O poder do Kremlin hasteado na City de Londres

VTB.jpg

No coração do centro financeiro de Sua Majestade, na mesma praça onde podemos encontrar a sede do Bank of England e o Royal Exchange, não passa despercebida uma enorme bandeira da Federação Russa, hasteada no topo de um imponente edifício onde se situam os escritórios do VTB Capital, um banco de investimento russo que integra o VTB Group, um dos maiores bancos estatais controlados directamente pelo Kremlin.

No topo da hierarquia deste gigante da alta finança, presente em destinos governados por pessoas de bem como Nova Iorque, Viena ou Kiev, estão dois oligarcas próximos de Vladimir Putin, Andrey Kostin e Anton Siluanov, sendo que este último acumula a função de Chairman do Conselho de Supervisão do grupo com a pasta das Finanças do governo russo. Continuar a ler “O poder do Kremlin hasteado na City de Londres”

Um par de tomates contra a opressão

VPDT.jpg

Foi no final do mês de Março, há 15 anos atrás, que uma aliança liderada pelos Estados Unidos invadiu o Iraque, um estado soberano. Os dois grandes argumentos usados para justificar a ofensiva perante a opinião pública foram a existência de armas de destruição maciça e a colaboração do regime iraquiano com a Al-Qaeda. Bush, Blair, Aznar e o seu mordomo asseguravam-nos que as provas eram irrefutáveis. Mas tudo não passou de um grande barrete.

O que se passou com o Iraque não foi caso isolado. Aconteceu com inúmeros países, sob a forma de invasões alicerçadas em pretextos falsos, golpes de estado patrocinados ou false flag attacks. Morreram centenas de milhares de vítimas inocentes, destruíram-se cidades e sociedades, abriu-se o caminho à ascensão novos déspotas e os suspeitos do costume lucraram a reconstruir, a garantir a “segurança” e a explorar recursos naturais. Continuar a ler “Um par de tomates contra a opressão”

Diplomacia, demagogia e hipocrisia: o caso Skripal e o oportunismo político

BPR.jpg

Indústria petrolífera à prova de sanções diplomáticas. Fotografia via CBS

Percebe-se o desespero de Fernando Negrão e a necessidade de se pôr em bicos de pés para tentar marcar a agenda mediática com declarações como as que proferiu ontem, que de resto mais não foram do que uma espécie de retweet parlamentar das declarações proferidas no dia anterior por Paulo Rangel na SIC Notícias. Ou não estivéssemos perante um líder parlamentar desorientado, cuja primeira linha de oposição que enfrenta está no interior do próprio grupo parlamentar que tenta, sem grande sucesso, dirigir. Um líder parlamentar fragilizado, em sintonia com uma direcção partidária enredada em casos que se sucedem, sob fogo cerrado da imprensa afecta ao passismo. É natural que recorra ao facilitismo deste tipo de subterfúgio. Continuar a ler “Diplomacia, demagogia e hipocrisia: o caso Skripal e o oportunismo político”

Com a faca e o queijo na mão

putin

Obama dá ordem de expulsão de elementos dos serviços secretos russos em território americano. Em resposta, Sergey Lavrov sugere troco na mesma moeda. É então que Putin entra em cena, coloca a proposta de Lavrov em stand-by, aguardando pela tomada de posse de Trump que acontece dentro de poucos dias, e aproveita a deixa para acusar o ainda presidente dos EUA de “diplomacia irresponsável”.

Vou adorar ver os fofos dos liberais anti-Obama, que não se cansaram de lançar foguetes envergonhados quando Trump venceu as eleições, e que passam a vida a recordar-nos dos perigos que Putin representa para o planeta Terra, quando Trump estiver devidamente domesticado pelo tirano russo. Mas isto sou eu que sou um exagerado.