Rui Rio não descansa…

…. enquanto não der cabo de vez do PSD.

O que distingue este PSD de Rio/Suzana Garcia do Chega de André Ventura? E escusam de culpar a senhora, ela não está aqui a enganar ninguém, todos sabem (e sabiam quando a convidaram) o que pensa e como pensa. E não serve a desculpa de que foi uma escolha da estrutura local, pois em Coimbra a estrutura local tinha escolhido um candidato e a Nacional vetou.

A candidata do PSD à Amadora, Suzana Garcia, é advogada e foi comentadora da TVI, onde manifestou posições polémicas como o apoio à castração química para pedófilos reincidentes, que tem sido defendida em Portugal pelo partido Chega.

Obviamente, o Chega elogiou esta escolha (pelos vistos a senhora até tinha sido convidada pelo partido de André Ventura) e devem estar a rir-se. Este PSD de Rui Rio é uma caricatura e uma ofensa aos seus fundadores.

Ao contrário do que pensa alguma comunicação social da capital, este é o mesmo Rio que governou a cidade do Porto. Exactamente o mesmo. Só que agora está em Lisboa, sob escrutínio directo. É o mesmo Rio intolerante, uma espécie de tiranetezinho de trazer por casa, um achista que “acha” umas coisas sobre o papel dos agentes culturais, que arrota uns bitaites sobre subsídio-dependência, que persegue (manda perseguir pois Rio sempre foi um cagão) os que discordam dele. Só que quando era presidente da Câmara do Porto, a comunicação de Lisboa achava-lhe piada porque se pegou com Pinto da Costa e ignorava tudo o resto. Não via a forma como destratava a oposição, não via a arrogância própria dos medíocres na forma como lidava com os trabalhadores da sua instituição, não queriam saber dos tiques de tiranete feudal. Nada. O que importava é que o homem enfrentou Pinto da Costa – nem isso é bem verdade, mas não vale a pena explicar pois quem sabe não precisa que lhe explique e quem não sabe não quer ouvir a explicação.

Este Rio é o garante político de António Costa e o melhor adubo do Chega.

Comments

  1. JgMenos says:

    «…uma ofensa aos seus fundadores»

    Entre o que queriam e o que as circunstâncias exigiam, vai a diferença entre a livre escolha e o poder ocupado por botas cardadas e as ruas entregues a uma cambada de comunas e imbecis com um objectivo único e primeiro: entregar o Ultramar aos soviéticos.

    Essa é a nascença do CDS ‘rigorosamente ao centro’, de um PSD a armar ao sueco e um PS que clamava ser marxista.

    Até que por fim se fala de Direita sem timidez e se denuncia a esquerdalhada pelo que é e vale: treteiros farsantes que acobertam a ambição pessoal proclamando a igualdade e que aboletam a matilha no poder a título de cuidar dos coitadinhos.

    • POIS! says:

      Pois pois!

      Foram os “comunas”…

      Ao contrário do que V. Exa. tem vindo aqui a efabular, a Direita tinha vasta representação, particularmente no Norte e no interior deste retângulo à beira-mar plantado.

      E viu algum desses adorados “líderes fundadores” fazer um chamamento a toda a Nação para ir combater lá para as áfricas????

      E viu as juventudes de Direita a largarem as colagens de cartazes, as idas para o Algarve e as fumaças Holandesas para se oferecerem para pegar em armas e a defender “o que é nosso”????

      E viu as nossas “elites patrioteiras” instigar os seus filhinhos a que cumprissem esse sagrado desígnio patrioteiro?

      Eu não vi! Guerra? Combater? O tanas!

      • JgMenos says:

        O que as ditaduras produzem é gente incapaz de agir organizadamente fora da estrutura do poder…até um dia.
        Assim foi com o Estado Novo.
        Assim será com o Estado Esquerdalho.

        • POIS! says:

          Pois não me diga!

          O Estado Novo foi uma ditadura?

          Ele há coisas!

          Olha! estarei a ver que V. Exa. tem uma mama no pescoço? Olha, pois! V. Exa. está todo torcido.

          Está aqui está a mijar pela cova do braço!

          • JgMenos says:

            A ordinarice é a onda que vens disfarçando de humor chungoso. O berço o dá.

          • POIS! says:

            Pois pois!

            Por acaso nasci em sua casa? Não creio!

            JgMenos a dissertar sobre “ordinarice”? Ahhhhhh! Ai que o Menos é tão cómico! Ahhhhh! Ahhhhhh! Ai que não posso! Ahhhhhh! Já não me ria assim desde que o outro caiu da cadeira!

        • Paulo Marques says:

          Foi por isso que perderam com os as colónias, portanto.
          Estado esquerdalho não podia vir mais cedo só vejo um estado sem pleno emprego, sem direitos laborais, com sindicatos a morrer. É para quando?

    • Paulo Marques says:

      Bom, ao menos admite que o PS não é marxista, devia começar a guardar os lapsos narrativos do lambe-botas.

  2. Rui Naldinho says:

    Não, não foi Rui Rio que deu cabo do PSD.
    O PSD fora do poder, sem as rédeas da máquina do Estado, o verdadeiro insuflador de oxigénio na economia, muito por conta da dívida, é verdade, mas ainda assim uma realidade nua e crua, num país de tesos, cheio de empresários de Porches e Mercedes topos de gama; aí a inveja contra os ricos(!); vale pouco mais que zero.
    Quem deu cabo do PSD dedica-se hoje a dar umas aulas como catedrático, sendo apenas mestrado. Vá lá, gabo-lhe o mérito de não ter ido para a ANA, que ele privatizou, ou para a CUF saúde, que ele emparceirou, etc…
    Quem deu cabo do PSD foram os seus dirigentes cheios de moralidades várias, disfarçados de incorruptíveis, para depois caírem em desgraça com privatizações ruinosas, tráfico de influências, falências fraudulentas, Tecnoformas várias.
    Vamos lá ser mais escorreitos na análise política actual.
    Depois daquele monumental desastre eleitoral de 2017 nas eleições autárquicas, é difícil o PSD fazer pior. Nessa altura Rui Rio dormia descansado na sua moradia no Porto.
    Tinha alguma culpa?
    Claro que não!
    A culpa foi do autismo laranja em não perceber que os tempos tinham mudado, o Troica tinha deixado de ser o seu abono de família, Sócrates deixou de ser a novela das 20H, o diabo não veio, e o os proto esquerdistas comunistas radicais da Geringonça eram mais soft do que se apregoava.
    Não ver a realidade e tornar-se numa réplica das cassetes do PCP em versão PSD, só podia dar neste imenso deserto de ideias.
    Quando o PSD fala, ou faz demagogia com a crise pandémica, ou quer apoios onde antes eles próprios cortaram, ou pior ainda acham que somos todos uns coiros e chulos.

    • Fernando Moreira de Sá says:

      Portanto, não foi o Rio e os seus dirigentes que escolheram a Suzana Garcia? Não foi o Rio que escolheu o Isaltino? Não é o Rio que anda desaparecido como líder da oposição e mais parece um ministro mais de Costa? Ok, a culpa é do Passos. É sempre.

      • Rui Naldinho says:

        Não. A culpa é de todos. Incluindo as viúvas e os órfãos de Passos Coelho, que se calaram enquanto a coisa foi dando.
        Tal como o legado de Sócrates foi a bancarrota, e foi de facto, também com ajuda dos sociais democratas, diga-se, enquanto lhes deu jeito, já o legado do PSD sempre foi aquele discurso narcisista do “Salvar a Pátria”. Quando não o discurso supremacista das “boas contas”, como se não soubéssemos todos quem pagou as contas.
        Quais boas contas?
        O BES ou o Banif? O BPN? Ou a TAP, cuja falência atravessou todos os governos da República? Se calhar foram os CTT?
        Será que foram as parcerias público privadas? Talvez os Swapps da Dra Albuquerque?
        Quem nos “salvou”, se é que a isto se chama salvar, foi o BCE e pouco mais. O resto é um chorrilho de mentiras apoiadas em teses liberais, estribadas em jornais pagos para nos venderem um montão de certezas de nada.

        Rui Rio vive em desespero de causa, para estancar a hemorragia à direita, no PSD, daí agarrar-se ao primeiro artista pimba que lhe aparece pela frente, a oferecer espetáculo gratuito, tentando competir com a extrema direita. Mas não foi ele que inaugurou esta estratégia suicidária.
        Ou será que André Ventura, hoje líder do Chega, foi escolhido por Rui Rio para ser candidato do PSD à Câmara de Loures?

        • Rui Naldinho says:

          A Amadora é uma terra cheia de afro descendentes, mesclada de ciganos, bairro aqui, bairro acolá. Os Europeus são provavelmente pouco mais de metade da população.
          Onde há muito imigração, não faltarão os puristas e queixosos da criminalidade local, do RSI, da prostituição, da Indolência africana, entre outras coisas mais, praticados em boa parte pelas minorias, os mais expostos à pobreza e segregação racial.
          Uma candidata como a Suzana Garcia jamais ganhará a Câmara da Amadora, mas pelo menos, na ideia do Dr. Rui Rio e dos seus estratégias, fixará aquele eleitorado do PSD que se acham “pessoas de bem”, dispostos a fugir para o Chega.

          • Paulo Marques says:

            Ai essa linguagem. Ó Rui, dizer que os descendentes não são europeus, ainda percebo o descuido; agora os roma não são europeus?

      • JgMenos says:

        Sempre esta preocupação de não interferir com o apetite dos pedófilos….

    • Filipe Bastos says:

      O Moreira de Sá tem razão: apesar de tudo isso, que é verdade, o incrível Rio continua a ser o principal responsável.

      Tão incrível é ele, que parece estar feito com o PS e com o Bosta. Se não está, não poderiam ter arranjado melhor cúmplice. Saiu-lhes a sorte grande; é difícil imaginar maior desastre no PSD do que este medíocre troca-tintas.

      E ainda bem. O que é mau para a Laranja Podre é bom para o país. Infelizmente, resta o Partido da Sucata. E nem a Laranja Podre é tão podre quanto o Partido da Sucata.

  3. Luís Lavoura says:

    Esta Suzana Garcia pode perfeitamente ser advogada (já vi juristas com pior aspeto), mas tem um aspeto de galdéria que até assusta. Eu jamais votaria nela para vereadora!

    • Paulo Marques says:

      Enfim.

    • Pimba! says:

      Então se se vestisse de modo conservador e apresentável já votaria nela?

      Nada tenho contra o aspecto de galdéria ou da galderice, antes pelo contrário.
      Agora tenho TUDO contra o discurso racista e fascista da indivídua, e nunca votaria nela pelas ideias nojentas que ela tem.

  4. estevesayres says:

    Bem, vamos lá ver se nos entendemos…
    Será que isto tem interesses!!! Quem são os seguidores ou lambe-botas dos que se vão candidatar…