6 de Abril de 2011 não foi uma noite de nevoeiro

Já passaram 10 anos e parece que foi ontem. Até porque uma parte substancial dos membros desse governo estão actualmente em funções. Parece que foi ontem porque o Portugal político que em 2006 nos levou para o buraco em pouco se distingue do de hoje.

O na altura ministro das finanças e o único, no governo de então, que foi capaz de enfrentar José Sócrates é senhor de uma frase lapidar no Dinheiro Vivo (DN/JN) de hoje: “Portugal, de 2011 até agora, foi consistente e mostrou rigor nas contas públicas“. Assumindo a falta de rigor das contas públicas no reinado do “animal feroz”. A falta de rigor que teve como consequência a bancarrota e a vinda da troika. A que se seguiram anos de sofrimento, de pobreza e de um Portugal intervencionado.

Sem perdão possível.

Ora, os filhos, os enteados e as viúvas de Sócrates continuam a “andar por aí”, como se nada fosse. E ninguém foi preso. Porque em Portugal a culpa morre sempre solteira. Entretanto, José Sócrates continua a aguardar se vai ou não a julgamento. E Portugal continua à espera de D. Sebastião…

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    “Ora, os filhos, os enteados e as viúvas de Sócrates continuam a “andar por aí”, como se nada fosse. E ninguém foi preso. Porque em Portugal a culpa morre sempre solteira.”

    Claro!
    Ora, os filhos, os enteados e as viúvas de Cavaco Silva continuam a “andar por aí”, como se nada fosse. E ninguém foi preso. Porque em Portugal a culpa morre sempre solteira.

    De facto Oliveira e Costa já cá não está, apesar de condenado a 12 anos de prisão, não consta que por lá tenha passado. João Rendeiro, ex CEO do BPP, condenado a cinco anos, anda a ver se escapa. Nenhum dos ex administradores do Banif, o banco laranjinha das ilhas foi acusado de nada. Podia citar mais alguns, mas fico-me por aqui.
    Eu quero Sócrates na prisão, mas não o quero só. Quero-os lá a todos.

    • Filipe Bastos says:

      Quero-os lá a todos.

      E muito bem, mas se estamos à espera deles todos nunca mais. Temos de começar por algum lado.

      Não há melhor lado por onde começar do que o Trafulha. O maior coveiro do país. O mais reles FDP que já rastejou para fora deste esgoto partidário.

      Só o facto de continuar à solta, a viver à grande do saque, é intolerável. É absolutamente essencial acabar com esta impunidade. Este pulha não devia andar em paz.

  2. abaixoapadralhada says:

    Por falar em vigaristas

    Porque será que o PSD não vai apresentar nenhum candidato á Câmara de Oeiras,.
    Será para Rui Rio não quer estorvar o seu ex-companheiro de partido, Isaltino de Morais ?

    Quem souber que explique

  3. Manuel Pacheco says:
  4. Paulo Marques says:

    Bom, e agora estão certas e o dinheiro a sair da economia privada (nacional, que destruímos a produção a bem do pelotão da frente). Corre bem?

  5. JgMenos says:

    É só lágrimas de corcodilo.

    Chegou a haver uma lei, imposta pela UE, que logo apareceu nos códigos no estado de suspensa.
    ‘Todo o gestor que devesse saber ter i
    1/3 do capital da empresa ameaçado de perder-se tinha que o denunciar ou ia de cana 3 anos’. E ia na hora.

    Agora nem vestígios dessa lei.
    Alguém pia? Não, porque é preciso manter os empregos, porque rebéubéu social… e queixam-se os treteiros!!!

    • POIS! says:

      Pois não sabia!

      “De cana na hora”? “Todo o gestor”? “Imposta pela UE”? “Ia na hora”? Os gajos lá em Bruxelas a fazer leis são tesos!

      Quem a terá suspendido? Cá p’ra mim foi alguém com apelido zoológico e com nome começado por P! Com a concordância de outro com apelido imobiliário que também começa por P!

      Como diria o célebre crminologista francês JêgêMoins: “Cherchez les singeons! Il faut donner des noms aux boefs”!

      Huuummmmm! Deve ter sido posta na prateleira por influência dos sindicatos. principalmente pela pressão feita pelo Sindicato dos Empregados Domésticos e Similares. Não dá jeito nenhum levar refeições à cadeia. Principalmente a Évora, fica fora de mão. E á Carregueira. Aquilo é frio!

  6. Carlos Castro says:

    Só não compreendo porque diz que José Sócrates só levou Portugal à bancarrota.
    E não levou também a Irlanda, Grecia, Espanha (ajuda financeira aos bancos), etc. etc.?
    Porque diabo isenta José Sócrates destas responsabilidades?
    Vou-lhe dar uma notícia de que, parece, não tem conhecimento:
    Em 2008 houve uma crise financeira mundial que……Lehman Brothers….
    O governo português conseguiu obter o apoio da União Europeia e submeteu o resultado dessa negociações -PEC IV -ao Parlamento que o chumbou e foi essa decisão que provocou o que chama de bancarrota.
    Veja o que, p.ex., a Chanceler Merkel disse sobre essa decisão:

    • Paulo Marques says:

      O problema nem é esse, é o problema só ter existido por o BCE deixar de cumprir o seu mandato depois do país ter que assumir a dívida privada da banca. Sócrates não pode ter levado o país à bancarrota, coisa que nunca podia acontecer segundo os arquitectos da eurolândia, porque sempre teve os orçamentos validados.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.