Miguel Sousa Tavares: ignorante, irresponsável, inimputável ou pior?

O conteúdo da última crónica de Miguel Sousa Tavares já foi comentado aqui e aqui. Resumidamente, o cronista do Expresso comete duas inexactidões em duas afirmações, numa ilustração do adágio que diz “cada cavadela, cada minhoca”: os professores recebiam 25 euros por cada exame corrigido e, ao que parece, corrigiam os exames dos seus próprios alunos.

Para lá da necessária discussão sobre as novidades impostas pelo Ministério neste âmbito, fica, mais uma vez, demonstrada a irresponsabilidade de alguns comentadores pagos pelos meios de comunicação social. O mesmo Miguel Sousa Tavares que, ainda há pouco, proferira imprecisões sobre a manifestação de dia 12, volta a falar do que não sabe.

O poder não constitui um privilégio; é, antes, uma responsabilidade. Miguel Sousa Tavares junta a uma formação de jurista uma longa carreira de jornalista. Presentemente, exerce funções de comentador, o que é uma forma de poder. Se é certo que de um comentador se espera, evidentemente, uma opinião, isso não o exime de rigor na busca e na confirmação dos dados em que vai basear essa mesma opinião.

Miguel Sousa Tavares é lido por milhares de portugueses que ainda acreditam que estão a ler as opiniões de um antigo jornalista, ou seja, de alguém que sabe do que fala, de alguém que só fala do que sabe, de alguém que só fala quando sabe. Puro erro: Miguel Sousa Tavares faz um uso irresponsável, eventualmente inimputável, do poder que não sabe merecer.

Aconselha-se, portanto, os leitores do ex-jornalista a fazer, semanalmente, um trabalho que devia ser anterior à escrita e da responsabilidade de quem escreve: confirmar os factos.

Comments

  1. Rodrigo Costa says:

    … Caro Fernando Nabais,

    Muito pior que tudo isso, é não compreender qual a importância do João Moutinho :-).

    Já tive o cuidado de perguntar, por e-mail, ao Vítor Serpa, qual o critério de admissão dos comentadores, tendo, como referência, exactamente, o MST, tantas as barbaridades e tanta a incoerência… Como é possível?!… Cheguei ao pondo de lhe dizer que, possivelmente, sem a mãe e sem o pai, MST seria desconhecido, não teria tanta relevância.

    Infelizmente, a Comunicação vive de “nomes”, sejam ou não analfabetos; intelectualmente, deficientes, porque são eles quem vende.

    • António Fernando Nabais says:

      Caro Rodrigo

      Uma pessoa que não compreende a importância do João Moutinho no FCP e escreve sobre futebol não apresenta, efectivamente, grande currículo.
      Considero o Miguel Sousa Tavares um caso triste de decadência, de perda de qualidades. O Miguel Sousa Tavares da “Grande Reportagem” era, para mim, uma referência. Agora, é só um comentador que confunde ser bruto com ser frontal, para além de ser um romancista deslumbrado com méritos que não tem, confundindo vendas com talento.
      Relativamente aos professores, é só mais um que fala do que não sabe e, para mim, falar do que não se sabe é poluição.

      • Rodrigo Costa says:

        Eu penso, Caro Fernando Nabais, que o problema desta gente também se prende com o “ir a todas”, não serem selectivos, no sentido de saberem até onde podem ir. Porque, independentemente do conhecimento que se tenha, não é fácil ser-se continuadamente competente, sem tempo para respirar —TVI, SIC, Expresso, A Bola, etc, etc, etc…— para analisar o que se passa e poder concluir com margem de credibilidade —tempo é dinheiro, dirão eles… Há tempos que, parecendo mortos, nos poupam ao ridículo, por ser aquele em que podemos pensar.

        E, o que é pior, é serem pessoas sem carências económicas e a fazerem figura de pobres.

  2. Há um coro de vozes, há um bando de surdos, uma multidão de mudos… As vozes são de quem tem esse poder de que fala o autor: comunicar (seja por via de mérito, ou por via de parentesco); os surdos serão aqueles que, por mais alto que fale a Nação jamais escutarão o que lhes é dito; os mudos… ora os mudos somos todos nós, que tentamos ser ouvidos e não conseguimos.
    Miguel Sousa Tavares não é um iniciado em dizer asneiras. Tornou-se, sem dúvida, voz ouvida por via de parentesco. Em Portugal, e diria eu que não só em Portugal, esse crédito que é dado a algumas pessoas pela mera linhagem sanguínea que possam manter com ilustres personalidades (no caso de MST, talvez mais a mãe do que o pai), é um erro comum. Infelizmente, de alguma forma, isso condena o poder de análise que legamos ao Futuro. Também condenou o nosso poder de análise e fez o mesmo no Passado. Hoje é só o resultado da soma de muitos ontens…
    Lourenço Torres Henriques – Pudim Fulano

  3. Artur says:

    Tendo em consideração quem é que vê a TVI, parece-me que é comercialmente correcto contratarem gente como o MST.

  4. Vocês estão mesmo a falar do colunista mais importante do jornal nacional com mais vendas e que até motivou da parte do seu director a censura de outros dois colunistas, colunistas esses que ultimamente e ao contrário do primeiro foram lideres de audiência na TV? Não pode ser… Vocês estão enganados, o homem é o supre-sumo da análise.

  5. Carlos Lopes says:

    Percebi tudo. Obrigado. Eu, que acreditei que os professores, no passado, recebiam compensações extraordinárias por corrigirem provas de exames, peço aqui desculpa. Vivemos, de facto, num País de mentirosos. É isso.

    • António Fernando Nabais says:

      Ainda bem que percebeu, caro leitor. No entanto, este tema ainda nos pode levar mais longe. Sabia que muitos desses exames não servem apenas para concluir o ensino secundário e que constituem provas de acesso à universidade? Noutros países, as provas de acesso à universidade são, logicamente, elaboradas e corrigidas pelos professores dessas mesmas universidades, o que torna a entrada para os cursos muito mais criteriosa. Em Portugal, as universidades fazem, há anos, uma espécie de “outsourcing”: são os professores do secundário corrigem essas provas. Essa é a razão por que recebiam por corrigirem os exames (a partir deste ano, nem sequer recebem).
      Ainda outra questão: aceitando-se que corrigir provas de acesso à universidade é serviço extraordinário para os professores não universitários, aceitando-se que constitui uma responsabilidade enorme (pela influência que tem na vida dos jovens), aceitando-se que os professores são técnicos especializados e supondo que a correcção de cada prova poderá levar, pelo menos, meia hora (contas que até podem pecar por defeito), não diria que devíamos estar na presença de um serviço muito bem pago?
      Nem sequer posso afirmar que Miguel Sousa Tavares seja mentiroso (só ele o saberá), mas é gravíssimo que quem ganha mais do que 25 euros por texto (digo eu) não esteja à altura da responsabilidade de (se) informar.

      • Artur says:

        E pode-se saber quanto é que os professores recebiam por corrigirem esses exames?

        • António Fernando Nabais says:

          De acordo com o despacho 8043/2010, entretanto revogado:

          2 — Os professores que asseguram a classificação das provas de exames nacionais do ensino secundário referentes ao ano lectivo de 2009 -2010 têm direito à importância ilíquida de €5 pela classificação de cada prova.

          Note: ilíquida.

  6. Aproveito para dizer que o MST não percebe também do que diz sobre a Justiça, achando que um Procurador-Adjunto é ainda a antiga figura do “delegado do Ministério Público”. Uma triste figura, que fala muito do que sabe pouco.

    • António Fernando Nabais says:

      Lá está, é por isso que é mais o que calo do que o que falo. Tinham de me pagar muito bem para começar a falar do que não sei 🙂

  7. Tito says:

    este homem intitulado por miguel sousa tavares é uma ofensa aos homens e ao povo portugues, é um inergumeno atrasado mental que nem sabe quem é o pai, tendo assim uma esposa ao nível dele uma porca meretriz brasileira que se fartou de fazer obscinades insultuosas ao povo português em território luso. este grandecissimo atrasado mental sem desprimor para os atrasados mentais deveria ser banido das televisões..tem todos os nomes maus que existem ao de cimo da terra ; só lhe chamo um nome apenas que engloba todos os outros que é PORTISTA. Saudações

  8. Ana Maria Gomes says:

    Sobre os Professores

    É do conhecimento público que o senhor Miguel de Sousa Tavares considerou ‘os professores os inúteis mais bem pagos deste país.’ Espantar-me-ia uma afirmação tão generalista e imoral, não conhecesse já outras afirmações que não diferem muito desta, quer na forma, quer na índole. Não lhe parece que há inúteis, que fazem coisas inúteis e escrevem coisas inúteis, que são pagos a peso de ouro? Não lhe parece que deveria ter dirigido as suas aberrações a gente que, neste deprimente país, tem mais do que uma sinecura e assim enche os bolsos? Não será esse o seu caso? O que escreveu é um atentado à cultura portuguesa, à educação e aos seus intervenientes, alunos e professores. Alunos e professores de ontem e de hoje, porque eu já fui aluna, logo de ‘inúteis’, como o senhor também terá sido. Ou pensa hoje de forma diferente para estar de acordo com o sistema?

    O senhor tem filhos? – a minha ignorância a este respeito deve-se ao facto de não ser muito dada a ler revistas cor-de-rosa. Se os tem, e se estudam, teve, por acaso, a frontalidade de encarar os seus professores e dizer-lhes que ‘são os inúteis mais bem pagos do país.’? Não me parece… Estudam os seus filhos em escolas públicas ou privadas? É que a coisa muda de figura! Há escolas privadas onde se pagam substancialmente as notas dos alunos, que os professores ‘inúteis’ são obrigados a atribuir. A alarvidade que escreveu, além de ser insultuosa, revela muita ignorância em relação à educação e ao ensino. E, quem é ignorante, não deve julgar sem conhecimento de causa. Sei que é escritor, porém nunca li qualquer livro seu, por isso não emito julgamentos sobre aquilo que desconheço. Entende ou quer que a professora explique de novo?

    Sou professora de Português com imenso prazer. Oxalá nunca nenhuma das suas obras venha a integrar os programas da disciplina, pois acredito que nenhum dos ‘inúteis’ a que se referiu a leccionasse com prazer. Com prazer e paixão tenho leccionado, ao longo dos meus vinte e sete anos de serviço, a obra de sua mãe, Sophia de Mello Breyner Andersen, que reverencio. O senhor é a prova inequívoca que nem sempre uma sã e bela árvore dá são e belo fruto. Tenho dificuldade em interiorizar que tenha sido ela quem o ensinou a escrever. A sua ilustre mãe era uma humanista convicta. Que pena não ter interiorizado essa lição! A lição do humanismo que não julga sem provas! Já visitou, por acaso, alguma escola pública? Já se deu ao trabalho de ler, com atenção, o documento sobre a avaliação dos professores? Não, claro que não. É mais cómodo fazer afirmações bombásticas, que agitem, no mau sentido, a opinião pública, para assim se auto-publicitar.

    Sei que, num jornal desportivo, escreve, de vez em quando, umas crónicas e que defende muito bem o seu clube. Alguma vez lhe ocorreu, quando o seu clube perde, com clubes da terceira divisão, escrever que ‘os jogadores de futebol são os inúteis mais bem pagos do país.’? Alguma vez lhe ocorreu escrever que há dirigentes desportivos que ‘são os inúteis’ mais protegidos do país? Presumo que não, e não tenho qualquer dúvida de que deve entender mais de futebol do que de Educação. Alguma vez lhe ocorreu escrever que os advogados ‘são os inúteis mais bem pagos do país’? Ou os políticos? Não, acredito que não, embora também não tenha dúvidas de que deve estar mais familiarizado com essas áreas. Não tenho nada contra os jogadores de futebol, nada contra os dirigentes desportivos, nada contra os advogados.
    Porque não são eles que me impedem de exercer, com dignidade, a minha profissão. Tenho sim contra os políticos arrogantes, prepotentes, desumanos e inúteis, que querem fazer da educação o caixote do (falso) sucesso para posterior envio para a Europa e para o mundo. Tenho contra pseudo-jornalistas, como o senhor, que são, juntamente com os políticos, ‘os inúteis mais bem pagos do país’, que se arvoram em salvadores da pátria, quando o que lhes interessa é o seu próprio umbigo.

    Assim sendo, Sr. Miguel de Sousa Tavares, informe-se, que a informaçãozinha é bem necessária antes de ‘escrevinhar’ alarvices sobre quem dá a este país, além de grandes lições nas aulas, a alunos que são a razão de ser do professor, lições de democracia ao país. Mas o senhor não entende! Para si, democracia deve ser estar do lado de quem convém.

    Por isso, não posso deixar de lhe transmitir uma mensagem com que termina um texto da sua sábia mãe: ‘Perdoai-lhes, Senhor Porque eles sabem o que fazem.’

    Ana Maria Gomes
    Escola Secundária de Barcelos

    • maria não vai com as outras says:

      Totalmente de acordo com os comentários ! Parabéns pelo texto Ana Maria Gomes!
      Essa criatura parece um psicopata perseguindo os professores. Mas infelizmente, é com consciência que reproduz o pior que a sociedade vigente actualmente produz : O Poder da Mediocridade, Falácia e Manipulação, com o Objectivo de Dividir Para Reinar!

      • antonio varvalho says:

        Por todas as considerações aqui expressas, penso que aquilo que se pode concluir deste personagem (MST) é que ele se pode considerar a fotografia mais fiel(palavra mentirosa, cretinice, politico igual aos nossos governantes e papagaio) que no nosso País têm sempre à disposição qualquer Televisão ou jornal que se dispôe a contaminar qualquer restea de contraditório ou de verdade. Só me resta lamentar que com tais atitudes, este MST, só desonra a honra, da intelectual e da mulher de verdade que lhe deu vida.

  9. antonio santos says:

    Este senhor,pura e simplesmente é pago pelos poderosos,para os defender!…

  10. João P.S.Inacio says:

    O criterio de escolha esta-se mesmo a ver qual é . Mas se ainda fosse caso unico , é como aqueles “estudantes” de tudo e mais alguma coisa , que as quarentas e tais , têm acento opinitivo em televisoÔES sobre tudo e mais alguma coisa . E cujo o unico contributo para a sociedade foi , andar na faculdade até ser velho , coçar a micose , e depois apareçem na TV , a opiniar , como se soubessem o que é vida . E como as amostras para comparações que as TVs vamos buscar , a grande maioria a roçar o ridiculo , a gozar com quem assiste ou vive com 500 ou 600 euros mensais !!!! Que fez para poupar no tempo de crise ??? Deixei de comprar cromos ao meu filho !!!! Que é isso .????

  11. carlos carias says:

    Peço desculpa, mas MST não vale 1/10 dos comentários feitos, pelo que para mim o assunto fica por aqui.

  12. Concordo com a maior parte dos comentários

    pena é que se perca tanto tempo com nomes e quasi nenhum a defender aquilo que realmente nos deve preocupar….

    continuamos a ir na onda das sondagens encomendadas, e na exploração do que existe de mais baixo e porco no ser humano..tipo casa dos degredos ou lá o que é.. o programa cultural mais visto em portugal

    ESTES GAJOS HÃO-DE GOZAR AO MÁXIMO… HAVEMOS DE ESTAR CONTENTES E SATISFEITOS .. DE TELEMÓVEL NA MÃO, A OLHAR PARA O PLASMA A VER A CASA DOS DOS SEGREDOS E A DISCUTIR QUEM QUE É QUE DEVE FICAR OU NÃO SEM NOS APERCEBERMOS DE QUE ESTAMOS A COMER MERDA E DE OS NOSSOS FILHOS E NETOS ESTÃO A MORRER À FOME….

  13. Rodri says:

    Vejo muita azia aqui! O MST diz o que pensa sem temer qualquer tipo de lobby! Força MST

    • António Fernando Nabais says:

      Pois, basta dizer o que se pensa sem se temer nenhum lobby para se ter razão. Bom critério!

  14. Fernando Montez says:

    QUE GRANDE MERDA, ESTES GAJOS FALAM, FALAM E NÃO DIZEM NADA.
    SINCERAMENTE ESTOU PERPLEXO COM TANTA ESTUPIDEZ!
    ESTÃO TODOS PREOCUPADOS COM O MIGUEL, MAS NINGUÉM SE PREOCUPA COM A MERDA QUE O GOVERNO ANDA A FAZER COM A CONIVÊNCIA DO PR.
    SINCERAMENTE ABRAM OS OLHOS E NÃO CRITIQUEM PORQUE NESTE MUNDO QUANDO APONTAMOS O DEDO PARA ALGUÉM TEMOS TRÊS A APONTAR PARA NÓS.
    DEIXEM AS PALAVRAS, POIS DISSO NÃO PASSAM, PARA OUTRA ALTURA.
    AFINAL TANTOS COMENTÁRIOS PARECE QUE ALGUÉM, ESTÁ ENFIANDO O BARRETE.
    CAMBADA DE PALHAÇOS
    FJMONTEZ

Trackbacks

  1. […] Miguel Sousa Tavares: ignorante, irresponsável, inimputável ou pior? […]

  2. […] Sousa Tavares, na sequência do que escreveu na semana passada, conseguiu reconhecer que se enganou na quantia astronómica que os professores recebiam por […]

  3. […] deixarei de me espantar com a leviandade com que as tribunas de opinião são usadas, porque são locais de autoridade: mesmo que não seja obrigatório ser-se sisudo, é necessário […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.