Jovem Conservador de Direita: Feliz pré-25 de Novembro!

(O Doutor é o grande líder intelectual da direita democrática portuguesa e, sobre isso, nem há discussão. As suas reflexões podem ser acompanhadas na sua página do facebook e instagram. Tem também um conhecido podcast e há pouco tempo lançou a revista em papel Le Docteur. Tem um patreon aberto a investidores e apreciadores de conteúdos exclusivos de qualidade)

O 25 de Abril foi um marco importante na história da nossa democracia que deve ser celebrado. Infelizmente veio interromper o trabalho do Dr. Marcelo Caetano, que estava a fazer um excelente trabalho na nossa transição para a democracia. Mas aconteceu e não o podemos negar.

Apesar disso, o Dr. Marcelo Caetano surge como um dos grandes heróis do 25 de Abril. Foi o seu autocontrolo que permitiu que esta revolução fosse pacífica. As coisas podiam ter corrido muito mal. Aqueles militares estavam todos assanhados e sedentos de sangue. O Dr. Marcelo Caetano soube conceder com dignidade e retirou-se corajosamente para o Brasil. A maior qualidade de um herói não é ser corajoso face ao perigo, mas sim saber fugir quando tem de ser. Não há nada mais heróico do que a auto-preservação.

Curiosamente o Brasil foi o destino de algumas das pessoas com maior sucesso do nosso país no dia 25 de Abril. Desde o Dr. D. João VI que as pessoas de maior sucesso do nosso país têm o hábito corajoso de emigrar para o Brasil quando há problemas em Portugal. É uma questão de etiqueta. Quando uma pessoa está num jantar civilizado e, de repente, esse jantar é invadido por chimpanzés e alguns dos convidados começam a exigir a nacionalização da propriedade do anfitrião, a atitude mais saudável é abandonar e esperar que as coisas se acalmem. Os chimpanzés eventualmente vão cansar-se e os revoltosos vão perceber que liderar dá trabalho. É nessa altura que as pessoas de sucesso podem regressar sem correrem o risco de um chimpanzé lhes furar o olho com um garfo.

É claro que não estou a chamar chimpanzés aos portugueses que não emigraram depois do 25 de Abril. Mas a verdade é que se fizeram coisas animalescas nesses tempos, como nacionalizações, saneamentos e alguns álbuns de música de intervenção. Não podemos condenar uma pessoa de sucesso que decida escolher este momento para uma viagem espiritual pelo Brasil.

Foi uma forma excelente de pôr à prova os nossos empreendedores. Eles perderam tudo com o 25 de Abril e nos anos 80 já tinham recuperado tudo graças ao seu próprio mérito.

Mas isto só foi possível graças ao 25 de Novembro. Este foi o dia em que Portugal se libertou da ditadura socialista que veio substituir o regime ligeiramente autoritário em transição para a democracia do Dr. Marcelo Caetano. Se não tivesse havido 25 de Novembro Portugal tinha-se tornado uma espécie de Coreia do Norte da Europa. Acabou por tornar-se algo do género com a geringonça. Mas não foi tão mau graças ao excelente trabalho de privatizações e flexibilização laboral levado a cabo antes desta tomada do poder pelo socialismo. A verdade é que precisamos de um novo 25 de Novembro.

Por isso é que acho positivo que a direita liberal se associe às celebrações do 25 de Abril. Até agora temos tido a esquerda a aparecer como a “dona da liberdade.” Mas a liberdade não está à venda, caso contrário não falaríamos de “liberdade” mas sim de “liberdade, uma ideia apolítica com o mais alto patrocínio da Jerónimo Martins.” Por causa da esquerda a liberdade tem um péssimo branding. Por exemplo, gostam de sair à rua e gritar coisas como “o povo unido jamais será vencido.” O que é ridículo, o povo unido tem, como é óbvio, uma péssima avaliação de desempenho.

Porque a união do povo dificulta a competição que, como sabemos, é o grande motor da economia. Este slogan anacrónico deveria ser substituído por algo como “o povo bem gerido jamais será vencido” ou “o povo separado é melhor para o mercado.”  Ninguém é verdadeiramente livre quando está unido a outros elementos de uma suposta classe social. Não existe verdadeira liberdade, quando não há a possibilidade de uma liberdade premium para aqueles que têm mérito para a pagar.

Na edição de Novembro da revista Le Docteur tive oportunidade de analisar o legado do Dr. Salazar e o papel do 25 de Novembro na nossa democracia. Quem estiver interessado, pode encomendar através do email reservas@jovemconservadordedireita.pt.

 

Comments

  1. João L Maio says:

    Genial!

  2. Rui Naldinho says:

    O melhor post, até agora, dos convidados do Aventar para as comemorações do 25 de Abril.

  3. Daniel says:

    Muito bom.

  4. Eu avento says:

    Tá fixe!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.