E agora que as escutas foram escutadas?

Todos tínhamos uma ideia acerca das escutas. Os juízes de Aveiro não podem ser uns atrasados dando-se ao rídiculo, diziam uns, não há nada, ou são ilegais, diziam outros.

E agora que sabemos? As escutas podem ser queimadas? O PGR e o Presidente do Supremo não têm que vir explicar o que não ouviram? Não ouviram as vozes a urdir um plano para “desactivar” informação jornalística incómoda? Vamos todos fazer de conta que não há nada? Que já houve um ministro da propaganda que fazia a “linhagem” do telejornal da RTP e, por isso, há que relativizar mais este tropeção democrático?

E o que acontece à imagem do primeiro ministro? E à sua credibilidade? São coisas sem importância para o país, para a credibilidade junto das instituições internacionais que nos podem ajudar a sair desta situação aflitiva?

Sócrates pode continuar como primeiro ministro? O Presidente não tem uma palavra a dizer? A Assembleia da República não pode propor a substituição de José Sócrates, por outro socialista? Tem a maioria oposicionista para o fazer!

O país, mesmo quem o defende, acredita em José Sócrates?

Após a publicação das escutas nada será como dantes, agora a questão passa a ser, quando?

Comments

  1. Maria** says:

    calhandrice ou canalhice o efeito é o mesmo nesta estória mário crespo versus sócrates: Não está provado que .

    http://bit.ly/dn2z6e

    • Luís Moreira says:

      Maria, não está provado que os telefones eram dos próprios? Roubaram-lhos? Sabe que isto da verdade é só quando queremos acreditar…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.