Abaixo a Pena de Morte!


Enquanto vai usando dos subterfúgios próprios de regimes párias, a despótica teocracia de Teerão intimida a população, promovendo execuções em série. Como claro sinal de aviso à oposição interna e externa, o governo dos aiatolás ataca em múltiplas frentes, servindo o nuclear como pretexto para acusar o Ocidente de ingerência na política interna do país. A situação no Irão, deixou há muito de ser um problema local ou da região, pois o desenvolvimento de sistemas de ataque de longo alcance, consiste numa série ameaça à Europa, aliada dos EUA.

Geralmente indiferentes a problemas que lhes parecem longínquos, os portugueses poderiam hoje empenhar-se mais na causa dos direitos daqueles que têm arriscado a vida para o regresso do Irão a um sistema mais consentâneo com a sua história milenar.

Aqui deixamos o apelo à colaboração de todos, assinando por Portugal a petição on-line e manifestando o nosso repúdio pela vaga de execuções agendada.

Ajudar aqueles que lutam, é defendermo-nos da prepotência. Colaborem!

http://www.servisis.co.uk/greenwave/greenmail_po.html

Comments

  1. Carla Romualdo says:

    abaixo a pena de morte em todos os países, e o armamento nuclear, esteja ele em que mãos estiver. A Europa devia preocupar-se, ante de mais, com a sua participação nas guerras sujas dos EUA, seja no Iraque ou no Afeganistão, e com as bases militares que os EUA espalharam pelo território europeu

  2. Nuno Castelo-Branco says:

    Carla, as questões de princípios são sempre válidas. Mas há que olhar à política real. Imagine o que seria da Europa se não existisse essa tutela americana. Com a relutância que temos na defesa, seriamos rapidamente um alvo a abater. Além do mais, as bases podem ter benefícios directos, mas há que discuti-los com firmeza (coisa que não se passa com os Açores, praticamente gratuitos).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.