Os Contribuintes São Bastante Burros

dummiesDepois de uma incursão no Serviço de Finanças de Braga e de uma reclamação, eis que chega hoje a obrigatória resposta à mesma. Mas valera que não gastassem papel porque “desculpas” inventam-se, não se escrevem. A minha resposta à resposta fala assim…:

“Sr. Chefe de Divisão Manuel Joaquim Rodrigues,
No que concerne a minha anterior reclamação, em livro amarelo e presencialmente, entendo que o sr. Chefe de Divisão queira, de forma clara, encobrir a incompetência e insensibilidade de alguns dos trabalhadores dessa repartição pública. Aliás, nem esperava outro comportamento.
No entanto, e para memória futura, quero reforçar tudo o que anteriormente disse e escrevi: a funcionária a quem eu e a minha esposa nos dirigimos foi claramente informada de que não havia senhas prioritárias disponíveis.
Essa reclamação – que a funcionária terá interpretado como desprovida de contexto – não aconteceu “porque sim”; antes, aconteceu porque não existiam… senhas prioritárias e elas eram obviamente necessárias. Ou porque outra razão seria feito o reparo?
Mais acresce que nos fazíamos acompanhar de um carrinho de bébé. Daí eu assumir que só um director equivocado na profissão e um funcionário incompetente não consigam associar um carrinho de bébé + falta de senhas prioritárias… à necessidade de alguém prioritário sendo prioritariamente atendido, tal como define a Lei.
Lei essa que essa repartição não cumpriu, nem ao segundo apelo.
Mais acresce que o senhor director, que poderá já não estar lembrado, foi chamado à sala por um outro funcionário, foi prontamente informado da falta de senhas e… recolheu aos seus aposentos, num comportamento cobarde, ineficaz, indesculpável e parolo.
Eu esperava algo mais dos funcionários mas, sobretudo, esperava algo mais do seu director.
Pese embora o amargo que a situação causou, estou certíssimo de que o sr. Director deste serviço de Finanças vai, a todo o custo, pugnar para que outra vergonhosa situação de incumprimento da Lei não ocorra à sua frente, com a sua cumplicidade, (…)”.
E porque na vida todos falhamos, criou-se a palavra “desculpa“. Não aparece uma única vez na resposta das Finanças.
Peço desculpa eu por ter incomodado…

Comments

  1. LUIS COELHO says:

    PELO EXPOSTO CONCLUO QUE SE DEPAROU COM DOIS FUNCIONÁRIOS BURROS E MERDOSOS QUE PROVAVELMENTE FICAVAM A MATAR NO TAL QUADRO DE MOBILIDADE.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.