José Gomes Ferreira comenta as medidas do governo

Daqui por um ano, os meninos do governo estarão a fazer de conta que estão surpreendidos com os valores do défice e do desemprego.

Vídeo de http://www.youtube.com/user/livrescowordpress

Comments

  1. Amadeu says:

    Este JGF é um liberal da classe média que não gosta de ser bem fodido pelas políticas que normalmente defende. Ainda não atingiu o escalão de arrependido, mas para lá caminha.


  2. Estas medidas da política orçamental apenas fazem ‘subir as paredes’ do ‘condomínio’ em que se procura resguardar os eleitos.

  3. nightwishpt says:

    O senhor Gomes Ferreira é mais um socialista irresponsável.

  4. maria celeste ramos says:

    os bem instalados odeiam a verdade e negam-na – perderam a capacidade de raciocinar – é natural – já não comem o que comiam

  5. Eduardo Silva says:

    Conclusão…! Está tudo mal! Esquerda/Direita, são a mesma forma de enganar sempre alguém. Se há cerca de 15/20 anos tivéssemos (todos)… disse todos, sido mais honestos e menos aproveitadores de “boas” circunstâncias da época, talvez hoje não estivéssemos com esta fatura às costas. Já vi dezenas de comentários sobre o que ontem foi anunciado, ainda não vi nenhum, perguntar sobre o destino da dinheiro que os “tonos” pagam para a segurança social. Convocam-se manifestações, protestos, etc. etc. etc..
    Só ninguém protesta contra o modelo de sociedade, que tem reformados permanentes, e em perfeito estado de atividade com menos de 50 anos, exércitos de malandros a receber subsídios, porque isso dava jeito ao estado, Juntas de Freguesias com “jardineiros” onde nem jardins há, “esta é só para quem sabe o que estou a dizer”, mulheres e muitas, a serem subsidiadas só para serem mães de futuros criados para os ricos, escolas que não ensinam, gastando fortunas todos os anos, modelos de saúde a mafiar biliões em medicamentos, e isto ainda muito mais haveria a choramingar. Agora meus amigos talvez estejamos a pagar o que merecemos, pois quem não tiver ” metido a mão ao prato” nem que seja só numa simples fuga à fatura que levante a voz.
    Qualquer pessoa minimamente inteligente, e com alguma vida sabia que isto iria acontecer, a Esquerda escondeu a Direita evitou, etc etc. mas “em casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão”
    Só tenho pena que acabem por pagar alguns “inocentes”, porque para quem se andou a baldar a vida toda até é bem feito, pode ser que as gerações seguintes aprendam com a história. QUEM GASTA E NÃO TEM VAI SOFRER AS CONSEQUÊNCIAS


    • Boa! Subscrevo inteiramente!


    • “QUEM GASTA E NÃO TEM VAI SOFRER AS CONSEQUÊNCIAS” cada um fala por si evidentemente, eu no meu caso garanto-lhe que nunca gastei dinheiro que não fosse meu e acredito que a maioria da população esteja na mesma situação. E agora em que é que ficamos? há ou não injustiça, real caso para protesto? Acho que até o sectarista mais intransigente compreende este ponto de vista.

  6. Eduardo Silva says:

    Então não acredita que o país está endividado?
    Eu nem estou a favor nem contra o governo. Agora o que é real, é que calhou a estes terem que gerir o país face aos credores. E também não é mentira nenhuma que a partir dos dourados anos 90, todos mas rigorosamente todos, perderam a cabeça em virtude da era consumista que vivemos, e que até era “vendida” como fator de progresso, que até poderia ter sido, se não ficassem todos à espera que a bomba rebentasse, para atribuír a culpa aos políticos. E repito não estou a defender os políticos, agora o que não podemos é comportar-nos todos como uns irrespônsáveis menores que levamos a vida a fazer asneiras e na hora da responsabilidade, “a culpa é dos políticos”. Meu caro não estou a falar de sí, nem de mim, nem de ninguém em especial, mas sim de uma mentalidade, com quase 40 anos, com outra por tráz de 48 anos, outra por tráz de 16 anos, e por aí acima.
    Insisto…, estou-me marimbando para quem não gosta de ouvir a crueza da verdade, mas que só lá vamos, quando deixar-mos de ser “chicos espertos”, oportunistas, e “comentadores de ocasião” que visam eternamente o seu bolso, em detrimento da comunidade…, depois deu isto que agora temos!


    • Mas esse consumismo não foi pago? Para onde foi o dinherio? De certeza que grande parte dele foi para os países do centro da Europa que nos compraram barato (têxteis, calçado, etc) e nos venderam caro (automóeis topo de gama, relógios,roupa de marca, etc). De que dívida se está a falar? A do Estado das grandes barragens, das auto-estradas.entre outro despesismo.De que euforismo económico do passado se está a falar? O dos fundos comunitários ( mal aproveitados) em compensação da não concorrencia da produção portuguesa em produtos sensíveis. A que especialização fomos condenados? A dos sectores de baixo valor acrescentado. O que aconteceu à nossa indústria química, construção naval, agricultura e pescas, pós a nossa integração europeia?Desmantelamentos, ‘set-a-side’. Quem aceitou tudo isto, não foram os políticos, gestores, etc.? De que se está à espera para alterar o quadro? Porque não se fazem verdadeiras alterações estruturais corajosas na nossa economia?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.