Antes de ser o navio escola Sagres


Lançado ao mar em Hamburgo, a 30 de Outubro de 1937, o Leo Schlageter foi construído para servir como navio escola da Kriegsmarine. Numa fase de rápida expansão da marinha alemã e após os acordos de limitação de tonelagem celebrados com os ingleses, Berlim decidiu-se pela construção de uma esquadra de alto mar, cujo fim estratégico seria a intercepção das principais vias comerciais atlânticas.

A tripulação na festa da passagem do equador

Irmão gémeo do Gorch Fock I , do Horst Wessel (hoje Eagle da US Navy) e do Mircea (marinha romena), serviu no período antes da guerra, em normais expedições de treino de cadetes, visitando portos atlânticos na América do Sul.

Durante a II Guerra Mundial, o Leo Schlageter permaneceu estacionado e apenas reiniciou a sua carreira oceânica em 1944, provavelmente durante a fase final da guerra, quando se tornou necessário evacuar refugiados das províncias do leste da Alemanha (hoje pertencentes à Polónia e à Rússia). Em 14 de Novembro do mesmo ano foi danificado por uma mina russa em Sassnitz e teve que ser rebocado para Swinemuende. O final da guerra encontrou-o em Flensburg, a derradeira sede do governo do Reich, agora presidido pelo almirante Doenitz.

O cadete Helmut Herglotz (nascido em 15 de Março de 1918 em Wiener Neustadt, Austria. Embarcou no Leo Schalegeter em 1938.

Confiscado pelos norte-americanos como presa de guerra, em 1948 foi vendido à marinha brasileira que o utilizou como navio escola Guanabara. Adquirido por Portugal em 1961, sofreu obras de restauro e foi baptizado como navio-escola Sagres (III), substituindo o Sagres (II). O antigo Sagres (II) é hoje um museu em Hamburgo e recuperou o seu velho nome de Rickmer Rickmers. Curiosamente, este navio tinha sido capturado pelos portugueses em 1916, num acto que se alargou a dezenas de navios comerciais alemães estacionados nos portos nacionais. Como represália, a Alemanha declarou guerra a Portugal.

Aqui vos deixamos algumas imagens do Leo Schlageter e da sua tripulação alemã.

O Leo Schlageter visitou Copenhaga, Tenerife e Pernambuco

Comments


  1. Lindo,lindo…Sem dúvida um dos navios mais bonitos alguma vez construido,tem actualmente um irmão na marinha alemã que felizmente tive a oportunidade de visitar durante o decurso do sailing na decada de 90 em bremerhaven-alemanha.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.