A lição do Eusébio

Ainda sou do tempo em que vi jogar o Eusébio, essa ruptura geracional que ontem dividiu a pátria. Uns viram, outros não, e quem não viu não percebe, olham para o homem como se fosse um Ronaldo em versão cota, no tempo em que o futebol era fácil e não prestava para nada.
1966-portugal-x-coréia-do-norte

Nessas duas ou três vezes a Académica perdeu, o que somado ao enxovalho na escola em Benfica, conimbricense exilado e isolado perante a turba de alfacinhas,  não são exactamente boas recordações. Mas a esses jogos, semente do meu anti-benfiquismo primário, não tinha ido só pelo meu clube numa das suas três visitas anuais mas também para ver jogar o Eusébio, esta parte toda a gente percebe, o Futre e o Figo também conseguiram que os putos os quisessem ver jogar mais do que uma vez por ano na televisão, em diferido.

Porque antes há o jogo da Coreia. Tinha seis anos, é o primeiro jogo que me lembro de ver, o nosso primeiro campeonato do mundo, o único com Eusébio.

O jogo da Coreia ensinou-me umas coisas.

Que o Eusébio não era do Benfica, era da selecção, todos tínhamos orgulho em ter um Eusébio, mesmo com os disparates que dizia e eram gozo nacional picado de racista: sabes aquela do Eusébio quando um entrevistador lhe disse:

– Eusébio, para começar diga boa-noite ao nosso microfone…

– Boa noite, microfone.

Que um jogo tem 90 minutos, frase, aposto, que entrou  para o comentadorês nessa altura.

E que nunca se desiste, mesmo quando as coisas começam mal.  Desta última esqueci-me várias vezes nos entretantos da vida, e não correu bem. Lembrei-me disto quando recordei o Eusébio, que é recordarmo-nos, os que ali vivemos enquanto ele jogava, e não só pelo futebol mas pelo Portugal todo que se chamou Eusébio, Amália e Fátima porque eram as únicas palavras nossas que sabiam no estrangeiro. Lembrei-me e não me quero voltar a esquecer da terceira lição do jogo em que o caraças do preto, o único rei bom que conheço, deu uma abada aos comunas da Coreia Norte que começaram por nos arrasar. Muito menos nesta altura da vida.

E agora guardem os vídeos e vejam o jogo completo:

(intervalo em que havia uma luz ao fundo do túnel)

Leitura recomendada: O Lugar de Eusébio no Estado Novo.

Trackbacks


  1. […] Hoje pode ver o Portugal- Coreia de 1966 na TVI24. No Aventar já podia ter visto anteontem. […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.