Segurem-nos, que ainda não se lhes fez luz!

“O ministro do Ambiente reiterou que o Governo vê com muitos bons olhos os princípios da oferta pública de aquisição (OPA) da China Three Gorges (CTG) à elétrica liderada por António Mexia.”

Com “muitos bons olhos”??? É impressão minha ou ainda não perceberam que até a UE já fez marcha a ré (depois de ter partido um montão de loiça) e está numa de coordenar a análise dos investimentos provenientes de países terceiros em setores estratégicos, a fim de verificar se estes ameaçam ou não a segurança ou a ordem pública.” ???  E que “entre as infraestruturas críticas incluem-se a energia, os transportes, a água, a saúde, as comunicações, os media, (…)?

Alguém que lhes explique!!! E que lhes abra os “bons olhos” todos!!!

P.S. Se for preciso, peçam ao Rio para lhes explicar o que diz aqui.

Eu ajudo um bocadinho:

Com isto quero dizer que não somos ingénuos defensores do comércio livre. Precisamos de controlo sobre as aquisições de empresas estrangeiras que visem os objectivos estratégicos da Europa (…)” prosseguiu Juncker.

Comments

  1. Mário Reis says:

    Como tudo anda ligado…, um link para uma das melhores posições sobre as Venezuelas deste mundo, enquanto os acéfalos dos cães danados da ‘midia’ prosseguem com a desinformação e ocultam realidades impensábeis.

    http://politeiablogspotcom.blogspot.com/2019/02/a-proposito-da-venezuela.html

  2. Julio Rolo Santos says:

    O comércio livre não é mau apenas precisa de ser domesticado e, para isso, só é preciso que os governantes os tenham no sítio (…) Para fazerem valer os direitos dos seus cidadãos.

    • Ana Moreno says:

      Como o “comércio livre” actualmente praticado é uma arma de arremesso dos agentes mais poderosos e um ataque brutal aos direitos dos cidadãos e ao planeta, é preferível falarmos de “comércio internacional justo”, para se perceber que foi sujeito a a esse crivo “domesticador”. 🙂

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.