Um país, um sistema

A-protestor

Liu Xiaobo foi condenado a 11 anos de trabalhos forçados pelo regime de Pequim. Liu Xiaobo foi condenado porque tem ideias diferentes para o governo da China e porque o governo da China não quer ideias diferentes no seu império.

Digo  11 anos de trabalhos forçados porque os fascistas chineses adoptaram para os seus prisioneiros o sistema laogai, que consiste grosso modo em garantir que não gastam um chavo: os condenados são obrigados a garantir o seu sustento através do trabalho escravo,  em penitenciárias privatizadas à luz do melhor modelo norte-americano (os impérios copiam-se).

Liu Xiaobo esteve em Tianamen, vai para 20 anos, o que garante o apoio à sua condenação por parte dos fascistas espalhados por todo o mundo que vêm nesses acontecimentos uma mera manobra da CIA. Esperem pelo próximo Avante.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Não há alternativa para o Estado de Direito !

  2. Carlos Loures says:

    O curioso é os Estados Unidos, tão preocupados com a falta de democracia em Cuba e que foram ao Iraque repô-la a ferro e fogo, não se preocupem com a vergonha que é a situação dos direitos humanos na China.

  3. Luis Moreira says:

    Mas se a China tem nas mãos grande parte da dívida externa dos US, como queres tu que eles se preocupem?

  4. Neste blogue também se equiparam comunistas a fascistas? (A referência ao Avante remete o problema para o PCP, também conhecido por Partido Comunista Português.)

    O menino é bloquista, é?
    E engraçadinho?
    E também canta aquela do “Oh Tempo volta pra trás”?
    Grande voz, não, a do velho Mourão?
    Passar bem.

  5. Luis Moreira says:

    Carlos Vidal, aqui é um bocado diferente do 5 dias, admito até que possa parecer estranho, mas é mesmo assim.
    Mas tambem é natural que mais do que um venha dizer o contrário. Estes Aventadores são gente de pouca confiança…

  6. Não é bem assim: eu também sou comunista e não me comparo a fascistas. Uma coisa que me ficou da adolescência foi não confundir quem se proclama com quem o é. E quem defende os fascistas chineses não é.
    Quanto ao Avante ainda faço a distinção entre artigos de opinião e editoriais. Nem sempre é fácil, mas com boa vontade consegue-se.
    E ó miúdo, passe bem e não se afoite. Os traumas mrppianos passam com o tempo, falo-lhe com a voz da experiência.

  7. Carlos Loures says:

    Resposta ao Luís – a questão que eu punha era puramente retórica e tu resolveste-a, pelo menos por metade. Fica ainda por salientar a completa falta de princípios de um estado que se arvorou em polícia do mundo e se arroga o direito de dizer o que está ou não certo, o que é ou não é democrático – um deus ex machina que faz tanta falta ao mundo como uma pandemia de lepra! O senhor Vidal, até aprender a conviver com ideias e opiniões diferentes das suas, não merece qualquer resposta.

  8. Luís Moreira:
    “Carlos Vidal, aqui é um bocado diferente do 5 dias”.
    Sim, é com vocês, vocês o dizem.

    No 5dias discute-se muito. Teoriza-se (na medida do possível, muito mal ou bem não interessa), e discute-se muito. Toda a gente o sabe.
    Aqui não?
    Não, atira-se logo no Avante. Está à mão, sempre esteve. O Botas também achava o mesmo. (E até ganhou o concurso de “melhor português”.)
    Bom ano.

  9. Luis Moreira says:

    No 5 dias, que eu leio, não aparece uma opinião como a do João J Cardoso e, a seguir, o seu contrário. Aqui no Aventar, isso é possível .E é mesmo assim. Cada um de nós escreve segundo o que acredita e só responde o autor. Por isso, caro Carlos, talvez não se tenha apercebido mas já tenho transcrito aqui, no Aventar, artigos de fundo publicados no Avante. É que há amigos meus, camaradas seus, que não me largam a porta, e muitas vezes têm mesmo artigos interessantes.

  10. “No 5 dias, que eu leio, não aparece uma opinião como a do João J Cardoso e, a seguir, o seu contrário.”

    É falso, obviamente, como toda a gente sabe.
    (E não vou polemizar mais.)

  11. Luis Moreira says:

    É verdade, como toda a gente sabe. Basta falar no Avante e todos no 5 dias se benzem…

  12. A começar pelos meus colegas “autonomistas” (dois ou três) e libertários (dois ou três muito assíduos). É sempre melhor argumentar de boa-fé. Senão, nada feito.

    • Luís Moreira says:

      Se o 5 dias não fosse o que é não seria um dos meus preferidos e há muito. Mas que há certos temas que pertubam, e muito, lá isso…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.