Tantos Russos…

Não sabia que tinha tantos amigos conhecedores da língua russa. O meu telemóvel quase que bloqueia com tanta mensagem em russo. Só ainda não percebi o que querem. Serão insultos ou palavras amigas?

Já dizia o outro: o primeiro milho é para os russos…

Comments

  1. Ricardo says:

    Apelo a todos os benfiquistas a terem uma atitude de pacificação. Um clima de paz no futebol português favorece o equilibrio. Aplaudamos os nossos adversários desportivos num ambiente de festa. Farto-me de dizer: ódio não leva a nada. Mais, recebamos todos os nossos advesários desportivos no nosso estádio com aplausos, sempre, independentemente da forma como somos recebidos nos outros estádios. Comecemos a mudar as mentalidades do futebol português. Sejamos um clube diferente pela positiva.


  2. nas competições europeias sou das equipes portuguesas.

  3. Ricardo says:

    Mais. Vocês sabem qual o pior pesadelo do Pinto da Costa? Eu sei:

    O Porto a entrar no estádio da Luz ao som de 65000 pessoas a aplaudirem os jogadores do FCP. É o pior que poderia acontecer ao Pinto da Costa, não ao FCP. Benfiquistas, comecemos a ser espertos…

  4. Konigvs says:

    Ricardo há um pequeno problema: na grande generalidade dos adeptos portugueses a inteligência não costuma abundar!!
    Nunca iremos ver nos estádios portugueses a equipa da casa estar a perder por 2 ou 3 e os adeptos sempre a aplaudir ou a cantar o “you will never walk alone”.
    Aqui assobiam os próprios jogadores da equipa (mesmo quando não estão a perder) ou então insultam um terceiro clube que nada tem a ver com o jogo em questão.

    • Ricardo says:

      É verdade. Eu reconheço a dificuldade da questão. Mas, se repararmos do ponto de vista “económico” e económico é um acto inteligente tanto para o Benfica como para o Sporting introduzirem este tipo de mentalidade em Portugal. Se os adeptos (há sempre aqueles radicais…) perceberem as vantagens, poderão mudar o seu comportamento. Seria essencial proibir a entrada de claques. Em Inglaterra parece-me que não existem. Estou enganado, pergunto sinceramente?

      Ao menos que as pessoas percebam que existe um certa pessoa que fomenta o ódio para preparar o terreno para a sua equipa ganhar. E vejam como os seus defensores nem pó… muito sossegadinhos. Porque sabem que estão a ser desvendados…

      Percebam a tática usada por esse senhor. Como é que se combate isso? Conformando-nos? Nunca.

  5. Konigvs says:

    Sim, inquestionavelmente, as claques trouxeram mais males que benefícios ao futebol. Eu nem vou expor o que penso do futebol português senão nunca mais parava de escrever, mas o que se tem visto é basicamente terrorismo. Fazem-se esperas aos autocarros para os apedrejar, partem-se as Casas dos clubes como se eles tivessem alguma culpa, são as bolas de golfe que podem matar, etc etc.
    Há muito que o futebol deixou de ser o desporto do povo, hoje em dia é o desporto da burguesia, e dos terroristas. O último jogo de futebol que fui ver foi em 94. Não tenho sportv, nem compro jornais desportivos. 65eur para ver um jogo de futebol em que posso ser agredido por adeptos adversários (ou mesmo da mesma cor como acontece por ridículo que possa parecer) ou ser agredido pela polícia, levar com uma bola de golfe na cabeça, ou ainda pagar 65eur para ver um espetáculo e sair de lá chateado porque o clube da minha simpatia perdeu…quer dizer é um bocadinho masoquista!!
    Na Inglaterra existia algum holiganismo, que rapidamente as autoridades acabaram com ele. Todas as pessoas que provocam desacatos nos estádios estão proibidas de lá entrarem. Aqui andam todos à porrada e na semana seguinte lá estão todos outra vez. Existem as leis mas, como sempre ninguém as cumpre. Temos imensa legislação sobre tudo mas a justiça, como dizia o outro, “está-se a cagar”. E depois vemos incrédulos as televisões a entrevistarem líderes de claques e a darem-lhe protagonismo.
    O futebol devia ser uma festa, um escape mas hoje em dia mais parece uma guerra. E a culpa passa muito também – como o Ricardo referiu – pelos dirigentes e treinadores que gostam de inflamar os ânimos e claro depois os adeptos sedentos de violência vão atrás. Até estranhei que no último Porto x Benfica tudo tenha corrido bem!!

  6. miguel dias says:

    Dezmilrussos, não era o nome daquele cantor grego barbudo?


  7. O Porto, também, é Portugal.
    Nem o FCP, nem o SLB são uma “NAÇÃO”.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.