Morreu Emmanuel Nunes

Emanuel NunesMuitos não saberão quem foi, é natural.

O DN escreveu «Morreu o artista mais corajoso». Ele é (só) considerado o compositor português mais relevante da música contemporânea dos últimos 50 anos. António Pinho Vargas testemunhou: “Desapareceu um artista insigne”.

Emmanuel Nunes morreu em Paris aos 71 anos onde viveu grande parte da sua vida. Privou () com Stockhausen, Luciano Berio, Henri Pousseur e outros maiores da História da Música.

Foi um valente. Sofria de uma doença neuromotora congénita, “o que faz da sua vida e do que alcançou uma afirmação de força vital e uma permanente vitória face às adversidades genéticas”.

 «Morreu um dos maiores nomes da música erudita”. Português.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    No dia em que faleceu ouvi Fernando Lopes Graça falar dele elogiosamente

  2. maria celeste ramos says:

    O FOGO DO INFERNO – quando havia a GNR a cavalo que percorria diariamente todas as matas – depois substituída pelos Vigilantes da Natureza, igualmente a cavalo – quando os ruaris existiam e pastavem os seus rebanhos pelas matas vizinhas e comiam a rebentação dos “matos” ao mesmo tempo que os rurais eram “guardiões da natureza” mesmo que há mais de 30 anos oiça falar no “ordenamento florestal” que a DGF nunca fez mas fala muito – o país que ardeu no “campo” começa como digo há anos, a arder nas casas das aldeias pois que já não há mais nada para arder – e não culpem nem a natureza nem os incendiários – o que se passa por incúria e deprezo dos governantes a todos os níveis incluindo autarquias cujos responsáveis nunca falam senão quando querem mais dinheiro do Estado – não sei para quê – os espaços pertencentes a sucessivas gerações de emigrantes ou dos que, ficaram, envelheceram, e ficam sempre mais pobres e despojados de qualquer tipo de atenção e protecção de quem governa – não há “bombeiros” que chegue para salvar as casas e fábricas e áreas agrícolas e florestais desprezadas – o país está abandonado ao seu triste destino mas o “primeiro” diz que está tudo bem e está muito contente – como se o país se reduzisse a apenas “um homem” “jota” – não consigo perceber já que sou engª florestal há tantos anos e não havia o fogo devorador e devastador de tudo – como se a mão criminosa de Águeda (dito agora) justificasse tudo – vamos ver que plano de ORDENAMENTO tem a actual ministra que nem aparece agora a dizer “hadem” – mais uma empregada governamental – não lhes falta emprego e em breve estará em Bruxelas mas a fazer um péssimo estágio para pular para mais alto local que a par da CGD abriga os mais criminosos de todos os tempos incluindo o parvalhão de Vital Moreira – a UE abrigo dos mais incompetentes e vem aí, de acordo com notícia desta semana. mais uma PAC de que espanha será mais uma vez a “abocanhadora” porque não sa sabe planear nem a curto prazo mas espanha abocanha tudo o que pode – mas um amigo, economista, que também trabalha para espanha, disse-me hoje que o ódio a Portugal está a “diminuir” nos nossos hermanos – por mim nem sequer quero ouvir falar deles mesmo quando os vi de rasto, pessoas e paisagens (e tinha lá amigos) quando visitei espanha de ponta a ponta, de carro, e ainda se viam os resultados da sua guerra civil e nem de comer havia (1967)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.