Que não seja o dia dos livros mortos

Há sítios onde os livros ressuscitam, sem abate de árvores. Na Universidade de Coimbra, por exemplo.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.