A Imprensa Regional.

Para promover os desígnios pessoais e colectivos de certos edis e edilidades existe a imprensa regional. Longe dos tempos em que servia a quezília política e ideológica, anunciava abertura de novas mercearias ou publicitava as carreiras de vapor para o Brasil ou os comboios para França, o pequeno jornalismo serve hoje de bandeja o longo rol de obras paroquiais e municipais. A mentalidade ainda é semelhante à que imperava durante essa longa noite radiofónica chamada Estado Novo: o jornalista local é uma extensão do funcionalismo , agora munido de gabinetes de comunicação que preparam as notícias. Estas não diferem muito, em teor e assuntos, do tempo da Segunda República (1926-1974), quando os senhores dos velhos municípios liberais (escudados em anacrónicos pretensos direitos medievais) se ufanavam de, com pompa e circunstância, inaugurar fontanários, caminhos rurais ou casas do povo. Hoje são rotundas, parques de merenda e auditórios, como se a cada concelho coubesse a necessidade de equipar-se segundo um pequeno país. No fundo não temos municípios mas antes 308 principados do “tipo Andorra” cada um com a sua biblioteca, o seu auditório, tribunal e complexos desportivos que poucos usam porque as muitas estradas levaram os habitantes a procurar outras paragens. No meio desta esquizofrenia urbanística estão, portanto, os jornais locais. [Read more…]

Quem pode, pode.

Lamborghini Aventador J

[Read more…]

Um buraco gigantesco

Deve estar lembrado(a) do gigantesco buraco que se abriu na Cidade de Guatemala há quase dois anos. As àguas diluviais que acompanharam a tempestade tropical abriram aquele buraco descomunal no centro da capital daquele país. As dimensões, 60 metros de profundidade e 21,54 diâmetro, foram suficientes para engolir edifícios.

Mas há outros buracos… Aqueles que engolem serem humanos, aqueles onde por vezes caímos e são abertos por maus políticos, más políticas, má gestão, o que vai dar ao mesmo… (lembro-me da vaga de suicídios na France Telecom há dois anos).

Na quarta-feira passada, um senhor grego de 77 anos suicidou-se com um tiro em frente ao Parlamento. Descobriu-se uma carta deste homem onde acusa o Governo de, “com tantos cortes, ter praticamente reduzido a zero a sua reforma”. O número de suicídios tem aumentado na Grécia à “medida que têm sido impostas as medidas de austeridade” (Expresso, 6 de abril). [Read more…]

Cerveira (I)

Rio Minho junto à Ponte Internacional (Ponte da Amizade) que liga Cerveira a Goian

25 Poemas de Abril (III)

António de Oliveira Salazar.
Três nomes em sequência regular…
António é António.
Oliveira é uma árvore.
Salazar é só apelido.
Até aí está bem.
O que não faz sentido
É o sentido que tudo isto tem.

Este senhor Salazar
É feito de sal e azar.
Se um dia chove,
O sal,
E sob o céu
Fica só azar, é natural.
Oh, c’os diabos!
Parece que já choveu…

Coitadinho
Do tiraninho!
Não bebe vinho.
Nem sequer sozinho… [Read more…]

Se houver manifesta concordância das partes envolvidas

Sobre os MEGA – AGRUPAMENTOS, uma excelente tomada de posição do Conselho Municipal de Educação de Gondomar, para onde estão previstos TERA – agrupamentos.

De Joelhos Perante o Santo Sudário

Pepe será militante do PSD: Relvas és o senhor que se segue

Este tipo tem a escola toda! “Se mexer, leva!”

Vai daí pensei em arranjar um cartão de militante do PSD ao Pepe. Assim, como assim, já sabe o hino, ainda que na versão com samba.

Quando o Relvas abrir a boca para dizer mais uma parvoíce, manda-se uma mensagem ao bobi e ao tareco e eis que numa entrada de carrinho, a pés juntos, temos o Relvas, no soalho, com as duas pernas partidas ou até quem sabe com uma distensão muscular na ponta do nariz. Com um jeitinho, ainda sobra uma cotovelada para o Coelho.

A vontade de agredir é tanta que, no jogo de ontem contra o Valência, PEPE agrediu um colega do Real Madrid (com  um 7 na camisola). Terá sido o Cristiano Ronaldo a vítima?

Veja com os seus próprios olhos:

[youtube:http://youtu.be/kauFdeh0mRI]

O agredido ainda teve forças para se rir da situação.

Contrastes: a faustosa igreja e a miséria no mundo

Papa Bento XVI(2)

fome Darfour

O ‘Público’ publica  na 1.ª página uma indecorosa exibição do fausto papal. Na senda, aliás, do que desde há séculos é a abjecta exuberância de luxo do Vaticano. Bento XVI, como outros antecessores, salvaguardando João XXIII e João Paulo I cuja morte permanece envolvida em mistério, prolonga a imoralidade da ostentação da ICAR face aos fenómenos da  desumanidade em expansão no mundo.

As imagens documentam, pois, a ignóbil vida luxuosa do Vaticano, com um papa revestido a ouro; sabemos que calça sapatos ‘Prada’ de 4.000 euros.O desprezo é total pelos milhões de crianças a morrer de fome em África e em outras paragens, como provavelmente será o caso da criança de Darfour que, à míngua de alimentos, se nutre do que encontra. Dejectos que sejam.

Doutrinário do ultramontanismo no papado de João Paulo II, Bento XVI lançou uma série de apelos e condenações à violência, num exercício de mimetismo de contestações que a sociedade laica, desestruturada, também reclama aos quatro ventos. Porque a reclamação é espontânea e assente em sentimentos óbvios. [Read more…]

56 heróis nacionais

Uma equipa de investigadores de Santiago de Compostela elaborou uma lista com 56 republicanos portugueses assassinados pelo franquismo espanhol na região da Galiza

A ler no DN, e acrescento: se estão em valas comuns a homenagem não pode ficar por uma placa.

Bandalheira, Vergonha!

Advogados, Bolonha, Universidades, Exames
Os senhores advogados novos, os que acabam os estudos nas universidades, têm de fazer um exame à respectiva Ordem para poderem exercer a actividade.
Assim foi em Janeiro último, com os resultados a serem tornados públicos agora.
Chumbaram 59% dos admitidos a exame, sendo que dos aprovados raros foram os que tiveram notas superiores a 14/20.
Dos candidatos oriundos das Regiões Autónomas, nenhum foi aprovado.
O senhor Bastonário da Ordem veio a terreiro dizer que não se admirava nada com os resultados apresentados, já que os senhores advogados não vinham preparados devidamente, e que os principais responsáveis eram as Universidades, quer públicas quer privadas que, após Bolonha, definiram programas de acordo com os seus interesses económicos abandalhando os programas e prejudicando o ensino devido aos estudantes.
A ser assim, se eu fosse um dos candidatos no exame à Ordem dos Advogados e tivesse chumbado por manifesta falta de preparação (ou mesmo que tivesse sido aprovado), de imediato poria a minha Universidade em Tribunal, processando-a por burla ou trapaça ou outra coisa qualquer, já que se no fim do curso, no qual tinha sido aprovado, eu não usufruía de conhecimentos necessários à prática da profissão, e a culpa dessa “impreparação” não poderia nunca ser minha. Para além disso, o senhor Bastonário iria por certo ser minha testemunha.

O Norte e os chulos

Para acabar de vez com a chulice

Moinantes

T.P.C. – sim ou não?

Já tinham saudades destas 3 letrinhas. Confessem… Todos para Casa, trabalhos para crianças, tortura para crianças…

A reflexão está de volta: trabalhos para casa: sim ou não?

De um lado, quem acha que o que faz falta é tempo para brincar, para ser criança.

Do outro, quem pensa ser importante o trabalho, a disciplina.

Diria que todos podem ter razão. [Read more…]

Uma leitura essencial:

Um excelente texto, ESTE, para se perceber quem são os Tuaregues.

A verdade silenciada


No momento em que a Câmara Municipal de Lisboa manda retirar os candeeiros de ferro fundido que no Terreiro do paço estavam desde o século XIX, aqui estão umas verdades pronunciadas por um homem há muito saneado dos ecrãs televisivos.

Não chove?

Mande um sms!

As citações selectivas de Helena Matos

Helena Matos indigna-se porque os especialistas nacionais durante o pico da gripe correlacionaram a anormal mortalidade ocorrida este ano com a crise, o custo da electricidade e as taxas moderadoras, uma ideia amalucada, classifica. E indigna-se porque o Público de ontem refere um estudo preliminar que assinala esse incremento em 12 países europeus.

Com a proverbial distração da extrema-direita só se esqueceu de citar esta parte do artigo:

O excesso de mortalidade tem sempre “uma explicação multifactorial, mas a hipótese que parece mais plausível é a das características do vírus”, reforça o presidente do INSA, José Pereira Miguel. “Ninguém pode afastar os efeitos da crise, mas os fenómenos sociais demoram mais tempo a produzir efeito”, nota Pereira Miguel, que diz que vai ser necessário aguardar mais alguns meses até que o estudo sobre as causas da mortalidade esteja concluído.

Também é possível que não tenha lido até ao fim, mas aí estaria a fugir às suas responsabilidades.

Acordo Ortográfico: uma pergunta de António Emiliano

No Público de ontem, António Emiliano responde a um desafio do jornal, fazendo uma pergunta a Francisco José Viegas:

O Acordo Ortográfico [AO], feito há 22 anos, recebeu pareceres técnicos muito negativos e só dois membros da CPLP o aplicam de facto. Portugal subscreveu a declaração de Luanda de 30/03/2012 que diz que o AO produz constrangimentos no processo de ensino e aprendizagem e deve ser revisto (em prazo indeterminado). Não se deveria suspender imediatamente o AO nas escolas e nas instituições do Estado? [Read more…]

Hoje dá na net: Robin Williams live on Broadway

Excessivo, verboso, imparável, profundamente americano e anti-americano como só um americano pode ser. Robin Williams, em Nova Iorque, em 2001. Com legendas em Português do Brasil.

Seguro e o Camartelo Marcelo

Já era esperado que Marcelo, com uma decomposição metódica do argumentário virgem-ofendidiano do TóZé [desde logo a treta do «ataque vil e miserável»], ganhasse essa espécie de combate inédito Líder Partidário vs. Comentador Tudológico, ainda não se sabe se terá mais rounds. Seguro apanhou. Mas a verdadeira chatice do TóZé continua a ser outra e essa, para que fosse definitivamente decapitada, seria preciso fosse dita por ele e por Homens que, na sociedade portuguesa podre e falhenta composta por imbecis da casta de um vozinha Noronha ou de um caramelo Monteiro, ainda não temos: «Há uma pequena ala corrompida do PS, ainda no Parlamento, que deseja continuar a controleirar o mesmo PS comandada a partir do estrangeiro. Composta por órfãos e viúvas de um Desastre que enriqueceu imenso no preciso processo de nos arruinar e empobrecer, quem a ouve [à ala pequenina] descobre uma nova sensibilidade de Esquerda puta-que-os-pariu!» [Read more…]

A Páscoa dos Mercados

Peter Paul Rubens, A Ressurreição, painel central, 1612

Cada tempo com sua religião. Agora que a fé no Mercado move relvas e petrifica coelhos, não sendo ao terceiro dia (é um deus com poucas pressas) vai ser portanto em 2013. Ou será em 2014? bem, 2015 é o ano a seguir a 2014, e aí, é essa a nova fé, ressuscitará a economia, trovejarão os investimentos, o desemprego será convertido em emprego como da água se milagra o vinho, o maná virá dos céus, cumpridas por nós pecadores todas as merecidas penitências com que fomos castigados por termos andado a pecar acima das nossas possibilidades. Sacrifiquemo-nos, imolem-se os pobres, aguardemos pois a ressurreição.

Ou como muito avisadamente usava dizer a minha avó, fia-te na virgem e não corras e vais ver o trambolhão que levas. Aplica-se a netos e aos povos.

%d bloggers like this: