Votar

votar

Uma das consequências perversas da arma de propaganda política que constituem as sondagens – falando das que se publicam para desmoralizar –, é levar as pessoas a desacreditar completamente: na democracia, na classe política (claro), mas também no próprio povo de cidadãos eleitores. Tudo fica então reduzido a essa visão do Inferno que transforma a gente a que se pertence no mais abjecto dos povos – gente burra que nem portas, incapaz de raciocinar e compreender os princípios do sistema eleitoral que, com a abstenção, premeia os vencedores, entregando-lhes ilegitimamente (falando da representatividade em que assenta o sistema) os governos da Nação. Gente afeita ao sofrimento como se a um destino, que faz da fuga a única saída, para sobreviver materialmente, mas também para voltar a gostar de si mesma, quando a distância gerar a saudade. Basta ver o que se escreve nas caixas de comentários dos jornais e blogs sobre essas sondagens bota-abaixo, para constatar a que ponto o desprezo pela gente a que pertencem se acende nesses momentos. “Povo desprezível”, que “só tem o que merece”, apontam logo vários, escolhendo censurar as suas acções do passado em vez de começar a construir o futuro. Como? Votando. Votando no menos mau, mas votando sempre. Participando do que existe para começar a construir o que existirá. Não há outro caminho. Acordem. Nas últimas eleições abstiveram-se mais de quatro milhões.

Comments


  1. Sarah…

    Já deixei de votar mas por mera incapacidade financeira para realizar a viagem até à assembleia de voto pois estava longe… (outra estupidez incompreensível neste século XXI não se poder votar em qualquer local do país!)
    De resto voto sempre, que não estou longe!…. E voto sempre em partidos que nunca governaram, pois os que governaram até hoje já deram as provas que tinham que dar e o resultado está à vista… Ou voto nos partidos que nunca tiveram representação parlamentar… Mas antes de votar, perco algum tempo, e vou ler os Programas Eleitorais se não de todos pelo menos dos que tenho intenção de votar… Coisa que tenho sérias reservas que muita gente faça!
    Nas últimas eleições legislativas até coloquei os vídeos das entrevistas aos partidos que nunca foram eleitos no meu blogue para tentar ajudar os mais preguiçosos…
    Mas a MANADA come da TELEVISÃO… E a erva são as SONDAGENS…
    Por mim eram abolidas todas e quaisquer sondagens relativamente a Eleições… Não servem para absolutamente NADA de útil para a dita “democracia”, a não ser servirem (como bem escreveste) para serem “arma de propaganda política”, e eu acrescento, como arma de CONTROLO de sentido de VOTO… As sondagens de mão dada com uns bailaricos, e umas bifanas, e uns canecos, e uns bonés… ó ó Viva a Democracia!!!

  2. Sarah Adamopoulos says:

    Não poder ir votar porque se está longe da freguesia em que se está inscrito é gravíssimo e justifica uma alteração URGENTE à lei e procedimentos. Calculo que isso vá acontecer cada vez mais, agora que tantas freguesias se preparam para serem desmanteladas. A obrigatoriedade do voto, tornando-o electrónico (mas não apenas, para não excluir quem não tem acesso à Rede), acabaria com isso.


  3. Pessoalmente sou contra o “Voto obrigatório” e como já se falou/escreveu sobre isto há uns dias atrás, não vou repetir a dose…
    Torná-lo electrónico… Um erro de palmatória…
    Os sistemas informáticos não são seguros (nem nunca o serão)! As redes não são fiáveis… Enfim n⁵⁸ de falhas!
    Inseguro por inseguro mantém-se como está, que não está muito mal! Mas pode ser melhorado… Por exemplo devia passar a constar no boletim de voto e no final da lista dos partidos a Linha “VOTO EM BRANCO” com quadrícula para a respectiva cruz!
    Quanto às freguesias como o sistema está centralizado numa base de dados (penso eu que seja só numa, em Portugal a cultura informática é muito pobre e há milhares de base de dados, muitas delas redundantes, espalhadas por tudo o que é serviço do estado!!) o local é o menos… Até pode ser uma barraca tipo a das bifanas, com um computador e ligação à internet, que chega perfeitamente! Um portal dedicado a cada eleição para se irem marcando os votantes… e pronto! Como até já há o cartão do cidadão junta-se o leitor do cartão para fazer a validação da inscrição de “já votei” e pronto! Para os que ainda não o têm, validação manual, no portal claro!

    Mas lá estou eu a delirar… Vivo em Portugal… Fico por aqui!
    Abr 😉

Deixar uma resposta