Às Portas do Sol

D. Afonso Henriques anda frustrado. Foram precisos 9 séculos para que o mesmo fosse multado pelos nossos Agentes de Autoridade, por violência doméstica. “Então, já não se pode dar um chapos à mãe, quando ela se porta mal, e anda a manigar com os Castelhanos?” A sua revolta ainda é mais reforçada, pelo facto desses Senhores já nem usarem as indumentárias a rigor. Acrescente-se, que nem tão pouco vêm a cavalo… e sem a cruz templária!  Mas afinal quem é que deu o berço e a esta gente, que se diz “lusa” e é dominada por uma coisa estranha que se chama “troika”. Pior, como “grão monarca” deste país, o pobre Afonso, ainda questionou aqueles belíssimos rapazes, se por ventura, a “troika” não seria um novo prato gastronómico, regado com bom vinho da região.  Os pobres moços, quem nem sabiam quem era o rapaz, vestido de personagem medieval, sentenciaram: “A ASAE NÃO AUTORIZA!”

Compreender Seguro

Seguro tem de suportar a tralha socratista e isso é dose cavalar. Tem de suportar os líderes-sombra, candidatos naturais à herança da liderança, como Costa. Tem a beata socratista Isabel Moreira cujo Padrinho  o Primadonna, quem haveria de ser?!  lhe deu o tacho parlamentar como prémio de larga língua de pau, e deu-lho a fim de ela parecer de Esquerda e, logo, cheia daquela misericórdia social vou-ali-e-já-venho, com a coerência de dinamitar por grosso o acordo com a Troyka que o mesmo Governo cessante socratesiano negociara. Seguro tem tido, pois, de engolir muitos sapos e até se compreende que, não tendo ele os milhões que outros têm para conspirar e comprar opiniões abonatórias até do diabo ou de um monte de merda, tenha de blindar-se e blindar a sua liderança acossada a partir da vingativa e mal-fodida Paris. De todos os sapos e de todas as tralhas com que o Suave Seguro arrosta, o menor de todos é Marcelo.

Alfredo Marceneiro, a minha freguesia

Ao contingente ministro Relvas; a todos a quem  o desfile de Sábado, em Lisboa, das freguesias de Portugal provocou perturbações neurológicas, gastrointestinais e demais patologias causadoras de insónia e de males anatómicos e fisiológicos relacionados com o sexo; aos que odeiam o fado lisboeta, por ser lisboeta; aos que se espumaram de raiva quando viram e ouviram tambores e adufes, bandas e cantares do Portugal popular e rural desfilando nas ruas alfacinhas; a todos esses, e ainda àqueles que teimam em não entender que só na capital é possível aglutinar o protesto de dezenas de milhares de habitantes de  freguesias do País inteiro, dedico, com fausto e júbilo, este fado do “Tio Alfredo”:

(Para esclarecimento geral, diga-se que o “Tio Alfredo” foi operário da CUF, com a profissão de marceneiro)

Oh! Passos vai aprender e leva o Álvaro!

Linha Sines-Badajoz não tem continuidade no lado espanhol. As promessas de Passos e do incapaz Álvaro quanto à ligação ferroviária de Sines a França e Norte da Europa, afinal, não são, assim, tão exequíveis. A necedade dos ignorantes impõe-se à necessidade do falar informado e com seriedade.

F de Fundir?

O conjunto de mentes brilhantes que está no governo segue dois grandes princípios: leviandade e falta de respeito pelos cidadãos.

Por vezes, nota-se mais a leviandade, que leva Passos Coelho a anunciar uma linha férrea que tem o objectivo de ligar Portugal a França, mas não tem continuação em Espanha; noutras ocasiões, é mais visível a falta de respeito pelos cidadãos, que faz com que o governo vá baixar os subsídios por doença.

Mas é na obsessão pelas fusões que se vêem ambas as atitudes de mão dada. Na reforma administrativa e na Educação, contra a autonomia e o bom senso, o Governo irá fundir freguesias e escolas, segurando a troica acima da água e afogando o país, uma espécie de Camões ao contrário.

Estudos, opiniões, pareceres, análises ou sensibilidade são palavras inúteis. O país bem pode reclamar, implorar, apelar à razão. O Governo, impelido pela tara, sem nada debaixo da gabardina aberta, só sabe gritar: “O que eu quero é fundir!”

Essa estranha guerra das Malvinas

Uma guerra ainda mais estúpida que todas as outras. De um lado uma ditadura agonizante, do outro o traque final de um império que já não o é, conduzido pela sua pior líder de sempre. De um lado a razão dos que habitam a ilha, do outro a justiça histórica contra uma ocupação ilegítima, tudo somado igual a razão nenhuma.

Talvez por isso ficará para a História como a guerra que o império ganhou no campo de batalha e Maradona derrotou com a mão de deus e o golo do século. Nunca tive, e duvido que venha a ter, tanto prazer a assistir em directo a um jogo de futebol, mesmo que o melhor jogador de todos os tempos venha a perder esse título.

No final, empate técnico, embora infelizmente com mortes numa das batalhas, a carne para canhão do costume.

Literatura para crianças: A Árvore Generosa


Hoje é o Dia Internacional do Livro Infantil, sendo que prefiro dizer que os livros são para a infância ou para as crianças, mas…

Queria partilhar um dos melhores livros alguma vez escritos:

A Árvore Generosa de Shel Silverstein.

Que pode ser “lido” no youtube:

Notícias do dia: uma para o governo, outra para o PC


Uma boa nova para o Governo: no processo de extinção de freguesias, houve quem se lembrasse daquele velho princípio “para grandes males, grandes remédios”, colocando uma botija de gás junto ao multibanco de uma Junta de Freguesia em Palmela. Foi tudo pelos ares. Resultado? Freguesia extinta, sem papelada que preste para mais alguma coisa. Fica então resolvido um assunto e agora urge proceder à anexação a uma freguesia vizinha. Simples e eficaz. Talvez a moda pegue país fora.
Uma notícia dirigida ao camarada Bernardino Soares. Naquela absolutamente democrática Coreia do Norte, o Exército Popular passa a partir de agora a incorporar aqueles recrutas que meçam mais de 1,42m. Desta forma, as Viagens de Gulliver tornam-se realidade e espera-se a todo o momento a consagração de Jonathan Swift, como fonte de inspiração para o regime de Piong-Iang. Claro que os nefandos imperialistas já fazem passar a mediática atoarda falando de “raquitismo e fome” que gerações de norte-coreanos alegadamente passam. São tudo manobras divisionistas que apenas visam confrontar a ridente sociedade zuche com o esmagador despautério consumista da Coreia do Sul. Uns safados, estes plutocratas.
*Na imagem, um turista ocidental de visita à Coreia do Norte.

A unidade linguística galaico-portuguesa

A precisar talvez de uma ortografia unificada, da TV portuguesa na Galiza, e outras solidariedade com os irmãos galegos. Cartoon no La Opinión A Coruña, vamos sorrindo juntos de iguais desgraças.

O pecado original

  (adão cruz)

Quando nasceu trazia entranhados em si dois grandes pecados, o pecado original e o pecado de ter sido gerado em mãe solteira. [Read more…]

Fim de linha

Então acaba-se com o TGV e anuncia-se uma coisa que afinal… vai dar a NADA?

Ou entre a fronteira e Barcelona vão a pé, num franchise com Lourdes ou com Fátima?

Não há paciência que aguente!

Flashmob, hoje no Chiado

Por causa da lei marcial. Um teste, portanto. Espero que tenham pedido licença ao sr. governador civil.

Hoje dá na net: Stanley Kubrick – A Life in Pictures

Stanley Kubrick – A Life in Pictures – documentário sobre um dos maiores realizadores de sempre. Página IMDB.

Em inglês, legendado em espanhol.