Que não seja o dia dos livros mortos

Há sítios onde os livros ressuscitam, sem abate de árvores. Na Universidade de Coimbra, por exemplo.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.