Crato e os Sindicatos

Para Ministro da Educação os Sindicatos fazem “uma oposição sindical quase soviética”
Imagem

Comments

  1. Fernando Santos says:

    Como se os soviéticos fossem um bom exemplo de defesa de direitos dos trabalhadores, por isso é que se vivia tão na URSS, especialmente nos tempos do Estaline.

    • Francisco says:

      Olhe amigo, pelo menos, na URSS, as pessoas tinham trabalho, tinham educação e saúde grátis, os trabalhadores tinham direitos, as crianças não iam para a escola com fome e não se roubava aos trabalhadores para dar aos bancos. Pelo menos a URSS não queria os sindicatos cooperativos fascistas que este senhor e os seu amigos querem. Ah, e pelo mais, vivia-se melhor naqueles países nos tempos da URSS do que se vive hoje!


  2. Pois é Crato! Também na saúde com o tal “sistema de patrão único (ou Estado)” era impensável um utente do Norte pagar 200€ por um exame de saúde grátis para um utente de Lisboa. Depois veio o ministro que acabou com as comparticipações nas despesas de saúde dos doentes. E, agora, sem o tal “Estado como patrão único a ditar procedimentos iguais para todos os cidadãos” mas com tantos coordenadores a mandar em tanta capelinha já tudo é possível: inclusive poupar nos doentes para dividir o dinheiro que sobra pelos gestores desses doentes.


  3. Crato sabe de tudo menos de educação

  4. Manuel Joaquim says:

    Eu admiro estes vira casacas que eram de esquerda e extrema esquerda e agora são PSDs!
    E antes comiam pescada congelada e agora é so lagosta….bons carros, bons fatos, e quando sairem bons tachos!

    CHULOS

  5. Fernanda says:

    Será que Nuno Crato, quando muda as regras de atribuição de bolsas para investigação, está a ser soviético, está a ser liberal ou nem uma coisa ou outra e quer implodir?


  6. todos os senhores de que se fala aqui não merecem sequer as palavras usadas e o tempo dispendido – estes neo-nazistas são sinistros

  7. Luis Reis says:

    Ora cá está um gajo, que era bem empraxado…nem que fosse numa “aula fantasma”.


  8. onde aparentementeos sindicatos trabalham de acordo com as “liberdades” preconizdas por irresponsaveis para quem o dever é um direito dos outros é no Egipto e na Grecia-com greves heroicas de semanas; aí sim o progresso dos direitos dos trabalhadores é uma verdade levada a sério. Nada comparado coma horrivel alemanha onde os trabalhadores devido a reperessão não fazem greves ha tres anos. e mesmo assim vão ser mandados para casa aos 62 anos porque já não produzem o sufeciente!! heroicos vamos a luta que a vitoria vai ser…

    • Fernando Santos says:

      Já vi bocas estúpidas, mas chamar tirania a mandar as pessoas para a reforma aos 62 dá-me vontade de rir

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.