Portugal visto pelos alemães, segundo o olhar do Frankfurter Allgemeiner Zeitung

Por cá, o discurso que passa como uma cassete é que a Alemanha, com as suas indecisões, é a culpada das nossas maleitas. E os alemães, o que dizem eles? O texto que se segue é uma tradução caseira de um artigo publicado Frankfurter Allgemeiner Zeitung a 20 de Fevereiro passado.

Socorro, vêm aí os investidores privados

Nos mercados cresce a desconfiança

(…)

Portugal está de novo na mira dos mercados pois o país encontra-se numa recessão e além disso há boatos nos mercados de que a Alemanha esteja a empurrar o governo português para pedir um programa de ajuda, tal como a Irlanda. Aparentemente, Lisboa oferece resistência. Mas embora os portugueses garantam que já tenham assegurado um terço da necessidade de financiamento para o corrente ano e até se tenham oferecido oferecido para pagar antecipadamente as dívidas que irão vencer no início do Verão, a desconfiança dos mercados cresce.

A dívida pública a dez anos rendeu na sexta-feira [18-02-2011] 7.4%. Juros a cima dos 7% são considerados não sustentáveis a prazo para um país com um elevado endividamento público e uma economia fraca. Além disso, os mercados londrinos relacionariam os crescente juros nos países periféricos com preocupações de que o governo Merkel teria possivelmente dificuldades em impor um plano de salvamento do euro no seu próprio país.

É de esperar que haja por isso nas próximas semanas agitação dos mercados de financiamento europeus, uma vez a expectativa de haver uma solução duradoura dos problemas através de política não é um dado adquirido. Os analistas do Commerzbank partem do princípio que os governos da zona euro “chamem a si” um amontoar de ajudas financeiras em Março e coloquem em prática uma governação económica “vaga”, e concluem: «Nós vemos um significativo risco, em que as elevadas expectativas dos investidores sejam defraudadas e os prémios de risco das dívidas periféricas disparem em seguida.» A probabilidade de que o EFSF venha a comprar no comprar no futuro dívida pública em vez do BCE, está a baixo dos 50%.

 

Frankfurter Allgemeiner Zeitung, 20.Fev.2010

Comments


  1. Os alemães quem fazer o seu balão d ensaio da sua nova versão câmara de Gás. Portugal foi o seleccionado. 10 milhões são fáceis de adestrar, ainda para mais cultivam aquele sentimentozinho que são inferiores por natureza Y destino que nem é preciso lavagens cerebrais … Olhai as Hurras ! Hurras Y Palmas aos Alemães … Nos melhores Jornais do País a terem Honras Garrafais!
    Não Jogo nesse campeonato! Nem que tenha que dar Vivas ao Sócrates!


  2. “Os alemães querem …”

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.