A entrevista de Maria de Lurdes Crato ao Jornal Sol

Em tempos a mais famosa Ministra da Educação deu uma entrevista em que afirmava a vitória junto do povo, apesar de ter perdido os professores.

Numa entrevista ao Jornal Sol, o ex-comentador televisivo Nuno Crato segue o mesmo caminho e entra por atalhos que o colocam do lado errado do filme:

Está preparado para sofrer contestação de rua como a que teve Maria de Lurdes Rodrigues?

Eu acho que não. Acho que não vai acontecer. Por uma razão: eu percebo que haja grandes problemas em alguns sectores, eu percebo a situação humana em que estão muitos professores contratados – eu percebo isso. Mas também creio que existe um entendimento por parte dos professores e por parte dos directores de que nós estamos a trabalhar para melhorar a Educação em Portugal. Portanto, tenho o maior respeito pelos nossos professores e pelos nossos directores. Estamos em contacto permanente. Oiço muito directores e oiço muito professores.

Mas não lê os blogues onde eles fazem comentários ácidos à sua política?

Não, não leio os blogues. Não tenho tempo e não considero que seja uma coisa muito importante. Prefiro ouvir as pessoas cara a cara. As pessoas descarregam as suas idiossincrasias das mais diversas maneiras. Não estou preocupado com isso, estou preocupado com o trabalho dos professores e dos directores.”

Sobre a ausência de contestação são muitos os sinais que mostram o contrário – acredito, no entanto, que ele está a contar com o papel simpático dos Dirigentes do PSD que dominam a FNE e que estão disponíveis, ao que parece para tudo,até para tentarem comprar o silêncio dos professores com mãos cheias de coisa nenhuma.

É hoje muito evidente a força que os militantes do PSD tiveram nas manifestações contra Maria de Lurdes Rodrigues, algo que, a curto prazo não permitirá grandes ondas na rua – a ordem laranja junto dos seus professores e sindicalistas é clara: aguentar!

Quanto aos blogues, há uns que preferem manter a linha laranja bem certinha, talvez à espera que aconteça alguma coisa boa. Outros há que preferem apontar à FENPROF, como se fosse esta a responsável pelo caminho que as coisas estão a tomar.

Eu,por outro lado, estou hoje certo da mudança ideológica que Nuno Crato está a tentar realizar na Escola Pública. Já não se trata de uma coisa de Professores. É mesmo uma questão de República e de Democracia – a Escola Pública é um pilar do país que eu quero ter e por isso não vou ficar calado e vou sair para a rua. Para que o Senhor Ministro me possa ouvir cara a cara.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.