As Redes Sociais nas Autarquias:

Hoje estive num seminário internacional sobre “Estratégias de Comunicação nas Autarquias e nas Organizações Públicas”, organizado pela Omnisinal.

O principal motivo da minha presença: ouvir Sergio Fernández López (SFL) e as suas opiniões sobre as novas ferramentas de comunicação digital, em especial as Redes Sociais, matéria na qual Sergio López é especialista.

Devo confessar que sou um pouco céptico nestas coisas (Seminários). Claro que os considero fundamentais e um importante instrumento de aprendizagem. Porém, abordagens “académicas” relacionados com as novas ferramentas comunicacionais digitais, mais especificamente as Redes Sociais e a sua importância na comunicação institucional, não podem ser explicadas por qualquer um.

Outra coisa que me irrita solenemente nestas sessões é a velha mania portuguesa de fazer perguntas opinativas. Ou seja, em vez de se tirar dúvidas, emitem-se opiniões, as mais das vezes perfeitamente deslocadas quando não estúpidas. Como diz um amigo, são os “achadores” – eu acho que isto, eu acho aquilo…

Não posso deixar de sublinhar dois pormenores fundamentais: a qualidade da intervenção de Sergio López e a excelente organização da empresa de Custódio Oliveira (fiquei cliente).

Resumidamente, SFL chamou a atenção para a necessidade das instituições públicas, em especial as autarquias locais, começarem a olhar para os blogues, o Facebook, o Twitter, o Youtube, entre outros, como importantes ferramentas de comunicação com a sua população (abstenho-me de referir os números de utilizadores das ditas, cuja grandeza é já conhecida por todos). Uma comunicação personalizada, de grande diálogo e de fácil acesso. O segredo está na escolha acertada dos objectivos e no saber concentrar esforços para a sua realização.

É óbvio que estamos perante terrenos pouco lavrados por estas instituições que, muitas das vezes, confundem mera comparência com uma verdadeira presença – que obriga a especialização, afectação de recursos humanos e estratégia de informação. Depois, existe o medo (ou será antes pânico?) perante a famigerada “caixa de comentários”, um receio justificado por alguns exemplos que podemos encontrar nalguns blogues através, sobretudo, da figura do anónimo. Um temor que não serve para desculpar a ausência destas ferramentas na comunicação institucional – para evitar ou suavizar o problema existe o(s) especialista(s). Daí a necessidade de evitar, nesta como noutras matérias, os “sucateiros”…

Termino, convidando todos a visitar o blog de Sergio López e, já agora, ESTE meu post sobre as redes sociais.

Comments


  1. As autarquias têm pânico de tudo o que soe a negativo. Mas têm de aprender a vive com isso. Alem de que há formas de controlar os trolls.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.