FCP/Benfica: sem bolas de golfe é diferente…

…mas o FC Porto devia providenciar umas cadeiras de descanso para os seus atletas. Os rapazes quando se apanham a ganhar passam o tempo deitados no relvado e, com a humidade, deve ser desconfortável.

Por outro lado, com esta equipa, Pinto da Costa pode subir o preço dos bilhetes dada a estrutura multidisciplinar do espectáculo: o público tem direito a futebol (pouco), teatro (muito) e farta-se de ver filmes.

Solidariedade Ferroviária

Fonte próxima.

 

Os PIIGS passam a PIIGGS?

Notícia aqui.

 

A dívida oculta da Alemanha, ou um Alberto João Jardim de saias

A verdade” – é o título do Handelsblatt, que baseando-se em números espantosos, põe termo ao mito da alegada parcimónia do Estado alemão. Oficialmente, a dívida alemã, em 2011, é de 2 biliões de euros. Mas isso é apenas uma meia verdade, porque a maior parte das despesas previstas com reformados, doentes e pessoas dependentes não foram incluídas nesse cálculo. De acordo com os novos números, a dívida real ascende a mais 5 biliões de euros. Por conseguinte, a dívida da Alemanha atingiria 185% do seu produto interno bruto e não os 83% oficialmente anunciados. Como termo de comparação, a dívida grega em 2012 deverá ascender a 186% do PIB da Grécia e a dívida italiana é atualmente de 120%. O limitar [sic] crítico a partir do qual a dívida esmaga o crescimento é de 90%. Desde que chegou ao poder, em 2005, Angela Merkel “criou tantas novas dívidas como todos os Chanceleres das quatro últimas décadas juntos”, refere o economista principal deste diário económico.Estes 7 biliões de euros são um cheque sem provisão que nós assinámos e que os nossos filhos e netos terão que pagar.” in Presseurop, sublinhados meus

Comentários para quê? A confirmar-se esta notícia, além de a CE acabar nos próximos dias estaríamos perante o final da III Guerra Mundial, esta discreta e convenhamos que com muito menos mortos. Mas ficaria explicada muita coisa, nomeadamente que a preocupação em salvar os bancos alemães afinal era mesmo uma tentativa de salvar a própria Alemanha.

E agora os PIIGS passarão a PIIGGS?

Cesária Évora: quem nunca a viu cantar ao vivo, já não vê

Tive a sorte de a ver ao vivo algumas vezes e tenho a fortuna de as recordar.

Agora, a senhora dos pés descalços anuncia um ponto final numa carreira que deve muito a França e a Paris como grande centro difusor da música – e da cultura- africana, por muito que isso custe a quem se julgue mais próximo de África, que a língua é que nos une e tal e tal.

Eu, Cesária, também só queria poder cantar mo da bô* e é ma bô** que eu queria aprender…

* como você

** com você

Tu queres ver?!

Ronaldo e Iniesta podem casar no mesmo dia

Uma leitura apressada de determinados títulos pode levar à ligeireza de insinuações, ainda para mais tendo em conta as loas que Cristiano Ronaldo teceu recentemente à sua própria beleza, numa atitude considerada pouco máscula em determinados círculos. Parece, aliás, que os responsáveis pela Liga Espanhola estão a pensar incluir passerelles no acesso ao relvado e não será estranho assistir à entrega do ceptro e da coroa ao nosso madeirense madrileno, que poderá chorar, ao mesmo tempo que louva a paz no mundo, atirando beijos com a mão enluvada de rendas brancas.

A leitura da notícia, cujo conteúdo é precioso para a vida de todos aqueles que prezam a informação útil, desmente qualquer maledicência ou dúvida forçada acerca da sexualidade dos dois craques rivais, mas não deixa de ser curioso imaginar que a legalização do casamento homossexual venha a juntar matrimonialmente dois jogadores de clubes inimigos que, uma vez em casa, poderão dedicar-se a entradas de pés juntos, dando um novo enquadramento ao conceito de violência doméstica ou conferindo um sabor diferente a uma relação sadomasoquista.

O caruncho (2)

(Continuando)

Cada vez mais, o país precisa de um Tribunal de Contas munido de efectivos poderes punitivos.

É preciso, também, o enquadramento como crimes de lesa-pátria as decisões políticas que agravam o endividamento público e nos tornam mais dependentes do financiamento externo com a consequente perda de soberania e dependência de agências de notação financeira.

Hoje, face a mais descalabros de défice público nas contas da Madeira, é um imperativo nacional que, de uma vez por todas, se exija dos responsáveis políticos e gestores públicos, responsabilidades pessoais pelos ilícitos cometidos no exercício das respectivas funções.

Urge, também, alterar a contabilidade pública de modo a se contabilizar não apenas o que é devido em certo ano mas sim a totalidade do compromisso assumido. Bem como submeter todos os organismos estatais ao Plano Oficial de Contabilidade Pública.

Pedir continuamente sacrifícios ao povo, aumentando impostos sobre os rendimentos do trabalho, aumentando o custo de bens essenciais, diminuindo às prestações do Estado-social para depois se permitir a impunidade de quem é responsável, é a negação do Estado de Direito Democrático consagrado na nossa Constituição.

Mas se as decisões quanto a distribuir os sacrifícios são políticas, a impunidade já é matéria de foro criminal. E aí, é obrigação do Ministério Público investigar e acusar nos termos preceituados pelas leis penais e processuais penais.

Não se pode apenas exigir medidas ao Governo e omitir o Procurador-Geral da República.

(Publicado no jornal semanário famalicense “Opinião Pública” a 21/09/2011)