Um homem de convicções…

Enquanto eleitor no Distrito de Lisboa, Pedro Passos Coelho acaba de me poupar alguma indecisão sobre em quem votar nas próximas legislativas, mais uma vez não votarei PSD. Mas permitam-me uma dúvida, nos próximos 2 anos estará Fernando Nobre mais identificado com as posições que serão tomadas em Bruxelas por Miguel Portas, Marisa Matias e Rui Tavares, ou passará a alinhar com Paulo Rangel, Carlos Coelho, Maria da Graça Carvalho e restantes eurodeputados do PSD? E sem querer maçar o estimado leitor com as minhas dúvidas, assim de repente tenho mais uma questão, se Fernando Nobre é o candidato do PPD/PSD a presidente da Assembleia da República, cargo cujo titular não é eleito pelos portugueses, mas pelo parlamento, sempre pelo partido mais votado, na hipótese, penso que remota, mas existe, do PS vencer as eleições, irá Fernando Nobre assumir o seu lugar de deputado na bancada parlamentar do PSD, representando os eleitores do círculo, que nele irão votar? Ou renunciará ao mandato?

 

 

Comments


  1. O António de Almeida é ‘um engraçado’… estava indeciso em votar no PSD mas assim, com o Fernando Nobre não vota de certeza, certamente porque o homem foi apoiante do Bloco nas Europeias ou outra coisa pior, sei lá, é Presidente da AMI… que horror. Não espera… acredita em extra-terrestes, é isso?


  2. Não meu caro! Costumo assumir publicamente a minha posição de voto, recusei votar PSD em 2009 pelas purgas nas listas, aliás, a última vez que votei em tal partido foi em 2002, entusiasmado com a expectativa do choque fiscal. Ainda não decidi se irei votar em Junho, também assumi publicamente que não votaria nas presidenciais, mas tudo a seu tempo, não passo cheques em branco com esta antecedência, para não ser obrigado a dar o dito por não dito. Enquanto eleitor em Lisboa, não conto mudar de residência até Junho, sim, não votarei PSD e Fernando Nobre, por enquanto não posso afirmar mais que isto…


  3. … Bem!, resta aguardar pelo vídeo em que Fernando Nobre poderá explicar por que aceitou o convite de Passos Coelho.

    O facto de mudar, só por si, não é dramático. Depende do discurso que vier a adoptar; embora reconheça que o acho estranho, desde a campanha para as presidenciais, na medida em que há algo que não está bem, no modo como se expressa, parecendo-me ter problemas de alguma natureza, com dificuldade para pronunciar algumas palavras, associada a um certo ar de ingenuidade… Os seus raciocínios não são, em regra, imediatos; fala ou disserta como se obedecendo a uma cábula… Será impressão minha? Teremos que esperar para ver. Fernando Nobre pode, de facto, ser um idealista… ou, dentro em pouco, se constatará que tem, mesmo, problemas. Até lá, como digo, aguardemos.

Trackbacks


  1. […] Expresso, sobre a qual já escreveu o Carlos Fonseca, em post abaixo, vem confirmar a posição que assumi enquanto eleitor do Distrito de Lisboa, não sei ainda em que partido votarei nas próximas […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.