Charles Coins

moedas2Está no ar o mais recente programa de humor negro, o Programa do Governo. Trata-se, na realidade, de um reality show com a apresentação a cargo de Miguel Relvas: a produção não gostou do casting de Teresa Guilherme, considerada demasiada calma e inteligente.

Apesar da preponderância de Relvas, tem sido o concorrente Carlos Moedas a ganhar algum destaque nos últimos tempos, uma vez que soube inventar uma frase que fica no ouvido: “O relatório é um bom relatório”. Inspirando-se no Diácono Remédios, Moedas soube valorizar o seu aspecto exterior, resultante de um cruzamento entre o padreca escanhoado e o programador de jogos sem vida social.

Fontes próximas do secretário de Estado confidenciaram que, em rapaz, já Carlos Moedas era um humorista nato que procurava seduzir fêmeas anglófonas com a frase “You must insert coins”, o que lhe provocava ataques de riso sufocantes. Sendo-lhe impossível evitar o recurso ao humor, foi ele o inventor do trocadilho “Goldman Saques”, associando, nesse caso, a risota à adivinhação.

A sua participação nos mais recentes episódios do Programa do Governo tem sido, portanto, um sucesso. Foi graças à sua interminável veia cómica que pôde afirmar que um relatório cheio de erros é um bom relatório. Àqueles que lhe perguntarem como pode ser bom com tantas imprecisões, o afamado autor de facécias saberá responder, sempre chistoso: “Então? Estava a falar da encadernação. E este papel couché, hein? Hehehe! Sou muito brincalhão, sempre na brincadeira! Heheheh! Mas não se ri porquê?”

Entrevista a Luís Vaz de Camões

Herman José: Humor de Perdição – Entrevista Histórica a Luís de Camões

A hipocrisia de Cavaco (ainda a propósito de Rosa Lobato Faria)


Fiz ontem a evocação de Rosa Lobato Faria, uma grande senhora. Pouco tempo depois, sucediam-se as homenagens públicas. Entre as várias que ouvi, impressionou-me a hipocrisia do Presidente da República Cavaco Silva, ainda para mais exercida no momento da morte de uma pessoa.
Se bem se lembram, foi através de pressões directas ou indirectas que o Governo de Cavaco Silva conseguiu a suspensão, em 1987, do programa «Humor de Perdição», escrito por Rosa Lobato de Faria e interpretado por Herman José. Apenas porque ali se brincava com figuras históricas como Florbela Espanca ou Fernando Pessoa.
Na altura, Cavaco não a achava uma grande mulher. Pois, a memória é curta. Depois da morte, todos são grandes. Já não chateiam.