Crime e castigo

Durante as últimas décadas, governos, partidos – mesmo os que não chegaram a governar – e eleitores colaboraram activamente para que a nossa qualidade de vida subisse consideravelmente. O salto foi de tal forma intenso que foi possível fazer um colosso cultural em Belém (agora emprestado a um particular), ergueram-se estádios em todo o país (que até vão ser demolidos por causa do custo de manutenção), a lista de aldeias com acesso por autoestrada gratuita cresceu exponencialmente (apesar de agora terem que ser pagas) e o número de pessoas a trabalhar directa ou indirectamente no Estado não parou de crescer (tanto bem público precisa, inevitavelmente, de mais eleitores – perdão, trabalhadores).

Talvez nem houvesse problema se por acaso os consumidores não preferissem o preço dos jeans feitos por orientais a trabalharem 14 horas por dia do que os nossos que eram feitos no Vale do Ave em condições laborais justas mas mais caros. Ou se os carros não viessem da Alemanha, os computadores de Taiwan, os tomates de Espanha, os lápis da China e o software da América. Ou então, que tivéssemos todas essas importações mas que a nossa balança comercial não fosse 10% deficitária ao ano, levando o país a endividar-se no valor do seu PIB a cada 10 anos.

Eleição após eleição vemos o crime da irrealidade ser premiado com o voto. Chegado o castigo da conta, é altura de irmos para a rua gritar contra os que até aqui nos trouxeram. Chega de conformismo, abaixo os eleitores. Ups, se calhar os culpados não são “eles” mas sim nós.

Comments

  1. Rita says:

    Muito bom!!!
    A realidade é dura….. mas é a realidade!!!!


  2. bem observado.

  3. Konigvs says:

    Abaixo os eleitores ponto e vírgula!!! Abaixo os eleitores votantes!!! Porque mais de 40% e seja lá por que não motivo for não põem lá os pés!!
    Depois ainda temos também de excluir todos aqueles que votam branco e os que preferem riscar o boletim!! Justiça seja feita também a todos aqueles que votam em partidos que nunca tiveram assento parlamentar, logo estão desresponsabilizados!

    Refazendo a frase eu diria “abaixo os eleitores que votam sempre nos mesmos porcos”.

  4. S.Miguel Dias says:

    São sempre ótimos a criticar e dotados de elevadíssima erudição quando toca a discorrer sobre o nosso anémico passado recente. No teclado são sempre impolutos e senhores da razão. Dispõem sempre de soluções fáceis e certeiras para tudo. Inserem textos onde passam a vida a bater no desgraçado do país que os viu nascer.
    E que tal apresentar ideias exequíveis e devidamente sustentadas para melhorar o nosso país? E que tal ir votar sempre, nem que seja pelo simples prazer de vivermos em liberdade?
    Façam-se à vida!

  5. Konigvs says:

    Eu também não enfio o barrete, fui sempre votar incluindo os referendos – e não sou filiado em nenhum partido, porque esses votam por interesse!!
    E cheira-me S.Miguel Dias, que os 50% (mais coisa menos coisa) das pessoas que não votam, se estão literalmente a cagar para a política/políticos/partidos e não vêm para blogs/fóruns falar do assunto.

  6. Faroleiro da Berlenga says:

    Pessoalmente (tenho 53 anos) só votei 2 vezes e até dessas me arrependi. Efectivamente os culpados são todos aqueles que exigiram um elevado padrão de vida a crédito e agora não querem pagar a quem lhes emprestou o dinheiro mas a bem ou a mal vão ter que o fazer. A CULPA É DE TODOS NÓS os que votaram e os que se abstiveram. Queremos bons centros de Saúde e Hospitais, autoestradas gratuitas, escolas ultramodernas com computadores para todos, repartições confortáveis e centros culturais faraónicos tudo isto pagando impostos irrisórios. Então agora aguentem-se e apertem o cinto!!!

  7. Martunis says:

    Distribuir as culpas por todos igualmente no estilo “pagam os inocentes pelo pecador” é muito conveniente para quem não quer sofrer uma responsabilização efectiva pelos seus actos.

    Se considerarmos que a culpa, ou pelo menos parte dela, é dos nossos governantes então os cidadãos que os elegeram, bem como aqueles que se abstiveram ou votaram em branco são responsáveis. Mas por favor não queiram culpar aqueles que votaram nos outros partidos, porque as alternativas existem e sempre existiram. Isto é particularmente dirigido àqueles que sempre se abstiveram ou então sempre votaram na troika interna do PS/PSD/CDS mas não se coibem de criticar as políticas que temos tido.

    Caros senhores, quem não voteu “neles”, quem não contraiu dívidas que não podia pagar, quem nunca viveu acima das suas possibilidades dispensa as vossas hipócritas ou ignorantes lições morais quando ainda tem que pagar com mais impostos e menos serviços sociais os erros e crimes praticados pelos dirigentes políticos por vós eleitos.

    E quando digo “por vós”, volto a especificar: Quem sempre votou na troika interna e é culpado activamente e quem geralmente se abstém e é culpado por inacção.

    Este comentário foca-se exclusivamente na questão polítca porque, a médio e longo prazo, todos os outros factores dependem, em grande parte, desta, desde a falta de competitivadade da nossa economia á baixa qualificação e educação cívica da população.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.