Mubarak

Está visto, se usassem mac não tinham problemas com virus…

Gary Moore, 1952-2011

Gary Moore, lendário guitarrista de blues, morreu ontem em Espanha. Esta guitarra não voltará a soar desta forma.

João Loureiro e a justiça à medida do estatuto social

joão loureiroHá cerca de  dois meses, um pequeno restaurante da minha rua foi encerrado. Motivo: falta de entrega do IVA e, ao que parece, de outros impostos. Uma brigada das finanças, incorporando dois gigantões fardados, impôs o encerramento imediato do estabelecimento. Sucedeu a meio da manhã, quando a proprietária e o marido preparavam o menu do almoço. Sem tribunal nem juiz,  a loja foi compulsivamente fechada. Não pactuo com incumprimentos de obrigações fiscais; mas, o método usado pelas autoridades foi exagerado. Ou mesmo de revoltante injustiça, se comparado com os modos como os arguidos socialmente notáveis são tratados em processos bem mais graves e complexos.

A imprensa, Diário de Notícias e Publico por exemplo, anuncia a condenação de João Loureiro a dois anos de prisão, mas… – suspenda-se a respiração – com pena suspensa por cinco anos. O Tribunal de São João Novo,  do Porto, julgou e  condenou suavemente o antigo presidente do Boavista e outro arguido, ligado à SAD daquele clube, por “crime de abuso confiança fiscal”; crime que, segundo o art.º 105.º do RGIT – Regime Geral das Infracções Tributárias, é punível com, pelo menos, três anos de prisão (n.º 1 do citado artigo). [Read more…]

Confirma-se, a luz ao fim do túnel não está próxima

«Automóveis novos lançados a partir de hoje têm de ter luzes de circulação diurna»

Rostos da Pobreza em Portugal

Em Portugal – um site cada vez mais fixe para passar férias – há muita gente mal paga! Por exemplo, António Mexia, CEO da EDP. Não obstante ter levado um prémio de 3 milhões de euros (coisa menos coisa, 6,315 Salários Mínimos Nacionais) em 2009.

A pensar nessa injustiça, a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos deliberou que aquela empresa (que já foi de todos os portugueses) pode aumentar, em 2011, as tarifas 3,8%, sensivelmente três vezes acima da inflação do ano anterior. Se não for suficiente, nós, papalvos, cá estaremos para, em 2012, sofrer outro e outro e outro aumento!…

Quando 2+2 são 4 mais IVA

Vejam-se duas notícias aparentemente desconexas como estas:

E questionemos-nos se a primeira será assim tão surpreendente.

O governo prepara-se para aplicar um imposto sobre outro imposto (chamam-lhe “taxa”… certo!). Essa taxa é já sacada de com um truque manhoso* que é a respectiva inclusão na factura da EDP. E agora estes espertinhos preparam-se para lhe aplicar IVA de 6%.

Para enfatizar o ponto de vista deste post, poderia ser tentado pela adjectivação na linha do “mafiosos”. Mas não o farei. A Máfia defende os seus e o Governo, que é de todos, não me defende (apesar de defender os “seus”).

* Desde quando é que por ser ter electricidade em casa é sinónimo de se ter rádio ou TV? E se tiver duas casas? E se não estiver interessado nos serviços da RTP?

O que é uma boa escola? – a iluminação de Manuel Queiroz

Manuel Queiroz, tal como muita opinião publicada, e a propósito da recente polémica das escolas com contrato de associação, resolveu explicar o que é uma boa escola, usando as duas doses do costume: pouca informação e muita generalização.

Depois de reconhecer que há boas escolas privadas e boas escolas estatais, afirma que “as escolas privadas dão mais segurança aos pais, têm normalmente um ambiente mais familiar e uma liderança mais clara que as públicas.” Ora, na realidade, a grande vantagem das privadas, em termos de segurança, está na possibilidade de seleccionar alunos, para além de poderem sempre convidar os casos problemáticos a sair, algo que as públicas terão muito mais dificuldade em conseguir, graças a um Estatuto do Aluno que serve, entre outras coisas, para ajudar a falsear as estatísticas de indisciplina e de abandono escolar.

Após a sensata afirmação de que há bons professores em ambos os sistemas, Manuel Queiroz descobre que a diferença está no “contexto”, passando a explicar: “E com isso deviam aprender as escolas estatais, que têm sempre melhores resultados quando têm lideranças fortes, claras e ambientes mais controlados. Mas na maioria delas um director que dá ordens é um fascista e criar condições para fazer coisas fora do horário é uma complicação e um atentado aos direitos, porque tudo – ou quase – tem de ser decidido a nível central, em Lisboa, às vezes sendo precisar decifrar instruções contraditórias do ministério.” [Read more…]

as minhas memórias-2-História do Chile


A História do Chile não regista as maldades que narrei na minha escrita da manhã, essas atrocidades em que eu ia morrendo e tive que sair a correr do país en que menos tempo de minha vida, vivi.
O Chile foi sempre simpático, acolhedor, alegre, com festas e desfiles por sim ou por não. Teve duas guerras, como tenho relatado nos meus livros sobre a História do Chile, nos anos 30 do Século XIX, contra a confederação Peru – Boliviana que atacou ao país pelo norte, para se apoderar das do Nitrato de Sódio, que eram uma fortuna. O Chile defendeu-se e ganhou todas as minas: as que possuía antes e as que eram de Bolívia, em Antofagasta, que passara a ser chilena, como a Província de Arica, antes do Peru, mas por direito de conquista passou a ser do nosso país. Tinha também conquistado Tacna, mas por tratado entre os Presidentes Leguia e Figueroa, o armistício foi assinado a 29 de Agosto de 1929, e Tacna foi devolvida ao [Read more…]