A imunidade do homem que está em todas

Hélder Bataglia

Em Outubro passado, o Ministério Público emitiu um mandado de captura internacional com o objectivo de deter Hélder Bataglia, presidente da ESCOM, por suspeita de ter transferido vários milhões de euros para uma conta de Carlos Santos Silva, o famoso mecenas de José Sócrates, milhões que tinham como destinatário o ex-primeiro-ministro, como alegado pagamento de luvas relacionado com o processo Vale do Lobo, do qual é accionista. Refugiado em Angola, onde os negócios da ESCOM continuam a rolar, Bataglia está protegido pela lei angolana que impede a extradição de cidadãos angolanos, nacionalidade que partilha com a portuguesa. [Read more…]

Hélder Bataglia, presidente da ESCOM

Foi montado um esquema para fugirmos aos impostos (no negócio dos submarinos)”.

No further questions.

Submarinos, Estaleiros de Viana, corrupção internacional: uma investigação jornalística


Entrevista com o autor do documentário pela Renascença aqui.

Estranha forma de afrontação do poder

Submarino

Pedro Passos Coelho, líder dos ministros coitadinhos que pedem desculpa e mais recente Calimero da política portuguesa, tem apostado no discurso do homem vertical que está debaixo de fogo porque afrontou interesses poderosos. À parte do banqueiro Salgado, e apenas após este ter caído em desgraça, não se conhecem ainda esses poderosos interesses que o rapaz da Tecnoforma afrontou. A menos que queiramos assumir como real o discurso de alguns radicais de direita que catalogam os sindicatos como interesses poderosos da sociedade portuguesa. Terão o seu poder mas, tanto quanto se sabe, ainda não chamam boys do PSD ou do PS para os seus conselhos de administração, não influenciam a legislação nem beneficiam de prescrições milionárias em regime de total impunidade.

Posto isto é interessante ver a postura dos partidos da maioria na aparente recta final do mediático e polémico caso dos submarinos. Há duas semanas, os deputados da maioria, na habitual defesa dos seus interesses pessoais e partidários, decidiram chumbar a vinda de Paulo Portas à comissão de inquérito por considerarem a sua presença “desnecessária”. Já na Quarta-feira ficamos a saber que, no entender de PSD e CDS, os trabalhos da comissão de inquérito que investiga a aquisição de equipamentos militares como os submarinos ou os blindados Pandur estão terminados. Isto apesar de, segundo revelou o jornal Público, se estar mais perto do que nunca de descobrir o destino final dos 30 milhões pagos pelos alemães à ESCOM. Sabemos pelos jornais que uma parte acabou dividida entre os pobrezinhos da Comporta. Mas diz-se por ai que houve mais alguém a receber uns milhões. Terá sido o irrevogável? [Read more…]

Sabem o que faz um Consultor?

Ovelha na terminologia de uma empresa internacional de consultoria

A verba para consultadoria, no Orçamento Geral do Estado, não cessa de crescer, sempre emitindo pareceres a dizer o que for preciso e o seu contrário, já viram, o governante toma uma decisão, pisa tudo o que é legitimo e razoável, mas tem lá o parecer de um senhor muito importante, a dizer que sim que aquilo é “clean”, leva uns largos milhares e ficamos todos amigos.

O caso da ESCOM e da consultoria aos submarinos dá-nos a medida do que se pode fazer com consultorias, 30 Milhões de euros, para uma empresa que sabe tanto de submarinos como eu sei de lagares de azeite. Um “project finance” a dizer que o BES é o que apresentava melhores condições e toma lá 30 milhões…

Quem não vai nisso é o compadre que guardava ovelhas no Alentejo. Chegou lá um gajo de gravata e de BMW e diz: aposto com o compadre em como sei quantos animais tem. O compadre, que não via a Maria desde manhã, e estava com os azeites, responde-lhe: Ah, sim, então dou-lhe uma ovelha se acertar. E o engravatado saca do PC, faz umas contas e diz: O compadre tem aqui 2 000 animais!

O nosso compadre teve mesmo que lhe dar a ovelha e mandou-o escolher. Quando o engravatado se ia embora, diz-lhe o compadre: Eu aposto com vocemecê em como sei qual é a sua profissão. É consultor! Chegou aqui sem ninguem o chamar, disse-me uma coisa que eu já sabia e em vez de uma ovelha, leva-me o cão!

Perceberam porque anda tanta gente a viver à grande e à francesa como consultor do Estado?

Contribuição do Grupo BES para o PIB – 2

Submarino sem os serviços da ESCOM

Documento prova pagamento de luvas à empresa ESCOM, a tal que recebeu 30 milhões de euros por consultoria no negócio dos submarinos, titula hoje o Correio da Manhã.

Esta contribuição para o PIB já foi aqui tratada, após o presidente do BES  nos vir dizer que o Grupo é composto por 400 empresas e contribui para o PIB em 1,5%. Eu acredito que sim, embora a minha definição de contribuição para o PIB não seja bem a mesma, é que o Grupo BES está em todas as empresas que são  protegidas pelo Estado, onde retira, não só os seus rendimentos accionistas como vende os seus serviços financeiros, de seguros, de consultoria, onde coloca os seus quadros…

A minha admiração cresceria imenso se os investimentos do Grupo BES se orientassem para as actividades de bens e serviços transaccionáveis e exportáveis, operando em mercados competitivos e abertos sem estar envolvido com o Estado, por ele protegido, e não correndo riscos.

Cada vez mais no nosso país a soma é muito inferior às partes. Estas estão milionárias e recomendam-se, o país é que está cada vez mais pobre.

A Escom ( Grupo BES) "apenas e só" …

A ESCOM, vem dizer em comunicado que “apenas e só” prestou consultoria aos vários consórcios que concorreram ao negócio dos submarinos.

Será que na hora dos honorários a expressão “apenas e só” foi levada em conta? Quanto custou aos contribuintes esse trabalho que na hora do aperto se reduz para “apenas e so” ? É que foram 30 milhões de euros, verba muito desproporcionada para um trabalho de “apenas e só ” de consultoria, como muito bem nota o despacho do Ministério Público!