Alentejanos sábios…

“Os maiores pensadores que conheci, eram precisamente no meio de todos os eruditos aqueles que menos livros tinham lido”.

Georg Christoph Lichtenberg (1742 – 1799), físico e filósofo alemão

Seria bom se também a nível da governação tivessemos um grupo de “bombeiros” temerários que devido aos travões frouxos não têm alternativa senão apagar o incêndio. O essencial é a mola do potencial de diferença entre altos louvores acompanhados por prémios avultados e a perspectiva de ficar chamuscado.

Mas estes “bombeiros” existem e esperam a sua oportunidade. Talvez sejam da Vidigueira, quem sabe?

Rolf Rohmer

BOMBÊROS DA VIDIGUÊRA

Necessidade óbvia…

Um fogo deflagra numa grande herdade Alentejana.
Os bombeiros foram imediatamente chamados para extinguir as chamas.
O fogo estava cada vez mais forte, e os bombeiros não conseguiam dominar as chamas.
A situação já estava a ficar fora de controlo, quando alguém sugeriu que se chamasse o grupo de voluntários da Vidigueira.
Apesar de alguma dúvida quanto às capacidades e equipamento dos voluntários, sempre seria mais uma forma de auxilio. Assim foi.
Os voluntários chegaram num camião velho, desgastado pelos anos e operações de combate. Passaram em grande velocidade e dirigiram-se em linha recta para o centro do incêndio! Entraram pelo fogo adentro e só pararam mesmo no meio das chamas.
Estupefacta, a população assistiu a tudo.
Os voluntários saltaram todos do camião e começaram a pulverizar freneticamente em todas as direcções. Como estavam mesmo no meio do fogo, as chamas dividiram-se, e restaram duas porções facilmente controláveis.
Impressionado com o trabalho dos voluntários da Vidigueira , o latifundiário dono do monte respirou de alívio quando viu a sua herdade ser poupada à devastação das chamas. Na hora puxou da carteira e passou imediatamente um cheque de 5000 euros à corporação voluntária.
Um repórter do jornal local perguntou logo ao comandante dos bombeiros:
– 5000 euros! Já pensou o que vai fazer ao dinheiro?
– Penso que é óbvio, né? – responde o comandante ainda a sacudir a cinza do capacete. – A primeira coisa que vamos fazer é arranjar a porra dos travões do camião!!!

PS : Mas a técnica utilizada para apagar fogos é mesmo esta. Uma dúzia de sapadores é levada de helicóptero e descida no “olho do fogo”, a partir deste sítio, nos primeiros 100 metros o fogo anda a uma  velocidade de 20Kms/h (exemplo), nos próximos 100 metros seguintes anda a 100Kms/hora e a seguir só se pode esperar por ele. Estes Alentejanos, com ou sem travão são sábios…

Comments

  1. maria monteiro says:

    é que são mesmo sábios…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.