso. Mas garanto-lhe, tenho um pressentimento, que foi isto que ele quis dizer.
      Nada mais.

  5. ZE LOPES says:

    Tudo bem! Tudo normal! Ó João o que é isto? Esta lá o Gomes Ferreira, esa gelatinosa sumidade que já provou, e publicou em obras muito citadas na SIC que os vígaros são todos de esquerda. Quem somos nós para duvidar?

  6. esteve,ayres says:

    Só faltou lá o Dias Loureiro, Santana Lopes, Passos Coelho, Barroso, Paulo Portas, Cristas, Sócrates. etc.etc.E uns tantos corruptos que ainda não foram presos, e pelos visto nunca serão!!!

  7. Antonio Rodrigues says:

    É como nos contos das Mil e Uma Noites. O sultão Isaltino desloca-se num tapete voador, voando sempre acima acima dos acontecimentos

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.