Ricardo Araújo Pereira e o facebook de Passos Coelho, o Pedro

Se a fotografia estiver desfocada fica preso

Um advogado foi detido por fotografar o carro mal estacionado de Aguiar Branco.

Letizia Ortiz e eu

Ambas fazemos 40 anos este fim-de-semana (Letizia é mais velha que eu umas horitas).

Ambas queremos festejar o nosso aniversário longe dos holofotes e nem temos prevista nenhuma celebração pública nem actos oficiais.

Ambas somos mães, discretas e magras. Reconheço maior beleza em Letizia. Mas sem inveja.

Ambas pretendemos que a data fique marcada no seio dos que nos são mais próximos.

Ambas sabemos guardar segredo relativamente às nossas viagens.

Ambas celebraremos os 40 em casa (ela espera uma surpresa do seu príncipe, eu não espero).

Ambas teremos, com certeza, pensamentos semelhantes chegadas aos 40. Posso adivinhar os dela. Ai os «enta»…

Muita coisa eu tenho em comum, afinal, com uma princesa!

Selecção regressou de Barcelona

Armindo de Vasconcelos

Chegou ontem à noite a Portugal, vinda de Barcelona, a selecção nacional de hóquei em campo, que ali cumpriu um pesadíssimo programa de treinos e jogos de preparação para a Liga Mundial.

De facto, todos os dias, a equipa nacional acrescentava, a duas horas e meia de treino, um jogo. Dois deles, contra a equipa principal do colosso do hóquei espanhol, o Atletic Terrassa; outros dois contra a equipa B, o Vallès.

Da dureza do programa se ressentiram alguns atletas (William Rogerson, David Franco, Leandro Morais e Ricardo Silva), que deixaram o seleccionador Hugo Gonçalves praticamente sem soluções atacantes até final da preparação.

Quanto aos resultados desportivos, nada a fazer contra o poderio do Atletic: uma derrota por 4-0 e outra por 7-1, esta última quando Portugal já contava apenas com 12 jogadores de campo, sem grandes soluções por isso. [Read more…]

Recuso-me a ver

Tão parvo como copiar o tecto da Capela Sistina. A perfeição não se reinventa.

Pedro Passos Coelho, o «best of» um ano depois


Há cerca de um ano, compilei cerca de 10 minutos de mentiras de Pedro Passos Coelho enquanto líder do PSD na Oposição. Um ano depois, este filme – que já foi visualizado quase 250 mil vezes e conta com mais de 500 comentários – continua extremamente actual. Infelizmente, o primeiro-ministro não pára de nos surpreender (ou não), sendo que acredito que não vai ficar por aqui. Enquanto o deixarem, ele vai continuar.
Para recordar, o «best of» de Pedro Passos Coelho…

Povo que ainda lavas no rio

Raras vezes vejo televisão e mais difícil ainda é sentar-me, muito atenta, a ouvir e a ver alguma notícia.
A SIC apresentou ontem uma reportagem intitulada  “A Espuma dos Dias”, mostrando que em Portugal ainda há povo que lava no rio ou no lavadouro público, em troca de escassos euros à medida do comprimento de tapetes e edredons.
Este país ainda existe. Gente que todos os dias luta para sobreviver. Conhecemos a Maria do Céu (77 anos), a Olívia (89 anos), a Lurdes (62 anos que disse que a vida tem mais coisas más que boas…e que a gente não quer riquezas) e outras mulheres que metem mãos e pés na àgua fria, faça frio ou calor. Uma delas disse que adorava lavar no rio (a roupa ficava melhor),  mas que dava cabo dela… Vimos que lavam em pedras talvez centenárias, que ainda se encontram colocadas no meio da corrente.
Elas são de Ovar (Ribeira das Luzes), Vila Franca de Xira, Lisboa e outros lugares onde a SIC não esteve.
Mesmo na minha vila (concelho de Santa Maria da Feira) eu encontro mulheres que lavam, não no rio onde pensei que já não o fizessem em lado nenhum, mas no lavadouro público, há pouco tempo melhorado.
Num tempo em que, não obstante quase todos temos máquina de lavar a roupa, não estranha que se continue a lavar no lavadouro ou no rio: até “o sabão está caro”.
Esperemos que estas sejam as últimas mulheres a fazê-lo…
Povo que lavas no rio, o fado cantado por Amália Rodrigues com letra de Pedro Homem de Mello e música de Joaquim Campos:
Povo que lavas no rio
Que talhas com o teu machado
As tábuas do meu caixão.
Pode haver quem te defenda
Quem compre o teu chão sagrado
Mas a tua vida não.
(…)

O nosso fado: a sobrevivência.

Cartilha das papas e dos bolos

O governo criou um documento para ajudar os ministros a explicar as últimas medidas. Encontrado no Expresso.

Ir cedo de mais ao pote

Um bocado de lucidez da parte de João Miranda:

O PS conseguiria fazer o mesmo? Sim, com nuances e se entrasse fresco no governo. Não seria aliás a primeira vez. Mário Soares, Mota Pinto e Hernâni Lopes fizeram um programa deste tipo em 1983-1985 com sucesso e bons resultados do ponto de vista de um liberal, com medidas bem mais sujas que as actuais (a desvalorização salarial nessa altura foi de 25%-30%, o que faz dos 5% da descida da TSU uma coisa de meninos).

Uns meses atrás, numa conversa com os meus amigos que no Aventar sempre defenderam este governo, deixei o aviso: o PSD teve muita pressa em ir ao pote, vai apanhar o pior da crise (que em abono da  verdade nem é total responsabilidade sua, como não foi de Sócrates: somos um país pequenino que apanha pneumonias e tuberculiza quando Wall Street espirra e a Europa engripa), e vai ser posto fora do mesmo pote quando houver aparência de melhoras.

Hoje não me parece que seja bem assim: o governo está em queda livre e seguindo o barómetro grego a Syriza começa a isolar-se nas sondagens ao mesmo tempo que os nazis alcançam o 3º lugar.

É mesmo a doer. Depois desta crise, tal como nos anos 30, o nosso mundo não será o mesmo, para o melhor e para o pior.

Início do ano lectivo: o seu filho, o seu sobrinho ou o seu primo mais novo vão ser prejudicados

A teia urdida por um governo que se fez eleger com o objectivo de destruir o país conduzirá a que o seu filho, o seu sobrinho, o seu primo mais novo ou qualquer um dos seus concidadãos em idade escolar sejam extremamente prejudicados, uma vez que a qualidade da Escola Pública irá, inevitavelmente, diminuir.

Num país em que o Estado já só existe como meio para ajudar os privados, apenas os mais endinheirados poderão proporcionar aos seus filhos uma educação equilibrada. Aos outros, resta esperar que os profissionais que trabalham nas escolas consigam resistir à destruição de um sistema educativo cuja ruína se tem acentuado a partir do momento em que José Sócrates chegou a primeiro-ministro, pelo que seria bom que o PS se remetesse a um silêncio decoroso, ao contrário do que fez o presidente da Câmara de Amarante, que, ainda ontem, elogiou Maria de Lurdes Rodrigues, a mãe de Nuno Crato. [Read more…]

A RTP como deveria ser

e explicada em 2002 por quem  sabe.

Que se lixe a troika! Manifestação 15 Setembro

Ver aqui listagem actualizada [Read more…]

Casse-toi, riche con!

Cá também devíamos dizer o mesmo a muito boa gente

Professores:Uma nova forma de lutar

Bons dias. Bom ano.

Estas palavras são vazias de conteúdo para tantos e tantos professores, muitos com anos e anos de entrega à Escola Pública, que hoje ficam em casa.

Mas há rituais que nada nem ninguém conseguem apagar e esta é a semana em que arranca mais um ano lectivo.

E perante o que está a acontecer, sugeria que cada um de nós, na sua escola fizesse uma coisa muito simples: vou deslocar-me aos meus serviços administrativos e farei a requisição do material que considero necessário para exercer a minha profissão. Simbolicamente, porque é disso que se trata, não admito usar um cêntimo que seja do meu orçamento familiar para financiar um Governo que me rouba em permanência: canetas, lápis, um caderno, marcadores para o quadro e folhas de papel. Vou também fazer o pedido de um portátil, hoje fundamental para preparar o trabalho.

Pode parecer estranho a quem trabalha em algumas empresas, mas nas escolas é normal os professores imprimirem fichas em casa para os alunos, levarem canetas e lápis para quem não tem. É frequente ver que cada professor leva o seu portátil para a sala de aula, na ausência de equipamento para trabalhar nas escolas. Mas este não é um momento qualquer.

Nuno Crato está a colocar em causa a própria Escola Pública, inclusive, negando a própria Constituição da República: [Read more…]

“A escolha de palavras é aqui todo um programa”

A ler no comentário do Ricardo Noronha sobre a polémica História de Portugal de Rui Ramos.

Governar assim é fácil

É fácil governar assim. Mentir com quantos dentes se tem na boca para chegar ao poder e, depois de lá estar, roubar os mesmos de sempre à força toda. Uma vez, duas vezes, as vezes que forem necessárias. Com total descaramento e com a suprema lata de se fingir muito triste com as decisões tomadas.
Enquanto o roteiro da gatunagem inclui o roubo de mais um salário a quem trabalha, os únicos responsáveis por esta crise continuam impunes. Não se mexe nos privilégios da Banca, para quem o saco infinito dos contribuintes está sempre aberto. Não se mexe nos off-shores. Não se mexe nos dividendos em Bolsa. Não se mexe nas grandes fortunas. O indivíduo até falou disso no discurso de sexta-feira, mas concretizar? Tá queto, fica para as calendas gregas.
Realmente, é fácil governar assim. Falta dinheiro, vai-se buscar sempre a quem não pode fugir. Rouba-se a uns para dar aos outros. Quanto vai poupar António Mexia e os seus accionistas com a descida da TSU? E Alexandre Soares dos Santos? E Belmiro de AZevedo? E Américo Amorim? Alguém acredita que eles vão contratar um único funcionário a mais por pagarem menos à Segurança Social?
Não, o indivíduo não é burro. Pelo contrário, é muitíssimo inteligente. Mas extraordinariamente insensível, desonesto e moralmente corrupto. Daqui a 2 ou 3 anos, é vê-lo num exílio de luxo numa qualquer Paris deste mundo.

Na competitividade do país, a Educação não é um problema

E quem o diz é o Fórum Económico Mundial no seu relatório da Competitividade Global 2012-2013, agora conhecido.

Globalmente Portugal, entre 144 países está agora na posição 49, quando o ano passado, entre 142 países estava na posição 45. Para estas posições concorre uma classificação global de 4,4 em 7.

Fomos olhar de forma mais detalhada para o relatório e percebemos que há dimensões melhores e dimensões piores. A Educação está do lado competitivo do país. Vejamos: [Read more…]

Hitler explica o que se está a passar nas escolas

A autêntica fraude que têm sido os concursos para professores contratados (que são feitos escola a escola, mas este ano com regras que deveriam impedir os directores de contratar quem muito bem entendem, desprezando a classificação dos professores e cheirando a cunha por todos os lados), muito bem explicada em mais um vídeo hitleriano.

via Arlindo

D. Quixote de La Mancha

A obra mais conhecida de Miguel de Cervantes adaptada para cinema. Mesmo sendo em espanhol, alguns excertos merecem ser pasados na aula. Existe uma outra longa-metragem, de 1948, dirigida por Rafael Gil, e a versão de Orson Wells (1955) que nunca chegou a ser concluída.
Há também bons documentários sobre o livro, sendo que um deles está disponível em português.
Ver o filme aqui.

Da série Filmes para o 8.º ano de História
Tema 5 – Expansão e Mudança nos secs. XV a XVI
Unidade 5.2. – Os novos valores europeus

Rio Minho

É de homem

Larry Flynt oferece um milhão pelo registo fiscal de Mitt Romney.