Silêncio, Comès morreu

silence

Morreu um certo Didier Herman, eternizado no mundo da BD como Didier Comès. Tendo como uma das suas referências Hugo Pratt, Comès criou histórias com a densidade e a tensão de um romance. Pessoalmente, tal como acontece com Pratt, sempre preferi lê-lo no preto-e-branco que faz justiça a um certo negrume melancólico de que as suas narrativas são feitas. Silêncio é, provavelmente, o seu álbum mais conhecido.

Comments


  1. Como hino ao conciso, a essa incrível capacidade de síntese, a BD sempre me seduziu. Como me agrada o serviço público que aqui se presta.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.