O milagre da multiplicação dos disparates no deserto de ideias da nossa direita

Na verdade, o Egipto foi a pátria ideológica da Al-Qaida, e a organização que individualmente mais moldou o fundamentalismo islâmico, é a Irmandade Muçulmana que, sabe-se, não teve até agora papel fundamental nos protestos. Mas o grupo existe, tem força e uma longa história de perseguições por parte de Nasser, Sadat e Mubarak, e representa uma presença activa contra o secularismo e a modernização da sociedade egípcia. A queda de Mubarak significa o fim de uma ditadura, mas também tira do poder um militar que sempre foi um travão à influência fundamentalista. Para haver democracia no Egipto não basta derrubar Mubarak, é preciso impedir que, no vazio do poder, não ascenda a Irmandade Muçulmana.

Os negritos são meus, a saber: sujeito, vírgula e predicado.

As regras para virgular são complicadas, e por vezes subjectivas, a da vírgula entre sujeito e predicado é das poucas muito claras, sendo gramaticalmente um erro grave.

Estou a desviar a atenção para a gramática, em vez de me referir ao conteúdo? Pois estou. Sabendo que Pacheco Pereira até já soube o que é uma ditadura e que uma ditadura nunca será um mal menor, prefiro corrigir-lhe a gramática. O resto já não vale a pena

Comments


  1. Na parte gramatical nem me atrevo a opinar, quanto ao conteúdo, concordo em absoluto consigo. Uma ditadura é uma ditadura e, ponto final.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.