Se o Vasco diz

Como toda a gente sabe, Nuno Crato acabou por se render, assegurando à Fenprof (e ao Partido Comunista) a sua velha ditadura sobre a “educação”.
Uma campanha hipócrita e piegas sobre as criancinhas, que, segundo consta, sofrem uma insuportável ansiedade se um exame é avançado ou adiado, bastou para dobrar o Governo e lhe raspar toda a sua arrogância. Os paizinhos, claro, pretendiam principalmente que não lhes perturbassem os planos de férias.
Esta foi uma greve inteligente, conduzida com inteligência e com um fim favorável aos grevistas.

Na última página do Público

Comments


  1. É preciso é que não parem por aqui.

  2. Dora says:

    Não há nada como se posicionar com um pé em Cacilhas e outro no Cais do Sodré. É o caso deste texto do VascoPV.

    Entretanto, vai-se refrescando no Tejo, molhando as partes baixas, para esquecer esta do fim favorável aos “grevistas” (?!)

  3. Jorge says:

    Ó Vasco, define lá “fim favorável”. É que eu apenas consigo ler “fim adiado”… Há quem se engane na leitura das entrelinhas.

  4. celesteramos.36@gmail.com, says:

    ai que saudades tinha do politólogo de boca de cú de galinha que acaba de aparecer na Sic – esqueci o nome Ângelo Correia – se calhar precisava de uns tostões e volta de novo – Diz que já nem vê telejornais por causa da neurose que lhe dá – a mim dá nojo – deficit 10.6% – que desgraça meu querido país – Diz que as greves já perderam efeito – é um ritual religioso para manter pessoas unidas mas não leva a nada – e que a bora foi a de set 2012 até protestando em silêncio sem claques e estas com palavras de ordem nada – fazer greve nos serviços públicos não tem importância porque não fazem nada – Mas já tem maior significado e é a 1ª vez o patronato unido – não quero ouvir mais este sábio que receia que o governo esteja só – o discurso da esperança e investimento é muito bom – ai ajudem-me parem-me que não aguento

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.