Boa leitura

Quarto artigo de Manuel Loff sobre o revisionismo em Rui Ramos.

Comments

  1. José says:

    Tirado de «An Idiot’s Fugitive Essays on Science: Methods, Criticism, Training, Circumstances» de Clifford Truesdell:

    «History, too, has progressed; once a chronicle of kings and battles illustrating every human virtue or vice, then a sequence of manifestoes of personless peoples and social movements and conflicts of commerce, now it has transformed itself into a culture of self-fecundating research cells, so that the most important thing to teach the freshman is the correct line of historiography, history itself being incidental if not altogether dispensable.»

    Eis Manuel Loff numa frase.

    • Maquiavel says:

      Por mais que você não queira, essa frase aplica-se mais a Rui “o Estado Novo era uma espécie de Monarquia e a I República uma espécie de nazismo” Ramos que a Manuel Loff.
      Tadinho de você.


    • Tirando excepções que confirmam a regra, a História, enquanto ciência, escreve-se em francês, alemão e italiano. Esse linguajar meio-bárbaro com vestígios de latim não entra em nenhuma academia que se preze.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.